Novembro Azul: Menos tabu e mais saúde

Na Pier apoiamos a saúde em sua forma integral: física e mental. E assim como já falamos em Setembro Amarelo e Outubro Rosa, não poderíamos deixar de lembrar que, neste mês de novembro, o foco da campanha promovida pelo INCA e pelo Ministério da Saúde está nos cuidados com a saúde do homem, com o objetivo de alertar para a prevenção, o diagnóstico precoce e o tratamento do câncer de próstata.

É hora, portanto, de homens deixarem qualquer tipo de tabu ou vergonha de lado e pararem um tempinho para realizar os exames necessários. E também é preciso que mulheres apoiem e estimulem os homens que estão ao seu redor para cuidarem bem de si mesmos.

Dados importantes

Você sabia que 42 brasileiros morrem todos os dias em decorrência do câncer de próstata? E que cerca de 3 milhões lutam contra ela, que é o segundo tipo mais recorrente entre eles depois do câncer de pele?

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), são previstos 68.220 novos casos para 2019 – um risco estimado de cerca de 66 novos casos a cada 100 mil homens. No mundo são 1,28 milhão de casos registrados, dados da OMS (Organização Mundial de Saúde).

Uma boa notícia é que a Assembleia Mundial da Saúde aprovou, em 2017, uma resolução de prevenção e controle do câncer para que os objetivos descritos no Plano de Ação Global e na Agenda 2030 da ONU para o Desenvolvimento Sustentável a fim de reduzir a mortalidade prematura por câncer, sejam cumpridos.

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) espera criar um senso de cuidado do homem para prevenir outras doenças, além do câncer de próstata. Um dos fatores que mais inibem os homens dos consultórios dos urologistas é o constrangimento e o tabu criado em torno dos exames de prevenção.

Para mostrar que não se deve ter vergonha, ou medo, de ir ao especialista, a campanha Novembro Azul deste ano é apadrinhada pelo chef Henrique Fogaça, e o ex-jogador de futebol, Zico, que realizam os check-ups frequentemente.

O que é o câncer de próstata

A próstata é uma glândula em forma de uma noz localizada logo abaixo da bexiga e à frente do reto. Ela envolve a parte inicial da uretra, por onde a urina é eliminada. Sua principal funcionalidade, em conjunto com as vesículas seminais, é produzir o esperma.

Algumas células podem se desenvolver e multiplicar de forma anormal, provocando o surgimento de um tumor durante o seu funcionamento.

Fatores de risco

Alguns grupos de homens são mais propensos ao câncer de próstata, seja por questões genéticas ou do meio.


Histórico familiar, principalmente entre parentes de 1º grau, como avô, pai, irmão;
Raça: homens negros sofrem maior incidência deste tipo de câncer;
Idade: quanto mais avançada, maior o risco. Os casos no Brasil mostram que 9 em cada 10 registrados tinham mais de 55 anos;
Sobrepeso e obesidade: o aumento de peso eleva as chances de desenvolver câncer de próstata.

Sintomas

No estágio inicial, o câncer de próstata não apresenta muitos sintomas, os sinais podem se assemelhar aos do crescimento da glândula, como:

dificuldade para urinar;
urinar mais vezes durante o dia ou à noite.

Quando está avançado, o paciente começa a notar algo diferente. Segundo a Fundação do Câncer os sintomas são:

demora para começar e/ou terminar de urinar;
sangue na urina;
diminuição do jato de urina;
dor nos ossos.

Prevenção e tratamento

O diagnóstico precoce é a principal forma de assegurar o tratamento e a cura. É indicado aos homens a partir de 45 anos, mesmo na ausência de sintomas, ir ao urologista para realizar o exame de toque retal, o qual permite a avaliação das alterações da próstata, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos, e também o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico). Caso haja necessidade, o médico solicita a biópsia, para comprovar o diagnóstico.

O tratamento depende do estado clínico, do estágio e da expectativa de vida. Se  identificado logo no início e apenas na próstata, a cirurgia oncológica e a radioterapia são os mais indicados. Caso esteja avançado e tenha se espalhado, indica-se a radioterapia em conjunto com o tratamento hormonal e os paliativos.

A prevenção é feita a partir de hábitos saudáveis, a começa de uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, combinada com:

não fumar e evitar bebidas alcoólicas;
tratar pressão alta, diabetes e colesterol;
manter o peso saudável;
praticar atividades físicas regularmente.

Mitos

  1. Vasectomia aumenta o risco de câncer – Pesquisas e estudos revelam que a cirurgia é segura e não tem relação com o diagnóstico de câncer.
  2. O tratamento causa impotência – Há efeitos colaterais no tratamento de todos os tipos de câncer, principalmente quando se utiliza quimioterapia ou radioterapia. Com o de próstata, a cirurgia é o método mais aplicado e considerado relativamente seguro, mas pode acarretar problemas de ereção.
Marcações:

Deixe uma resposta