Blog da Pier » Tabela PIPE: como funciona e como ela impacta no reembolso do seguro para celular?

Tabela PIPE: como funciona e como ela impacta no reembolso do seguro para celular?

por Time Pier
Criado em

5 min de leitura

Smartphone
5
(3)

Algum dia você se perguntou quanto custa um celular usado? E dentro dos seguros de celular, você já se perguntou qual é o valor do reembolso que é possível receber?

Esses são dois pontos que muitas pessoas não têm total certeza, mas que são influenciados por uma tabela com valores de celulares chamada de PIPE, pelo menos para nós da Pier, que a criamos e a utilizamos como medida oficial para catalogar e precificar diversos modelos de todas as marcas e predizer qual o valor de cada aparelho celular.

Mas para quem deseja entender melhor sobre esse tema, sabendo o que é, como funciona, para que serve e qual a influência da PIPE, bem como pontos que dizem respeito ao reembolso dentro deste tipo de seguro, continue lendo este texto e entenda tudo sobre o assunto. Boa leitura!

 

Afinal, o que é a tabela PIPE?

Tendo em vista que não existem informações muito precisas e totalmente confiáveis sobre o valor para venda de celulares usados, e até mesmo para saber quanto será restituído por um seguro, a tabela PIPE, criada pela Pier, entra em ação.

Ela é um local que contém todas as informações e preços dos mais variados modelos de celulares e das principais marcas que dominam o mercado. Com ela, fica mais fácil de simular o seguro, sabendo o quanto será pago de mensalidade, montante do reembolso e qual é o preço médio do mercado para um aparelho usado, facilitando a vida de quem deseja vender um aparelho já em uso, por exemplo.

 

Para que serve este índice?

A ideia dessa tabela é que quem deseja cotar seguro celular, bem como quem deseja vender um dispositivo usado, saiba qual é o valor correto a se utilizar. Desta forma, fica mais fácil saber qual o valor dos produtos no mercado, qual será o total possível de reembolso e a mensalidade para manter o seu seguro celular.

Então, para facilitar, ela é a única tabela “oficial” para quem deseja ter isso de forma fácil, já que não existe nenhum outro índice tão completo quanto. Consequentemente, quando uma pessoa quer descobrir por quanto ela pode vender um celular, quanto ela precisará pagar para ter o seguro e quanto ela receberá em caso de sinistro, a melhor maneira de fazer isso – sem usar a PIPE – seria procurando e batendo à mão os preços dos principais pesquisadores e sites de vendas.

Isso dá um trabalho enorme e, na maioria das vezes, não te faz chegar a lugar nenhum. Logo, a tabela PIPE ganha destaque também por gerar mais praticidade e facilidade nestes momentos.

 

Como ela funciona?

Com ajustes de valores feitos duas vezes por ano, refletindo diretamente nas mensalidades e reembolsos, a nossa tabela tem um raciocínio lógico matemático para decidir quais os preços a serem pagos, sempre de forma justa e honesta.

Para isso, nós usamos informações de três fontes: TrocaFone (pegando o preço de aparelhos usados em bom estado), Buscapé (comparando o menor preço nos últimos 6 meses com depreciação de até 10%) e Mercado Livre (analisando o menor preço de vendedores confiáveis).

Ao pegarmos os valores dos dispositivos móveis, tendo essas três referências, usamos o menor valor entre TrocaFone e Buscapé. Mas se por acaso algum modelo específico não constar em nenhum desses dois sites, a referência base se torna, então, o Mercado Livre. Definido o valor, nós fazemos uma avaliação de coerência, comparando o valor alcançado com a última atualização feita na tabela e, se ele for maior do que o presente em nosso banco de dados, mantemos o preço que já estava.

De tal forma, essa alimentação e atualização ocorre frequentemente a fim de manter total transparência com relação aos preços.

 

A PIPE possui impacto no reembolso?

