Transparência

Por que não comprar seguro no carrinho de compras?

Por que não comprar seguro no carrinho de compras?

Neste mês em que tem Black Friday e a primeira parcela do 13º salário chega para muita gente, sabemos que boa parte do mercado está estimulando ao máximo o consumo desenfreado. Aproveitar a data e as ofertas é uma boa, desde que você saiba o que está fazendo. A nossa dica de hoje é: cuidado com o seguro no carrinho de compras. Sabe aquele que vem junto com o celular novo? Ele mesmo.

Temos certeza, inclusive, que você já recebeu muitos e-mails com promoções e o mês mal começou, não é verdade? Mas aqui na Pier nós apoiamos o consumo consciente! É por isso que em novembro estamos divulgando conteúdo que te ajude a decidir com liberdade e lucidez a melhor forma de consumir.

Desta vez vamos falar sobre seguros. Se você comprou ou pretende comprar um celular ou qualquer outro produto e pretende protegê-lo através de um seguro, saiba que a pior coisa que você pode fazer é comprar direto no carrinho de compras, sem sequer pesquisar o que está sendo coberto ali. Vamos falar mais sobre isso?

Ilustração: palavra Seguro dentro de carrinho de compras

Por que não comprar seguro no carrinho de compras?

Quem adquire um seguro no carrinho de compras pode estar comprando gato por lebre, pois em geral o adquire sem pensar muito, ler direito ou compará-lo com outros produtos do mercado. Imagine achar que está protegido e descobrir exatamente na hora do aperto que não está?

Pedimos para a Bárbara Possignolo, advogada na Pier, organizar uma lista dos pontos que você deve considerar ao contratar um seguro. “A contratação envolve a aceitação de diversas condições do produto que estão descritas em documentos não tão fáceis de se compreender, como apólices e certificados, por isso deve ser feita com calma”, afirma.

Nestes documentos é preciso verificar:

  • Qual o âmbito geográfico do seguro, ou seja, se atende apenas uma região, se atende o país todo, se atende fora do país, etc.
  • Quais as coberturas abrangidas. No caso do celular, por exemplo, a Pier cobre furto simples, mas o mercado em geral não cobre, e aí você pode ficar descoberto se algo assim acontecer.
  • Se há hipóteses em que o risco é excluído, ou seja, situações nas quais a seguradora não quer assumir a responsabilidade de indenizar. Nos casos de seguros de automóveis, por exemplo, costuma haver exclusão dos riscos decorrentes de acidentes naturais, como a queda de uma árvore em cima do carro.
  • Se há hipóteses de perda de direitos, como deixar de informar questões relevantes à seguradora.
  • Como funciona em caso de indenização, como quais documentos são necessários apresentar e qual o valor. Muitas seguradoras cobram franquia e você vai precisar desembolsar um valor que não imaginava (caso não tenha lido com cuidado) se tiver que usar o seguro.

“Quando você opta por adquirir um seguro no carrinho de compra sem avaliar com cautela esses pontos, pode acabar contratando um produto que não vai te atender na hora em que mais precisar!”, alerta Bárbara.

Ilustração lápis e papel em branco

Outros pontos para colocar na lista:

No caso do seguro de celular, nós optamos pela transparência e queremos que você escolha aquele que lhe cabe melhor.

Aqui na Pier, por exemplo, não cobrimos queda e nem danos por líquidos, mas cobrimos furto simples, que o mercado não cobre. Detalhamos outros pontos que merecem ser considerados, alguns já citados pela Bárbara, para você levar em conta ao escolher:

-Cobre furto simples e qualificado? – A maioria das seguradoras não cobre furto simples, por isso é muito comum alguém não ser reembolsado se acontecer isso. Nós optamos por cobrir e, até março de 2019, mais de 55% dos nossos reembolsos foram furtos simples, que não teriam sido cobertos por mais ninguém no mercado. Furto simples é quando a pessoa não percebe o furto e tão pouco encontra vestígios de arrombamento.

– Cobre danos por líquido ou queda acidental? – Se a sua preocupação é que algum líquido caia no celular e ele deixe de funcionar por causa disso, vale a pena perguntar se a seguradora cobre este item. Aqui nós não cobrimos, então avalie o que você precisa realmente.

– Precisa de nota fiscal? – Essa pergunta é importante para quem ganhou ou comprou o aparelho e não tem a nota fiscal. Isso porque a maior parte das seguradoras pede a nota caso precise reembolsar o usuário em caso de sinistro. E aí você corre o risco de pagar e se ver sem proteção caso venha a realmente precisar. A Pier é uma das opções do mercado que não exige nota. Informe-se antes de contratar!

– Cobre aparelho novo e usado? – Os aparelhos novos costumam ser cobertos sem problemas, mas algumas empresas só cobrem aparelhos com até determinado tempo de uso. Nós cobrimos novos e usados.

– Qual a reputação da empresa? – Checar a reputação da empresa é fundamental para evitar problemas. Tente pedir indicações, verificar depoimentos de usuários e também pesquisar na internet a respeito da seguradora ou insurtech. Quanto menor o número de reclamações e maior o número de elogios, melhor! Recomendamos verificar o site Reclame Aqui e as redes sociais das empresas.

– Exige carência? – É importante checar se o seguro é anual ou mensal e se é preciso cumprir carência para que ele comece a valer. No caso da Pier, a proteção começa a valer assim que a contratação é feita, e a renovação é mensal. Você pode viajar e aproveitar para deixar protegido o smartphone.

– Dá para cancelar sem multa? – Checar como funciona o contrato se você não quiser mais o seguro também é algo importante. Há seguradoras que fazem contrato anual e que cobram multa caso o consumidor cancele antes do prazo. Perguntar na hora da contratação pode poupar muita dor de cabeça.

Tem franquia? – É importante saber se a seguradora cobrará franquia na hora em que você precisar acioná-la. Boa parte das empresas cobram um percentual do valor do aparelho quando a apólice precisa ser acionada. Aqui a gente não cobra.

– Qual o valor e quanto tempo demora o reembolso? – Finalmente, outro ponto importante é checar o valor do reembolso. Se for furtado ou roubado a seguradora ou insurtech vai te dar um aparelho ou o valor correspondente? De quanto será este valor e quanto tempo demora para receber? A Pier mostra na home as opções de reembolso, que podem ser de 80% ou 100% do valor de um seminovo. Com relação ao prazo, a maior parte dos reembolsos que fazemos é paga em até 5 dias, e já chegamos a reembolsar em menos de 5 minutos!

Atenção à garantia estendida!

É importante lembrarmos que alguns seguros oferecidos no carrinho na verdade são apenas uma garantia estendida. Ou seja, o aparelho que você compra já vem com um seguro de fábrica que garante defeitos de fabricação por determinado tempo. Depois que esse tempo acaba, o aparelho não terá mais essa garantia, e aí, se você quiser, pode contratar a garantia estendida no momento da compra.

Só que este seguro cobre apenas o que o seguro de fábrica já cobria, apenas dura por tempo maior que o previsto em lei, então fique atento ao que está comprando, pois neste caso não existe proteção contra nada além disso.

Leia atentamente o contrato e se informe sobre todos os pontos que mencionamos neste artigo. O Procon orienta que todo produto já conta com o amparo da garantia legal e contratual.