Que tal uma pausa para um café com os Piers?

Aqui na Pier o ritmo é acelerado, e é por isso que momentos de pausa são tão importantes para a gente. Aquela hora de dar uma paradinha para tomar café, por exemplo, é essencial para descansar e refrescar a mente, além de ser uma excelente oportunidade de socialização. Você também acha isso?

O que o café tem de bom?

Essa bebida parece ser tão eficiente porque libera dopamina, neurotransmissor relacionado à sensação de bem-estar. Além disso, a cafeína age de forma rápida e certeira no sistema nervoso central, elevando o poder de concentração e reduzindo uma possível sensação de cansaço e sonolência.

Apesar de todos esses benefícios, é importante lembrar que o consumo exagerado pode ser prejudicial à saúde. Isso porque o excesso estimula a diurese, ou seja, faz a pessoa urinar mais vezes ao dia e, com isso, eliminar vitaminas e minerais importantes.

Ele pode alterar também a produção de cortisol, hormônio do estresse que mexe, entre outras coisas, com a qualidade do sono e pode causar sintomas de ansiedade. Por isso, procure não ultrapassar o limite de quatro xícaras de 50 ml por dia, ok?

Na Pier, como já dissemos, a gente adora o momento do café. É por isso que chamamos a Marina, aquela Pier fofa que você costuma ver nos vídeos da comunidade, para contar um pouco de sua relação bastante séria com a bebida. Ela também indicou cafeterias próximas ao escritório. Quem sabe você não se anima em tomar um café com a gente? 

Marina e o café: uma relação de amor

“Durante muito tempo fui aquela pessoa que fazia caretas terríveis ao sentir o amargo do cafezinho brasileiro na boca. Foi só quando descobri o café especial que isso começou a mudar e o café virou uma grande paixão. De origem mais artesanal, esse café pode ser estranho pra quem tá acostumado com o sabor tradicional forte e amargo, e com a opção de escolher a intensidade da torra, em algumas cafeterias dá pra tomar cafés mais leves e que, dependendo do método de preparo, até parecem um “chafé”. Foram esses que me conquistaram!

Os cafezinhos que costumo tomar me trazem um monte de sentimentos especiais e já viraram parte da minha rotina. O meu preferido é o primeiro café do dia. Tanto que mudei minha rotina de idas ao escritório para garantir que consigo manter esse hábito! Geralmente trabalho na minha casa pelas manhãs: após um bom banho, preparar meu próprio café virou um momento de autocuidado e um motivo para começar o dia me presentando com algo que eu amo. Todo o processo é super especial e quase terapêutico: a escolha do um grão (muitas vezes trazidos de presente pelos meus amigos), o barulhinho do moedor manual, a escolha do método de preparo (às vezes vou de coado, às vezes de prensa francesa), o cheirinho de começar bem o dia. Esse café vai para a xícara leve e costuma ser bem clarinho e translúcido. Ele me acompanha nas leituras dos primeiros e-mails do dia e abre minha manhã de trabalho. Depois do almoço, costumo ir para o escritório da Pier.

Por lá, o cafezinho é sempre maravilhoso e cheio de surpresas – afinal, nunca se sabe com quem você vai encontrar na copa. No fim da tarde é quando encontro o Flavinho (nosso líder de Data) preparando sua banana com pasta de amendoim. Depois do almoço certamente o Luan vai estar por lá garantindo que não vai faltar café pra galera. Aliás, essa é curiosidade interessante do café da Pier: como não temos uma única pessoa responsável pela preparação, o sabor muda levemente dependendo de quem colocou na cafeteira (eu sempre torço pra gostarem quando sou eu quem prepara!). Ah, já que temos Piers espalhados por todo o Brasil, descobrimos que a pausa para um café é certeza de um bom papo e uma boa conexão mesmo à distância. De Viçosa, a Kika é minha fiel companheira das pausas para o cafe da tarde distribuído!

E quando a gente precisa de inspiração ou de um ambiente legal para trocar uma ideia, a vizinhança não deixa a desejar em opções de cafeterias incríveis para encher os olhos, a boca e o coração de amor! Às vezes passamos em uma dessas cafeterias depois do almoço, às vezes no meio da tarde, às vezes para fazer uma reunião específica. Não tem hora! É o café pra quando o coração pede o carinho do barista e a inspiração de lugares lindos.”

Vizinhança cafeinada

Se você se animou em tomar um bom café nos arredores do escritório da Pier (em Pinheiros/São Paulo), aqui vão três sugestões da Marina. Quem sabe não nos encontramos por lá? 

HM Food Café

Apesar de não ser focado em cafés especiais, o HM tem comidinhas deliciosas e cafés muito bons! É onde vamos quando precisamos de uma dose especial de inspiração e relaxamento, já que o ambiente é repleto de plantas, obras de arte, uma arquitetura incrível e até uma loja de motos retrô! Vale uma passada depois do almoço para tomar um espresso e comer o bolo do dia. Aos fins de semana, serve um dos melhores brunchs da cidade (tragam os crushes).

King of The Fork

Um pouco mais distante do escritório, mas o queridinho do bairro! Gostamos tanto de lá que já chegamos a comprar os cadernos da cafeteria para dar de presente aos primeiros Piers que chegaram aqui esse ano. Para quem curte bike, sem dúvidas vai ser a melhor cafeteria de São Paulo. Vale a pena experimentar o cookie (se pedir pra viagem a embalagem é outra coisa linda) e tomar um capuccino (é o melhor que já experimentei na vida).

Pato Rei

Cafeteria de tradição japonesa recém descoberta pela turma mas que já virou ponto fixo. Foi até meu escritório durante o call de revisão trimestral! Se destaca pelo atendimento sempre ultra carinhoso da galera do balcão, que te ajuda a escolher um café que você vá gostar e te oferece comidinhas sensacionais para combinar. Para quem gosta do estilo “chafé”, o coado no método japonês é a melhor pedida. Mas se quiser experimentar chafé de verdade o chá da casca do café é outra opção surpreendente.

Está na dúvida do que tomar?

A gente também pensou nos indecisos, afinal, são tantas boas opções para fazer aquela pausa para o cafezinho que é normal não saber o que escolher. Confira algumas sugestões a seguir e adote uma vida com mais leveza junto com a gente!

Espresso – Esse café tem origem italiana e para ser produzido requer uma máquina especial para prepará-lo sob pressão. Tem sabor e aroma intensos, já que é bastante concentrado: são 7 gramas de pó para até 50 ml de água.

Média e pingado – Esses dois tipos de café são clássicos. Servidos com leite, especialmente em padarias, a diferença entre eles está, principalmente, na forma de servir e na proporção entre as bebidas. Em geral, o pingado vem em um copo americano e apresenta mais leite que café – ou seja, um pinguinho de café. Já a média é servida em xícaras e é composta por medidas iguais de café (frequentemente espresso), leite e uma fina camada de espuma de leite.

Capuccino – O cappuccino é muito tradicional na Itália, onde foi criado. Por lá, é feito com espresso, leite vaporizado e espuma, todos na mesma medida. Essa composição lembra bastante a média, certo? A diferença está na textura: o capuccino é muito mais cremoso. No Brasil, é comum ainda acrescentar à bebida chocolate em pó ou canela. 

Mocha – Trata-se de uma mistura de espresso, leite, calda de chocolate e espuma de leite. Também é chamado de mocaccino.

Macchiato – Servido na xícara pequena, de espresso, o macchiato é feito apenas com uma dose de café e espuma de leite cremosa.

Café coado – Um queridinho dos amantes de café. O café coado é feito em filtros de papel ou tecido, o método mais tradicional de todos.  Apresenta maior concentração de cafeína, já que o pó de café fica mais tempo em contato com a água. 

Deixe uma resposta