De forma simples, sim, a tabela PIPE influencia diretamente no preço de reembolso no seguro para celular. Isso se dá à medida em que, caso o valor esteja alto, o reembolso e as mensalidades também aumentam. Agora, sempre que existe uma redução no valor do estorno (que é equivalente a uma porcentagem do preço total do aparelho), as mensalidades podem ser reduzidas também.

Vale lembrar que, na hora de fazer a cotação de seguro conosco, você coloca o modelo do seu celular e pode analisar ao certo qual é o valor pago por mês e quanto receberá em situações como furto ou roubo do seu telefone.

 

Relação entre o valor pago por mês e reembolso

Uma dúvida muito frequente entre quem está pensando em contratar um seguro para celular é a questão do valor pago em detrimento de quanto é recebido como indenização. Uma dica muito boa para ter mais tranquilidade, se você se encaixa nesse quadro, é ver isso como um investimento.

O preço que você paga por mês equivale a uma porcentagem do valor total do seu aparelho e, quanto mais novo for o modelo, menor o preço é na maioria das vezes. Em compensação, o valor pago pela seguradora caso aconteça algo chega a 70% do que você pagou para ter o produto, e até mais algumas vezes.

Consequentemente, você não sofrerá prejuízos nem mesmo em situações de roubo ou furto do seu aparelho, já que, caso haja a necessidade de comprar um novo no futuro, terá uma boa quantia de retorno, que você aplicou fazendo e pagando o seguro do telefone anterior.

Então não perca tempo; faça a cotação de seguro online hoje mesmo para ter mais segurança todos os dias e momentos.

 

Como solicitar o estorno no seguro celular

Antes de entrarmos no passo a passo de como solicitar o retorno do valor para a seguradora, é importante saber o que é sinistro. Basicamente, é o nome dado às situações que tornam necessário o acionamento do seguro.

É importante mencionar que todos os acontecimentos cobertos estão presentes na apólice de seguro, documento comprovante do vínculo entre o segurado e a empresa que oferece os serviços. Então se tiver alguma dúvida, basta conferir se a situação é enquadrada como passível de solicitar auxílio ou não.

Dito isso, vamos então ao passo a passo, que é bem simples. A primeira coisa que você precisa ter em mente é o código IMEI do seu telefone, pois ele será importante em todo o processo.

Para começar, é necessário fazer um BO online ou comparecer a uma delegacia para reportar o acontecido, concedendo data, hora, local e o código do aparelho para que a polícia possa rastrear e procurar o dispositivo.

Feito isso, ligue para a central da sua operadora por meio dos números 1052, 1057, *144 ou 1056, *8486 ou 1058 para falar com a Claro, Oi, Tim e Vivo, respectivamente. Enquanto fala com a pessoa que está te atendendo, solicite o bloqueio do celular e fale o código. Quando o bloqueio ocorrer, ele se tornará inoperante, impossível de se conectar com qualquer outro chip.

Fiz tudo isso, e agora? Basta enviar toda a documentação junto a um pedido de reembolso para a seguradora, que vai analisar tudo e conferir se a situação está presente na apólice.

 

Quanto tempo demora para receber o valor após feito o pedido?

Hoje em dia os processos são bem mais rápidos do que já foram um dia. Muito disso se dá devido ao desenvolvimento tecnológico e à influência dos seguros online, que vieram para ficar.

Sendo assim, é possível ter o reembolso em até 5 dias após o envio de tudo o que o seguro pede, a depender se a documentação está correta e se é uma condição de sinistro coberto pela empresa.

Existem vezes, no entanto, em que é necessário enviar novos documentos para que seja feita uma nova análise para, então, ocorrer o estorno. Se esse for o seu caso, é comum que o procedimento demore até 30 dias, de acordo com as normas da SUSEP.

Mas fique tranquilo! A seguradora vai te explicar certinho tudo o que ela precisa para poder efetivar a indenização do seu aparelho. E como agora você sabe mais sobre a influência da PIPE sobre o seguro, que tal conhecer a Pier?  Conte com a gente e tenha as melhores soluções para todas as situações.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: