Apoio no Vestibular: conheça o Manifesto 29!

Você conhece alguém que está vivendo aquela fase tão importante – e tão cheia de ansiedade – de prestar ENEM e Vestibular? A gente sabe que não costuma ser fácil, não é verdade? Além de estudar muito, ainda é preciso manter a calma e lidar com toda a pressão existente ao redor.

É por isso que convidamos a Naara, recifense, estudante de psicologia, e membro da comunidade Pier, para contar a história de um projeto lindo do qual ela faz parte: o Manifesto 29. 

O que é o Manifesto 29?

O Manifesto 29 tem como foco dar apoio emocional a quem está passando exatamente pela fase de provas do ENEM e do Vestibular. E isso acontece nas filas que se formam antes das provas. A Naara, que estuda psicologia, explica que o papel dela e de outros participantes é levar alívio. 

“Uma pessoa que está estudando para fazer uma prova há tanto tempo, muitas vezes anos no caso de alguns cursos, já sabe bem o conteúdo, mas às vezes por conta de tanto nervosismo ela não consegue ir bem. Nosso papel é ajudar com a questão emocional. Além da palavra, também fazemos campanha nacional para arrecadar cartas de apoio. Convidamos pessoas a escreverem e enviarem por e-mail, que a gente imprime e leva. Ano passado levamos 500 cartas.”, conta ela. 

“Nós acreditamos que podemos passar palavras boas a alguém, e essas palavras podem destravar as pessoas de uma maneira que a gente não calcula”, explica ela, que leva, junto com outros voluntários, placas de apoio afetivas durante uma caminhada nas datas das provas. “É o nosso manifesto contra a ansiedade e medo de futuro.” 

Um pouco da Naara

A Naara é recifense, mas está em São Paulo desde 2006. Com pais missionários, ela explica que o tempo todo tinha que estar em escolas diferentes e se adaptar. Em Recife, ela tentou passar no Vestibular algumas vezes e teve que lidar com muita expectativa da família. 

“Sempre tive dificuldade em me enquadrar. Odiava matemática, física, não conseguia passar em provas. Em São Paulo fiz dois anos de cursinho e a mensalidade não era barata. Comecei a observar um ambiente pesado e achei que precisava fazer algo. Foi aí, em 2011, que surgiu o Manifesto 29!”, conta. “Pensei que o movimento deveria falar de propósito e deixar claro que a vida de alguém não depende só de uma chance”. 

Confira essa história linda no terceiro episódio do nosso canal de podcast Ponto de Encontro!

Deixe uma resposta