procrastinação

8 dicas para fugir da procrastinação

8 dicas para fugir da procrastinação

Aqui na Pier somos a favor de uma vida com mais leveza. Isso significa que apoiamos o equilíbrio nas coisas. Mas estar equilibrado também depende de não deixar para depois tudo que você poderia ou deveria estar fazendo agora. Ou seja, é a tal da procrastinação, um hábito que está enraizado no cérebro dos seres humanos desde sempre! 

O assunto é tão antigo e intrigante que a Universidade de Oxford preparou um documento chamado The Thief of Time: Philosophical Essays on Procrastination (O ladrão de tempo: ensaios filosóficos sobre procrastinação – em tradução livre) que reúne estudos de diversos filósofos que já estudaram o tema ao longo dos séculos.

Pesquisadores estimam que até 20% da população mundial sofre desse mal de forma crônica. Já uma pesquisa realizada pela Fundação Estudar, encabeçada pela empresa MindMiners, revela que mais da metade dos jovens brasileiros afirmam que a falta de foco é que mais atrapalha sua produtividade. 

E se você desiste de realizar uma tarefa e escolhe, ao invés disso, fazer alguma coisa mais divertida ou agradável, pode apostar que faz parte dessas estatísticas. 

Recompensas imediatas

Segundo  Carolina Soares, psicóloga clínica e coach, quem procrastina sabe que precisa realizar determinada atividade, mas decide não entrar em ação naquele momento. “Deixar para depois o que deveria ser feito agora é sinônimo de abrir mão de algo para evitar desconfortos.”

Isso costuma acontecer, com bastante frequência, quando temos diante de nós afazeres tidos como maçantes, complicados ou perigosos. Aí, nosso cérebro resolve se preservar ao se manter na zona de conforto. Buscamos, então, opções de tarefas mais divertidas e prazerosas, que geram resultados positivos imediatos, como ver um episódio da nossa série favorita ou checar as redes sociais. 

O blogueiro Tim Urban, autor do blog Wait But Why, apresentou uma palestra no TED que explica, de forma simples e lúdica, um pouco sobre como funciona a mente de um procrastinador. No vídeo, é possível entender como é fácil para a nossa mente trocar obrigações importantes, mas chatas, por gratificações instantâneas, deixando muita coisa para a última hora.

Outra razão que nos leva a procrastinar tem origem em uma característica bastante comum: o perfeccionismo. “Esse é um grande inimigo da produtividade. Acreditar que não se tem competência ou desempenho necessários para fazer um trabalho perfeito é uma das justificativas usadas para deixar coisas para depois”, diz Carolina.

Pessoas que têm traços de impulsividade, se intimidam com o fracasso ou se sentem diminuídas pela opinião dos outros também podem sofrer com o famoso ‘amanhã eu faço’.

Perigos da procrastinação

O ato de adiar tarefas, compromissos e deadlines pode afetar a rotina como um todo, dificultando o desempenho em diferentes funções, as relações interpessoais e a carreira. Afinal, muitas vezes, isso pode ser visto como falta de responsabilidade ou negligência, o que pode interferir no desenvolvimento profissional.

Carolina alerta que o problema pode ainda prejudicar a saúde emocional, provocando sentimentos de culpa, ansiedade e situações de pressão desnecessárias. “Quanto mais você procrastina, pior se sente, aumentando os níveis de estresse e angústia.”

Na Pier, também acreditamos que todos os hábitos podem ser transformados para melhor. Para isso, é preciso dar o primeiro passo – o mais importante em qualquer jornada. Confira as dicas que preparamos para te ajudar a se livrar da procrastinação.

  • Respire e busque praticar técnicas de mindfulness e meditação para se conectar com o aqui e agora, buscando autoconhecimento e autocontrole.
  • Ensine seu cérebro a perceber a tarefa apenas como mais uma atividade que você precisa terminar, sem fantasiar sobre sua complexidade.
  • Fracione as tarefas, separe-as em atividades menores. Faça uma coisa de cada vez.
  • Pense em quem você quer ser amanhã. Conecte-se com a dor daquilo que você vai sofrer depois, caso procrastine. Isso pode ajudar a iniciar a atividade com antecedência.
  • Conte regressivamente: 3,2,1 – e comece. Execute a tarefa sem pensar duas vezes. Direcione sua atenção para a ação e não permita que a preguiça domine sua mente. Com o tempo, ela irá oferecer menos resistência e você será mais capaz de produzir. 
  • Quanto antes você enfrentar o que precisa ser feito, mais rápido vai tirar a atividade do caminho, o que trará sensação de dever cumprido. Após a entrega, comemore o resultado usando seu tempo para fazer as coisas que você gosta, sem culpa.
  • Bloqueie estímulos externos: se você tem dificuldade para manter o foco, itens como celular, redes sociais e televisão farão com que perca a concentração de vez. A diversão sempre vai parecer mais interessante que a obrigação.
  • Não seja duro demais com você e aprenda com suas experiências. Não se cobre demais, nem se puna por procrastinar, isso só piora a situação e causa mais ansiedade, drenando sua disposição para fazer o que é necessário.