O valor da confiança

“Aquele que não tem confiança nos outros não lhes pode ganhar a confiança” — Lao-Tsé

Qual o valor da confiança? A quem você confiaria sua vida se precisasse? E quem confiaria a própria vida a você se precisasse? Na Pier, nós apostamos em confiança desde o início de nosso negócio. Acreditamos que é preciso confiar uns nos outros para que nosso propósito faça sentido. Apostamos no valor da confiança dentro de nossa comunidade, entre nossos membros, e também em nossa equipe.

Para nós, confiança requer liberdade, mas para se ter liberdade, também é preciso que exista responsabilidade. Ou seja, é exatamente em não precisar saber que mora a confiança.

O filósofo grego Aristóteles dizia que os seres humanos são como animais que precisam viver na presença uns dos outros. Seria algo relacionado ao próprio instinto de sobrevivência que nos atrai uns aos outros e faz com que nosso olhar esteja sempre voltado a outro ser humano. A questão é que nesta relação não há bússola, nem garantia de acertos. Nos relacionamos correndo riscos naturais, uma vez que decidimos confiar uns nos outros. E em geral nosso olhar para o outro também traz reflexos do que temos dentro de nós. Somos como espelhos em determinadas situações.

Foi a confiança, aliás, a ferramenta fundamental que permitiu ao capitalismo se desenvolver ao longo dos séculos. No livro Sapiens, o historiador israelenseYuval Noah Harari explica que a ideia de progresso fez com que as pessoas passassem a confiar mais no futuro e também umas nas outras. “Hoje, a humanidade se tornou uma rede única de cooperação”, disse. E esta confiança levou não apenas os capitalistas a terem coragem de reinvestir os lucros na produção, mas também criou uma construção mental coletiva que fez com que as pessoas passassem a considerar ouro ou dólar como moedas de valor. Antes, acreditava-se que a riqueza era finita.

Mas é importante entender também que o próprio autor ressalta que a confiança, base das relações humanas, é uma percepção que exige atenção e cuidado constantes, caso contrário não há como se manter.

E quando não há confiança?

Infelizmente, é comum que pesquisas mostrem a decadência da confiança entre as pessoas. No Brasil, conforme medição do Instituto Latinobarómetro divulgada no ano passado, somente 4% dos brasileiros diziam confiar na maioria das pessoas. “Somos a região mais desconfiada do mundo, e pelo segundo ano consecutivo registramos um histórico mínimo de confiança interpessoal”, diz o relatório. Em países nórdicos esse índice costuma ser bem maior. Dados da Pesquisa Mundial de Valores (WVS) mostram que o percentual é de cerca de 60%.

Não é à toa que tais países costumam ter os maiores índices relacionados à felicidade segundo o Instituto para Pesquisa da Felicidade (Happiness Research Institute), referência na medição deste tipo de sentimento no mundo. Na Dinamarca, que costuma apresentar frequentes altos índices relacionados à felicidade, existem 8 fatores explicativos, entre eles o da confiança. No país, as pessoas tendem a confiar umas nas outras, e isso acontece das mais variadas maneiras, sendo considerado completamente normal, por exemplo, deixar o carrinho de bebê — com o bebê dentro — fora de um supermercado enquanto se faz compras ou se toma um café.

Como podemos perceber, a confiança costuma servir de base para uma sociedade mais feliz. É quando podemos confiar em quem convivemos que encontramos mais sentido e menos medo na vida. É a confiança que acolhe nosso lado mais frágil como seres humanos e nos dá coragem para desbravar caminhos desconhecidos, para desafiar o status quo, para sair da zona de conforto.

Talvez eu seja enganado inúmeras vezes… Mas não deixarei de acreditar que em algum lugar, alguém merece minha confiança”. — Aristóteles

Nós escolhemos confiar

Na Pier nós escolhemos confiar. Moldamos a Pier com base em confiança mútua e, por isso, queremos que nossos membros sejam a base de um momento de grande importância em nossa história, com a entrada de aparelhos android em nosso sistema de proteção digital. Nós optamos por lançar uma primeira fase de entrada na qual terão acesso apenas indicações de nossos membros. É a nossa versão Beta.

Essa escolha acontece dentro de nossa crença de que em momentos fundamentais, para que seja possível crescer, melhorar, ouvir e testar, é essencial que tudo aconteça dentro de um grupo confiável. Se você já faz parte de nossa comunidade e acredita no poder da confiança, te convidamos a compartilhar a Pier com novos membros que queiram contar com nossa proteção para aparelhos com sistema android e nos quais você também confie.

Acreditamos que é através de colaboração que conseguiremos desafiar o status quo e construir algo completamente novo. Esta fase inicial, portanto, será baseada na confiança que já conquistamos uns nos outros, uma das coisas que consideramos de maior valor no mundo de hoje!

Deixe uma resposta