Pré, pós ou controle? Saiba como escolher

Já são mais de 230 milhões de celulares no Brasil, e desde os mais básicos até os mais modernos todos têm algo em comum: precisam de um plano de telefonia móvel para funcionar.

E se você já teve dúvidas sobre qual plano escolher ou, ainda, está pensando em trocar o seu plano atual, preparamos este artigo para ajudá-lo na decisão.

Afinal, nós protegemos celulares contra roubo e furto e queremos que você possa usar seu celular da melhor forma possível: com liberdade, plenitude, e sem desequilibrar o bolso!

Para começar, saiba que todos os planos são – ou pelo menos deveriam – ser regulamentados pela ANATEL, a Agência Nacional de Telecomunicações. Nos documentos do órgão nacional regulatório há a descrição de cada operadora e as suas ofertas.

Para decidir qual é o melhor plano, é preciso entender o seu perfil. As perguntas fundamentais são:

  • Quantas ligações costuma fazer e receber por mês?
  • Qual é a sua média de consumo de internet?
  • As ligações são em maioria locais ou interurbanas?
  • As ligações são em geral para números da mesma operadora ou variam?
  • Você tem dependentes ou precisa de uma linha adicional?

Ao responder estas perguntas já será muito mais fácil definir um plano que seja adequado ao seu uso e, talvez, até mais barato do que o que você anda pagando. É importante, portanto, mesmo depois de ter contratado um plano, ir avaliando de tempos em tempos se ele está de acordo com suas demandas.

Pergunte também sobre a questão da fidelidade! Na Pier, a gente tem liberdade como valor básico, por isso deixamos você cancelar o seguro quando quiser pelo aplicativo. Infelizmente, porém, boa parte das empresas em diversos setores do mercado não funciona assim, e aí é preciso pagar multa caso você saia antes de um prazo mínimo estabelecido.

Os prós e contras dos planos

Agora vamos falar sobre três tipos específicos de planos: pré, pós e controle. Veja qual deles parece se adequar melhor ao uso que você faz do celular:

Pré: você é responsável pelo seu consumo. Não há conta mensal. Os créditos são colocados de acordo com o que puder pagar. O fator de alerta é o preço mais elevado no minuto da ligação e do uso dos dados. Além da possibilidade de não ter crédito em uma situação crucial. Ou seja, se você usa muita internet e faz muitas ligações, talvez não seja o plano ideal.

Pós: há uma conta mensal – estipulada de acordo com as suas condições – e está apto para as ligações e uso de dados o mês todo. É preciso atenção para a utilização dos minutos e para a quantidade de internet disponibilizados no seu pacote, uma vez que a conta pode ultrapassar o seu limite de gasto para essa despesa e se tornar um problema. Além disso, caso você não pague a fatura em dia, os serviços são cortados. Já imaginou ficar sem internet no meio do mês?

Controle: é o híbrido entre o pós e o pré. Você paga um valor fixo por mês e utiliza a internet e as ligações oferecidas no plano. A vantagem é não extrapolar os limites e ter surpresas desagradáveis no fim do mês. Se precisar complementar, você coloca a quantia de créditos desejada e volta a acessar os serviços. 

E agora?

Depois de avaliar seus hábitos de uso e as diferentes possibilidades de planos, é hora de pesquisar as operadoras para saber qual tem a melhor cobertura na sua região. Isso faz toda a diferença, uma vez que você paga o plano para poder utilizá-lo. É recomendável também avaliar a reputação e a satisfação dos que já são clientes.

Ao passar por todas essas etapas, o preço costuma ser o fator mais determinante desta decisão. Entretanto, avalie a qualidade, o atendimento e o seu perfil, pois poderá gastar ainda mais com um plano básico se a franquia acabar no meio do mês e você precisar complementar.

Deixe uma resposta