Mulheres na Pier: onde estamos e onde queremos chegar

Uma vez ouvi que “os ideais são como as estrelas” e que tocá-los com as mãos não é possível, mas que assim como fazem os navegantes, a gente pode segui-los como guias. Gosto da ideia de que não podemos nunca achar que já tocamos o ideal, mas que também nunca deixamos de persegui-lo. 

É com essa imagem que eu queria começar esse texto, que é um relatório peito aberto e um compartilhamento dos nossos sonhos.

Nascemos de três pais

A nossa história nunca é boa ou ruim, é a nossa história! Ela nos trouxe até aqui e é o que nos faz quem somos. A Pier nasceu com três pais: Igor, Lucas e o Rafael. A primeira mulher demorou alguns meses pra chegar na Pier e aconteceu de ser eu mesma. Por isso, fico muito feliz em poder abrir esse diálogo aqui no blog.

O nosso time de quase 70 pessoas tem hoje 24 mulheres. Ainda não é um bom número e sabemos disso e nosso time de pessoas coloca esforços contínuos para trazer mais mulheres para a Pier. Desde o dia zero até hoje, essa é a evolução dos dados da presença feminina aqui na Pier:

A Ju, nossa recrutadora, chegou no pedaço no primeiro trimestre de 2018. Ela diz que ficou feliz em ver a genuína vontade de mudar o cenário da empresa, mas que olhava em volta e ficava pensando por onde começar, já que tínhamos muitos homens na empresa. Ela coloca muito carinho na tarefa de trazer diversidade para dentro de casa, mas gosta de lembrar que é uma tarefa para a empresa inteira:

“Como recruiter, senti que fui uma das forças desse movimento, mas se eu não tivesse apoio de todos, eu não teria conseguido colocar essas mulheres para dentro do time. De nada adiantaria recrutar mulheres sem líderes que fossem conscientes, e que respeitassem e entendessem a presença de mulheres no mercado de trabalho. Ainda acho que temos muito para aprender e melhorar, mas é lindo poder fazer parte da construção desse caminho difícil. É só através da diversidade em nossa equipe, que vamos conseguir gerar impactos positivos na sociedade!”

O mapa das mulheres na Pier

Agora falando sobre a distribuição das nossas Piers na empresa, do total de 24 mulheres, 7 delas estão no marketing, 5 em tecnologia, 5 no nosso time de Lovers (atendimento), 3 em produto, 3 em pessoas, 2 corporate e apenas uma em risco.

Além disso, aqui na Pier trabalhamos com níveis 1, 2, 3, 4 e 5 no desenvolvimento de pessoas. Atualmente 11 estão no nível 1, 6 estão no nível 2, 7 estão no nível 3, uma está no nível 4 e uma está no nível 5.

Força na diversidade

Não queremos nos esconder atrás dos números. Por mais que seja difícil trazer diversidade, enquanto a gente repetir essa frase não vamos mudar o cenário. Nesse momento, estamos usando o momento de congelamento de contratações para conversar com mais gente e ampliar nosso banco de CVs para quando a pandemia nos der uma trégua.

De qualquer forma, vontade sem um plano não sai do papel e, por isso, a gente tem procurado seguir algumas políticas simples para buscar esse equilíbrio nos números. A Alice Iglesias é nossa única head mulher (nivel 5) e tem colocado em prática algumas ideias para melhorar o cenário da diversidade no time de produto. Por exemplo, implementando regras para que vagas abertas sejam preenchidas por mulheres e dando preferência para a diversidade na hora de decidir quem trazer para o time.

“Acredito que a diversidade tenha que ser forçada, precisamos dar preferência na hora de contratar e levar em conta os levels da empresa. Trazer mais mulheres que possam ser referência para outras mulheres crescerem profissionalmente é essencial.”

Um time diverso é questão estratégica

Sabemos que temos um longo caminho pela frente e estamos dispostos a seguir firmes nele. Pra gente, diversidade de qualquer tipo é ferramenta essencial para diminuição de pontos cegos. 

Nos ataques de 11 de setembro, a CIA foi pega absolutamente de surpresa porque tinha um padrão de contração que não incluía o perfil muçulmano. Segundo esse artigo da BBC, um muçulmano saberia reconhecer o símbolo que Osama Bin Laden estava se tornando. Coisa que os norte-americanos, homens, brancos que trabalhavam na agência de inteligência não puderam fazer. 

Sempre resgatamos esse exemplo aqui na Pier e damos muito valor a ouvir opiniões diferentes. Nesse ponto, sabemos que precisamos não só trazer gente diversa como também criar ambiente seguro para a fala.

O comitê das mulheres

Sabemos que somos um grupo de mulheres que tiveram acesso ao ensino superior, maioria brancas, e com isso somos conscientes da responsabilidade que temos em abrir caminhos para maior diversidade, inclusive entre nós. 

Por isso, por iniciativa da Babi, nossa advogada, recentemente criamos um grupo de discussão sobre as mulheres dentro da Pier. Entre as pautas, estão políticas de recrutamento, equidade salarial, mulheres negras no mercado de trabalho e maternidade e carreira. Esperamos trazer ao longo desse ano alguns resultados bem legais, nascidos neste fórum.

Estamos vivendo nesse momento um grande aprendizado que é ter a nossa primeira Pier grávida! A Chell, nossa designer, espera a bebê dela para o próximo mês de junho e ainda estamos desenhando uma política de licença maternidade que vai ser lançada em formato beta. Fiquei muito feliz pelo fato de ser uma mulher do meu time e poder acompanhar de perto esse momento único. As coisas vão surgindo e a gente se sente com uma caixa de lápis de cor daquelas bem grandes e com uma folha em branco na nossa frente.

Queremos acordar todo dia entendendo onde estamos para assumir nosso papel de facilitadoras do crescimento de mais mulheres!

O mundo que queremos construir

Queremos construir uma empresa que seja exemplo para o mundo em que vivemos. Queremos ser protagonistas no aumento do espaço da mulher no mercado de trabalho. Queremos vir aqui a cada ano e trazer novidades significativas nesse tema.

Conhece uma mulher que adoraria fazer parte do nosso time? Chama ela!

Deixe uma resposta