Início » Seguro com proteção contra terceiros é a mesma coisa que seguro com franquia?

Seguro com proteção contra terceiros é a mesma coisa que seguro com franquia?

O seguro RCF é uma ótima opção para evitar algumas situações, como a obrigação de pagar por danos causados em um acidente de trânsito. Mas você sabe dizer se essa cobertura funciona como uma franquia de seguro? Para tirar essa dúvida e saber tudo sobre o assunto, leia esse texto da Pier Seguradora!

por Time Pier
Criado em

5 min de leitura

Segurês
5
(1)

Ao enfrentar o trânsito, é muito comum encontrarmos uma grande quantidade de carros. E não é para menos, já que, de acordo com uma pesquisa da Secretaria Nacional de Trânsito do Ministério de Infraestrutura, existem quase 60 milhões de carros no Brasil.

Em um cenário como esse, não é raro presenciarmos acidentes, sejam eles envolvendo somente um carro ou não, e é exatamente por isso que ter um seguro é a melhor opção para quem quer se livrar de maiores preocupações.

Isso se torna ainda mais importante, e impactante, quando analisamos a possibilidade de ter um seguro contra terceiros, que possibilita não ter a obrigação de pagar indenizações mesmo caso seja o responsável em um acidente.

No entanto, esse é um tópico que ainda gera confusão, principalmente quando é comparado com a franquia. Então, se você quer saber melhor sobre esse assunto, continue a leitura e tire todas as suas dúvidas!

 

RCF e franquia são coberturas iguais?

Já que o principal questionamento gira em torno da Responsabilidade Civil Facultativa e da franquia, a primeira coisa que devemos saber é que não, elas não são iguais!

Cada termo é referente a um adicional no seguro de veículos, onde um não substitui o outro. Mas para ficar mais fácil de entender, o melhor a se fazer é conhecer um pouco mais sobre cada um e a respectiva funcionalidade.

Começando por o que é o seguro RCF e como funciona, ele é uma assistência adicional que te livra da obrigação – por lei – a pagar por todos os danos em um acidente não intencional que foi causado por você. Logo, se ao circular no trânsito você gerar um imprevisto dessa natureza, tudo o que você precisa fazer é acionar a sua seguradora de veículos, coletar os dados dos envolvidos e enviar para a seguradora, que fará o contato e tomará as providências para que ninguém tenha prejuízo.

Já a franquia é um termo referente a um valor estabelecido na apólice de seguro para coberturas em consertos. Como assim?

Vamos supor que você sofreu um sinistro sozinho que danificou o seu veículo. Você acionou a empresa e levou para uma oficina, que fez um orçamento para o reparo do carro. Se você tiver a franquia de seguro no seu plano e estiver dentro do valor estabelecido, o seguro pagará e o seu carro será arrumado, sem você precisar colocar dinheiro junto.

Em compensação, se o valor for acima do que foi combinado ao fechar o contrato, a seguradora concede o montante estabelecido e a quantia necessária para fechar o orçamento sai do seu bolso. O modo de funcionamento é como uma coparticipação, onde tanto você como a empresa pagam, juntos, pelo conserto do veículo.

Podemos ver, então, que eles são conceitos totalmente diferentes e que podem estar presentes de forma complementar no contrato.

 

Quais vantagens cada um leva ao plano do seguro?

Dentre os principais motivos para ter um seguro de automóvel, nós podemos elencar as vantagens que tanto a proteção contra terceiros como a franquia oferecem, e elas são muito parecidas. Afinal, em ambos os casos a principal ideia é evitar que você tenha um prejuízo financeiro, seja pagando pelos danos causados a terceiros (físicos, morais, estéticos e eventuais prejuízos causados pela interrupção de atividades profissionais) ou ao seu veículo.

No primeiro caso, especificamente, o seguro faz a indenização para o terceiro, ao mesmo tempo em que arca com despesas judiciais se necessário, enquanto no segundo você recebe uma indenização parcial do seguro a fim de reparar o veículo, sempre no valor acordado inicialmente.

Assim, ao mesmo tempo em que você tem mais proteção e preserva o seu automóvel, ambas as coberturas evitam que você arque com os custos sozinho, o que não pesa no seu orçamento.

 

A indenização para terceiros tem algum valor máximo?

Tudo bem, até então vimos que tanto o RCF como a franquia são formas de evitar maiores problemas caso tenha um carro com sinistro, essencialmente devido a um acidente.

E uma vez que existe um valor pré-determinado de quanto a empresa dispõe para ajudar no conserto do seu carro, a dúvida que fica é se também existe um montante total máximo o qual a proteção contra terceiros pode acontecer.

Aqui, não existe um consenso aplicado por todas as empresas do ramo, mas atualmente o mercado oferece um limite médio de até R$ 50.000 para cobrir todas as despesas se você gerar um acidente com outras pessoas. Como falamos, esse não é um valor absoluto e usado sempre, então é importante analisar qual é o seu limite na hora de fazer a cotação de seguro com a seguradora desejada.

Mas o que acontece se todas as despesas superarem esse valor? Bem, aqui entra outro ponto que não é universal, não sendo retratado sempre da mesma forma entre planos de seguro auto de diferentes empresas do ramo.

Em situações assim, é possível que entre uma função muito parecida com a franquia, e é exatamente por isso que existe o paralelo entre os dois termos. Ou seja, até R$50.000 a empresa é responsável por indenizar os terceiros, mas tudo o que for acima se torna responsabilidade sua.

 

É bom ter tanto a franquia como o RCF como coberturas no meu seguro?

Chegando ao final do conteúdo, outro fator importante de observar é se ter as duas opções dentro de uma mesma apólice é uma boa ideia. Para isso, devemos analisar o seguinte ponto: se eu sofrer um sinistro de seguro, como ambas as coberturas vão me ajudar?

O RCF será de extrema importância à medida em que ele evita que você tenha maiores prejuízos tendo que pagar pelo conserto, e respectivos danos, causados à outra pessoa no trânsito; logo, ter ele no seu plano é ótimo.

Já a franquia é um tópico que divide opiniões. Alguns acreditam que ela é uma boa ideia já que supre consertos de danos até 75% do valor do carro (os famosos danos parciais, já que acima disso se torna perda total), ou ajuda com o pagamento necessário para isso.

Por outro lado, algumas pessoas dizem não ser uma boa ideia por dois fatores:

  1. ter que colocar uma parte do dinheiro do seu bolso também, sendo uma coparticipação;
  2. existem opções de seguro que oferecem reembolso tanto para danos parciais como perda total, fazendo com que você não perca dinheiro, independente do que acontecer, e não precise colocar tirar do seu bolso para reparar o veículo.

Vale lembrar que é possível descobrir, durante o momento de simular o seguro auto, se você possui franquia ou não. De toda forma, é importante ficar de olho a fim de saber se você será apenas uma despesa extra ou de fato um auxílio!

Por serem coberturas adicionais (a menos que você cote o seguro com uma empresa que tem a obrigatoriedade da franquia e não oferece ao menos a possibilidade de tirar), o prêmio mensal do seu plano será um pouco maior do que se for sem esses serviços, mas quando comparado à economia que você terá não tendo que indenizar outras pessoas ou lidar sozinho com o conserto do seu carro, se torna um ótimo custo-benefício para ter mais proteção.

Agora, para se informar mais sobre o seguro auto, entendendo tudo desse serviço para ter menos dores de cabeça diariamente, confira o Blog da Pier, onde trazemos diversos conteúdos para aumentar o seu conhecimento e diminuir as dores de cabeça com o seu carro!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: