Blog da Pier » Como aumentar a segurança na Internet: 15 dicas práticas para o dia a dia

Como aumentar a segurança na Internet: 15 dicas práticas para o dia a dia

por Time Pier
Criado em

9 min de leitura

Proteção
5
(1)

Muito comum na rotina das pessoas, a Internet é uma facilitadora já que, com somente alguns cliques ou toques em uma tela, você consegue acessar o que quiser e fazer diversas pesquisas.

Seja para usar para trabalho ou para o lazer, ter segurança na Internet é fundamental por ser a melhor maneira de evitar dores de cabeça, como é o caso dos ataques, fraudes e golpes na Internet, algo cada vez mais comum em nosso país.

E está se perguntando como aumentar a segurança nos celulares ou computadores e ter uma navegação mais tranquila e livre de problemas? Então continue lendo esse texto feito por nós da Pier e entenda tudo sobre a segurança na Internet, saiba por que este é um tema importante e conheça dicas cruciais para implementar. Boa leitura!

 

O que é a segurança na Internet e qual a sua importância?

De forma fácil de entender, a segurança na web é o nome dado à série de cuidados aplicados para proteger a si próprio e aos bens, como dispositivos e informações. A ideia, então, é que os dados de uma pessoa não sejam de conhecimento de alguém que não seja o próprio titular; tudo para garantir total privacidade e evitar usos indevidos.

E quando analisamos que diariamente ocorrem diversos cenários de hackeamento, infecções por vírus, roubo de identidade, phishing, pharming e outros problemas com os mais variados objetivos, ter uma proteção contra fraudes faz toda a diferença, e é aqui que vemos a importância de aplicar estas atitudes diariamente.

Mas diferente do que algumas pessoas pensam, isso não é feito somente por meio de aplicativos ou softwares pagos. Afinal, existem opções que são de graça e não envolvem nada além do próprio cuidado, que você saberá por meio deste conteúdo.

 

Existe alguma lei que ofereça respaldo para maior segurança?

Hoje existem diversos procedimentos, métodos e normas que têm como intenção gerar maior proteção ao usuário, bem como eliminar fragilidades e falhas de segurança na Internet que podem facilitar um golpe.

Dentre elas, podemos citar a Lei Geral de Proteção de Dados, que é um marco para defender os direitos dos cidadãos brasileiros com relação à coleta, armazenamento, uso e tratamentos dos dados pessoais.

O problema da LGPD, quando analisamos somente o cenário de segurança na Internet, é que ela apenas influencia sobre empresas. Ou seja, se uma organização sofrer um vazamento de dados dos clientes, ela será penalizada com uma multa de valor máximo de R$50 milhões.

Consequentemente, se você sofrer algum golpe ou fraude por conta própria – no sentido de ter sido uma falha sua que possibilitou o problema -, a Lei não oferece qualquer tipo de indenização ou busca pelos infratores. Assim, se torna necessário contatar o Ministério da Justiça e Segurança para resolver toda a situação.

Isso mostra, ainda mais, a forma como é importante aplicar todos os cuidados (mesmo que sejam, ou pareçam, básicos) enquanto navega pelos mais variados sites e aplicativos.

 

Como aumentar a segurança do meu dispositivo eletrônico?

Para quem se pergunta como aumentar a segurança enquanto usa o aparelho celular, um computador ou notebook, existem alguns cuidados iniciais que você pode tomar no dia a dia. O primeiro deles, e que tem sido cada vez mais comum para celulares, é ativar recursos básicos de segurança. Isso serve como uma etapa inicial de proteção que pode barrar problemas.

Mais do que isso, é bom ter um bloqueio de tela com senha para que somente você seja capaz de utilizar o dispositivo, e é recomendado trocar a senha de tempos em tempos.

Somado a isso, mantenha todos os seus dispositivos sempre atualizados, assim você consegue evitar falhas no sistema que podem ser suficientes para uma invasão.

Mas lembre que estes são somente os passos iniciais para garantir máxima proteção e que existem outras dicas que podem ser aplicadas, então não se contente somente com isso.

 

Instruções para aumentar a segurança ao navegar na Internet

Após entender melhor o que é segurança na Internet, qual a sua importância, alguns pontos iniciais e a questão das leis, o que resta saber são as recomendações mais efetivas. Confira abaixo, então, 15 dicas de segurança na Internet cruciais para você:

 

1. Tenha um bom antivírus

A primeira coisa que você deve pensar para ter maior segurança de dados na Internet é contar com um bom antivírus. Este software é responsável por alertar qualquer tipo de vírus que pode invadir o dispositivo. E se for identificada alguma ação suspeita, o aplicativo envia um alerta.

Caso chegue a baixar arquivos ou documentos de origem insegura, faça uma inspeção com o antivírus antes de abrir. Somado a isso, mantenha o aplicativo sempre atualizado para que ele esteja em constante funcionamento.

 

2. Use senhas fortes e, preferencialmente, diferentes

As senhas são um dos principais pontos quando falamos sobre como manter a segurança de dados pessoais na Internet. E não é para menos, afinal, ela é a forma de acesso à determinada conta (seja bancária, de e-mail, rede social ou do quê for).

Logo, a ideia é ter senhas fortes (que não sejam óbvias, misturando números, caracteres especiais e letras em caixa alta e baixa) e não usar a mesma credencial para mais do que um serviço pelo simples fato de que, se um cibercriminoso conseguir roubar sua palavra-chave, ele poderá acessar mais do que uma conta.

Para aumentar ainda mais a sua segurança, uma boa saída pode ser usar aplicativos gerenciadores e geradores de senha. Por meio dele, que é um aplicativo que guarda as chaves de forma segura, você tem mais tranquilidade ao entrar em um site ou conta.

Ainda seguindo essa linha de pensamento, manter as credenciais salvas em um navegador não é uma boa escolha, pois ele pode facilmente ser invadido e, se tudo estiver salvo, possivelmente você perderá as contas.

O melhor a se fazer é trocar os códigos frequentemente para ter mais proteção.

 

3. Não entre em sites suspeitos ou que não oferecem proteção

Não é novidade que entrar em sites seguros é a melhor forma de evitar possíveis problemas; mas você sabe como identificar qual página se encaixa como livre de perigo e qual não? Essa dica serve principalmente para evitar entrar em links não-oficiais e perder dados pessoais ou sensíveis.

Mas para saber isso é bem simples: se ao entrar na página você observa um ícone de cadeado ao lado da URL (do “www.”), pode ficar tranquilo, pois a conexão é segura e é um site verídico. Caso não tenha, feche a guia o mais rápido possível e não forneça nenhuma informação!

 

4. Bloqueie o acesso à câmera e microfone quando não estiver usando

É muito comum que alguns softwares peçam o uso da câmera e microfone, seja um app de comunicação ou o que for. No entanto, é possível sofrer espionagem ou ser ouvido caso seja permitido o acesso a essas opções e o aplicativo for programado para agir de forma maliciosa.

Para contornar isso, você pode limitar o uso de ambas as configurações, ou colocar uma fita adesiva na câmera do seu notebook ou algum tipo de cobertura neles a fim de reduzir a possibilidade de sofrer com um problema assim.

 

5. Conte com um sistema de criptografia no e-mail

Para gerar ainda mais segurança na troca de mensagens via e-mail, uma boa saída são os sistemas de criptografia. Existem diversas opções no mercado, e todas elas fazem com que você envie mensagens que chegarão completamente codificadas ao destinatário.

Esse é um tipo de ação recomendado para empresas que passam informações confidenciais entre os funcionários, já que fica muito mais difícil de um cibercriminoso interceptar a mensagem e, mesmo caso faça, não será possível visualizar o corpo do e-mail.

 

6. Não clique em links ou faça downloads de arquivos enviados por desconhecidos

Partindo do mesmo princípio da navegação em sites seguros, outra forma de aumentar a proteção – e forte dica para quem se pergunta como evitar golpes na Internet – é não clicar em links ou baixar arquivos de remetentes que você não conhece.

Essa recomendação acontece já que pessoas mal intencionadas podem usar de artimanhas como essas para direcionar até um site e roubar informações ou invadir o dispositivo.

 

7. Evite anúncios duvidosos, seja em banner ou pop-up

No mundo digital, existe o termo malvertising. Ele é a junção de “malicious” e “advertising”, e em tradução livre seria algo como publicidade maliciosa. O nome já diz tudo, mas ele é um anúncio que distribui vírus para a sua máquina ou faz phishing.

A melhor forma de evitar isso é configurar o navegador (no celular ou computador) a bloquear qualquer janela por padrão e, caso não seja possível, não clicar neste tipo de conteúdo a qualquer custo para evitar maiores dores de cabeça e problemas.

 

8. Navegue em guia anônima

Pode parecer besteira, mas navegar de forma anônima é uma ótima maneira de evitar que um site consiga rastrear o que você está fazendo na Internet e não permitir a coleta dos seus dados.

Esta, porém, não é uma dica só para quem quer evitar fraudes e golpes, mas também uma forma de evitar receber anúncios e ofertas de um produto logo após abrir o site de uma loja que vende aquele item.

 

9. Não acesse conteúdos de spam

É muito comum que surjam mensagens automáticas que vão direto para o lixo eletrônico ou até para uma pasta de spam no e-mail. O problema, no entanto, é que geralmente eles são enviados em massa e usados para espalhar vírus e malwares.

O melhor a se fazer é não abrir o link ou anexo das mensagens, marcar como spam, analisar a possibilidade de usar um aplicativo de filtro de spam e tomar cuidado dobrado com os locais onde você divulga o seu e-mail.

Lembre também que, com a LGPD em vigor, você pode solicitar a exclusão dos seus dados em um sistema e descadastrar o e-mail da lista caso não queira mais receber mensagens do remetente.

 

10. Apenas instale softwares e aplicativos confiáveis

Seja um plug-in, software ou qualquer coisa; se não for de uma fonte confiável ou se for de origem suspeita, prefira não instalar.

Estes programas podem estar infectados e causar diversos problemas como roubar dados, contaminar o dispositivo e mais uma série de dores de cabeça. Por via das dúvidas, dê preferência para empresas que você confie e que sejam conhecidas no mercado.

 

11. Firewall ligado, antivírus e sistema operacional atualizados

O firewall é uma barreira entre o dispositivo e outra rede. Ele serve para interceptar tráfegos indesejados e pode ser crucial para evitar a disseminação de um vírus ou software malicioso. Por isso, deixe-o sempre ativo e atualizado a fim de não ter brecha no sistema.

Somado a isso, tanto o antivírus como o sistema operacional (seja Windows ou iOS) devem estar em dia também pelo mesmo motivo. Quanto mais atualizados eles estiverem, mais proteção você possui.

 

12. Tome cuidado com os seus contatos

Não aceitar qualquer pessoa em todas as redes sociais só porque foi enviada uma solicitação de amizade é uma ótima forma de evitar problemas.

Isso acontece já que, aceitando a pessoa (seja um perfil falso ou não), ela possui acesso a uma parte da sua vida, analisando dados privados, fotos e publicações que você faz, entre outras coisas.

Por isso, a ideia é não ser amigável demais e ter somente quem você conhece nas suas redes sociais e em todos os sites que você entrar.

 

13. Desconfie de promoções boas demais

Se você encontrar uma super promoção que beira o impossível, fique atento e desconfie, pois ela pode ser falsa. Então seja um banner falando que você ganhou algo, um super desconto de um produto ou site que você nunca ouviu falar, ou coisas nesse tipo, não são confiáveis, então não clique para não ficar passível de sofrer um ataque de vírus!

 

14. Atenção dobrada ao usar redes de Wi-Fi gratuitas

As famosas redes Wi-Fi de graça podem ser uma mão na roda dependendo de onde você estiver, mas também podem ser a perdição de acordo com o que você fizer. Por isso, a melhor recomendação é não acessar e evitar compartilhar dados confidenciais, seja do seu trabalho ou ao entrar em um site do seu banco.

O melhor a se fazer é usar a conexão do celular e compartilhar com os outros dispositivos ou usar a VPN (rede privada virtual) caso não tenha como rotear a conexão. Desta forma, você mascara as informações por meio de um “túnel criptografado” que faz com que nada do que você está fazendo seja público de alguma forma.

 

15. Nunca passe dados pessoais para ninguém

Junto das dicas que trouxemos aqui, outra ação que você pode tomar para gerar uma maior proteção de dados pessoais é não passar para ninguém, principalmente para quem você não conhece.

Então se alguém enviar uma mensagem para você se passando por funcionário de alguma empresa, dizendo que encontrou um problema na sua conta e vai resolver, mas pra isso precisa dos seus dados, não faça o que ele está pedindo.

A melhor forma de agir em momentos assim é não responder e entrar em contato com a empresa que ele disse fazer parte (caso você tenha algum vínculo com a instituição) para ver se está tudo certo, ou se realmente ocorreu algum problema que precisa ser solucionado.

O ponto aqui é lembrar que, se você tem algum vínculo com a empresa, ela já possui as suas informações. Logo, ela nunca vai te pedir mais nada.

E se você gostou das recomendações que trouxemos hoje, que tal ler mais sobre segurança e tecnologia? Para isso, acompanhe o blog da Pier e compartilhe este texto com um amigo ou amiga para espalhar conhecimento e evitar golpes na Internet!

 

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: