O que a Pier vai fazer agora que é Seguradora Digital

Sem rodeios! Para começar, agora que somos Seguradora Digital vamos focar em entregar reembolsos automáticos, feitos em menos de 1 segundo. Vamos também levar nosso Seguro Auto para todo o Brasil e ter mais capacidade para receber membros em nossa comunidade, já que atualmente temos mais de 120 mil pessoas na nossa lista de espera.

Como a Pier virou Seguradora Digital?

É com muita alegria que a gente vem aqui contar em mais detalhes sobre como nos tornamos uma Seguradora Digital e o que essa novidade traz de benefícios para a nossa relação.

Se você ainda não sabia que agora a Pier é uma Seguradora Digital, recomendamos a leitura dessa página, toda criada para explicar bem objetivamente como tudo isso aconteceu. Já esse texto aqui vai ser bem menos objetivo. Com ele, queremos alimentar cada um de vocês com informações saborosíssimas sobre esse momento decisivo para a Pier.

Breve contexto sobre o Sandbox Regulatório da Susep

Photo by Ostap Senyuk on Unsplash

Na tradução literal, Sandbox significa caixa de areia. Isso mesmo, essas que as crianças brincam nos parquinhos! No entanto, o termo passou a ser usado mundialmente há alguns anos para o desenvolvimento tecnológico em ambiente de testes e abertura de inovação dentro de espaços regulamentados, como é o caso das fintechs e insurtechs.

O Sandbox Regulatório é um programa da Susep (Superintendência de Seguros Privados), o órgão regulador dos seguros no Brasil para trazer inovação para o mercado de seguros, permitindo que a tecnologia chegue com tudo no mercado tradicional de seguros, incentivando uma indústria mais competitiva e inovadora.

Alguns passos atrás: assumindo o desafio de construir a primeira Seguradora Digital do Brasil

“Eu gosto do impossível porque lá a concorrência é menor.” – Walt Disney

Imagine que um dia você chega em casa e, no meio do jantar, conta para a família: “Estou largando meu emprego naquela empresa consolidada e famosa porque vou construir a primeira Seguradora Digital do Brasil”. Com certeza, nessa hora, mesmo aí na sua imaginação, alguém vai tossir, engasgar, arregalar os olhos e pensar que você está completamente maluco. 

Pois bem, não é muito diferente do que aconteceu com a gente aqui na Pier no começo. É que seguir um sonho está longe de ser uma coisa trivial e quase sempre tira a gente da zona de conforto. Dar um passo em direção ao que acreditamos normalmente é custoso, mas é também absolutamente libertador. 

Começar uma empresa é ser capaz de acreditar piamente em um sonho muito distante, é deixar certezas pra trás e se arriscar sem nenhum indício de que vai dar certo. Com o tempo, as coisas vão se consolidando, mais pessoas vão se juntando ao redor desse sonho e tudo vai parecendo mais real. 

Mas, mesmo com muito mais certezas hoje do que naquele dia zero, é sempre bom a gente lembrar que não é porque chegamos até aqui que o jogo tá ganho. Temos muito trabalho pela frente!

A história da Pier antes do Sandbox

Photo by Danielle MacInnes on Unsplash

Começamos em 2018, com seguros para iPhones. Éramos um grupo de 3 fundadores em janeiro e terminamos o ano com 10 pessoas no time. Começar com iPhone foi importante para a gente aprender: um produto amado, com uma sinistralidade consideravelmente alta, que nos permitiu aprender na velocidade que precisávamos para escalar a empresa.

Em 2019 abrimos nosso serviço para usuários Android, um mercado 20 vezes maior que o de iPhones no Brasil, e demos um salto de 10 para 50 pessoas no nosso time. Esse marco é importante porque nos levou mais perto do sonho de levar mais leveza pra vida dos brasileiros, já que agora poderíamos fazer parte da vida de muito mais gente.

No início de 2020, lançamos o nosso Seguro Auto e já estamos na casa dos 70 Piers no nosso time. É uma história cheia de marcos importantes, especialmente para uma empresa que tem tão pouco tempo de mercado, não é mesmo? Nesse ponto, é importante registrar que tudo o que vivemos até aqui só foi possível do ponto de vista operacional porque tivemos a parceria da Too Seguros. Somos muito gratos pelo caminho até aqui. Especialmente porque, embora tudo pareça lindo olhando daqui, no começo da Pier colecionamos uma série de “nãos” de diversas seguradoras.

Vamos aos números? Conversamos com mais de 47 seguradoras e ninguém parecia querer nos dar muita atenção. A gente já praticamente tinha esgotado as possibilidades quando o nosso caminho se cruzou com o da Too. Isso permitiu que a gente seguisse com força total no plano de trazer mais amor e leveza para o mundo dos seguros.

Inclusive, muita gente romantiza os “nãos” que todo empreendedor leva no caminho, mas pouca gente fala sobre eles. Aqui na Pier, durante o onboarding de novos Piers no nosso time tem uma apresentação especial, feita pelo Igor, nosso CEO, que conta em detalhes as tantas histórias dos muitos “nãos” que tomamos até aqui. Acreditamos que isso ajuda as pessoas a se naturalizarem com essa realidade inerente ao que estamos tentando construir.

Como o Sandbox muda a história da Pier

Para você entender como o Sandbox muda a nossa história é importante a gente explicar a diferença entre vender seguros e subscrever riscos. Para vender seguro no Brasil, basta ser um corretor ou um estipulante, por exemplo, como era o caso da Pier antes de aprovação no Sandbox.

Já para subscrever riscos, não é tão simples assim: atualmente, por lei, apenas as empresas autorizadas pela Susep para atuarem como seguradoras é que podem subscrever riscos. Isso significa que somente uma seguradora pode ser dona de um produto de seguros e liberar esse produto para a venda. 

Antes do Sandbox Regulatório da Susep, o mercado de seguros era exclusivamente tomado por grandes empresas tradicionais, por conta da dificuldade de se tornar uma seguradora no Brasil, até então. As indústrias de pagamentos e de bancos, por exemplo, viveram algo parecido até o surgimento das inovadoras fintechs. 

Sendo Seguradora Digital, a Pier tem agora uma licença da Susep para subscrever riscos e isso quer dizer que não precisamos mais de um parceiro operacional.

Os benefícios do Sandbox para a nossa comunidade

Bem objetivamente, isso afeta a vida da comunidade de algumas maneiras:

  1. Com mais possibilidades de expansão de produtos, coberturas e territórios, já que agora a Pier tem mais liberdade para inovar porque não precisamos mais de uma parceira operacional;
  2. Com pagamento de reembolsos ainda mais rápidos, já que agora toda a tecnologia que usamos para aprovar pagamentos fica aqui dentro de casa;
  3. Com mais satisfação: já que agora toda a tecnologia que usamos fica dentro da nossa casa e vamos conseguir ser ainda mais eficientes com a nossa comunidade.

Com mais qualidade no serviço de seguros de forma geral, já que a concorrência passa a ser maior no mercado.

Satisfação nas nuvens

Desde o início da Pier somos motivados por fazer algo completamente novo. Do nosso jeitinho, acabamos com algumas distorções da indústria de seguros  e trabalhamos para entregar cada vez mais uma experiência sensacional, com um nível de satisfação absurdo, especialmente falando de seguros, que normalmente são detestados pelas pessoas. 

Para se ter uma ideia, hoje o NPS (Net Promoter Score: número que indica a satisfação de clientes sobre um produto) da Pier é de 87, enquanto que um NPS considerado excelente gira em torno de 60.

Reembolsos automáticos, feitos em menos de 1 segundo

Queremos oferecer o melhor seguro do mundo e , por isso, não nos damos por satisfeitos com o nosso recorde de pagamento de reembolso, feito em 38 segundos após o envio da documentação. 

Com essa licença que a Susep nos deu, queremos vamos fazer pagamentos instantâneos e não vemos isso longe da realidade atual da empresa. Hoje em dia, os pagamentos de reembolsos de boa parte da nossa base já são pré-aprovados antes mesmo de acontecerem. Com tudo o que precisamos dentro de casa, o que queremos fazer é levar tecnologia para esse processo e conseguir fazer algo em torno de 60% dos pagamentos totalmente automáticos e em 1 segundo ou menos. 

Infelizmente, isso não será possível para todos os pagamentos, mas aqui na Pier, atualmente, 85% dos reembolsos já são feitos em até 5 dias, o que é bem mais rápido do que o prazo estabelecido pela Susep, de até 30 dias.

Mais tecnologia, mais perfis na comunidade

Além disso, queremos revisitar os mais de 120 mil pedidos de convite para entrar na nossa comunidade que não foram aprovados. Agora que somos responsáveis pela subscrição dos riscos dos nossos membros, entendemos que podemos usar ainda mais tecnologia para analisar perfis e ter mais liberdade para aceitar novos membros.

Nessa mesma linha, vamos também usar tecnologia para aperfeiçoar ainda mais nossos métodos de coleta e análise de dados, o que vai nos ajudar a precificar melhor nosso produto. Quem sabe até de forma mais individualizada? Essa é a meta. 

A favor dos dados sempre há argumentos!

Para se ter uma ideia, atualmente a gente pede apenas 4 variáveis para fazer uma cotação do nosso Seguro Auto (Nome, CPF, placa e CEP), enquanto que uma seguradora tradicional pede cerca de 20. A gente consegue com estas 4 variáveis avaliar mais de 6 mil dados do usuário, o que já nos faz pelo menos 20 vezes mais eficientes que o mercado e muito mais democráticos na aceitação das pessoas em nosso seguro.

Daqui a pouco mais de 1 mês, mais especificamente em 15 de janeiro, vamos completar 3 anos de operação e sentimos muito orgulho em dividir com vocês que os sonhos que nasceram junto com a Pier estão bem vivos e pulsantes dentro da gente. Oferecendo um seguro que faça o melhor para os brasileiros, estamos confiantes de que vamos ressignificar a relação das pessoas com a indústria e com a cultura da prevenção, ainda pouquíssimo popular no Brasil.

Vamos juntos, do tipo juntos mesmo?

Por fim, entendemos que ressignificar tudo depende do quão perto estamos das pessoas para entender suas dores e oferecer soluções que façam sentido. Por isso, fica pertinho da gente? Queremos fazer tudo isso junto com vocês, mas junto do tipo #tamojunto, junto mesmo, não o junto do comercial de banco.

Deixe uma resposta