Blog da Pier » Início

Início

por Renato Mesa
  • Como comprar carro usado com segurança?

    Como comprar carro usado com segurança?

    Seja para conquistar o sonho do carro próprio ou para trocar o veículo atual, optar por um automóvel usado pode ser uma ótima opção para quem quer economizar. Com boas opções disponíveis no mercado, alinhado aos preços atrativos e à facilidade do financiamento, a escolha de um veículo seminovo ou usado pode ser a sua chance de avançar na negociação.

    Embora tenha suas vantagens, comprar um carro que já tem alguns anos de estrada também gera dúvidas e pode causar uma dor de cabeça. Para te ajudar na escolha e fugir das ciladas, separamos 10 dicas essenciais para você levar em consideração durante a negociação. 

    Boa leitura!

     

    1. Não confie em ofertas e preços muito baixos

    Logo de cara nós já temos um ponto que requer muita atenção no que diz respeito ao preço do veículo. Mas para saber se está muito abaixo, a primeira coisa que precisa ser feita é conferir o preço do modelo desejado na tabela FIPE, vendo o modelo e ano específicos do veículo. Fazendo isso, você encontrará um valor que é o preço médio daquele automóvel.

    E se ao procurar em lojas você achar o mesmo carro mais barato, ou seja, abaixo do valor da tabela oficial, fique alerta desde já. Confira a verificação do vendedor ou da garagem, agende um encontro para ver o veículo e faça um test-drive nele. 

    🔧 Mecânico de confiança: uma boa alternativa é levar o veículo ao seu mecânico de confiança para uma pequena revisão antes de fechar negócio e entender se o valor é mesmo uma promoção ou se está escondendo algum problema.

    Abaixo, trazemos mais dicas que podem ou não influenciar no valor do veículo. Fique de olho!

     

    2. Analise o chassi e as peças do carro

    Por meio da análise das peças do carro, você consegue ter uma ideia se o veículo já sofreu manutenções e se ele está em bom estado.

    Uma das principais coisas que você deve se atentar, e por isso recebe um destaque maior, é o chassi. Ele é como se fosse um RG do carro que mostra informações importantes como local de fabricação, ano e modelo, bem como o número de série que ele possui (que é único, igualzinho ao seu documento de identificação pessoal).

    🔍 O número de chassi normalmente fica no bloco do motor, na carroceria e nos vidros do carro.

    É essencial verificar esses dados para saber se ele não foi adulterado, se todas as numerações batem com a do documento do carro. Se tiver qualquer discrepância de informações, contrate uma empresa especializada em vistoria veicular para ter o laudo e saber se ele está correto.

    Além disso, analise peças como o motor, os pneus, a lataria como um todo e todos os vidros antes mesmo de fazer o test-drive, vendo se está tudo em ordem ou se você poderá ter possíveis dores de cabeça com pouco tempo de uso.

     

    3. Não se sente confortável em conferir as peças? Leve um mecânico especializado para te ajudar!

    Como contraponto ao tópico anterior, se você é uma pessoa que não entende muito de veículos e tem o receio de acabar caindo em algum golpe ao decidir adquirir um carro usado, a melhor coisa que você pode fazer é levar um amigo que conhece bastante do assunto ou um profissional especializado, preferencialmente um mecânico. 

    Se possível, como comentamos no item 1, é recomendável até mesmo levar o veículo até a oficina de um profissional de confiança.

    Dessa forma, será possível fazer uma série de análises mais minuciosas do veículo, conferindo possíveis danos no motor, desgaste das peças, se houve troca dos equipamentos originais e até mesmo alguns detalhes que podem indicar que o automóvel já sofreu uma batida forte ou possui problemas estruturais, entre outras situações.

    Agindo assim você se assegura de que não vai perder dinheiro com a compra deste veículo, caso chegue a efetivar a transação.

     

    4. Não compre o veículo sem ver o automóvel antes

    Pode parecer óbvio para você, ou algo que com certeza você não faria, mas existem casos de pessoas que ficam tão apaixonadas e encantadas com uma oferta que acabam não parando para ver o veículo com os próprios olhos, por assim dizer, antes de efetivar a compra. 

    O problema disso? Você pode cair em um golpe e nunca chegar a ter em mãos e ver, de fato, o produto que você está comprando.

    A melhor coisa a se fazer, independentemente se você vai comprar de forma presencial ou online, é ver o carro. Desta forma, você pode saber se é de dono único, qual é a quilometragem rodada, se a procedência é boa, se todas as peças estão em bom estado (como abordamos nas duas dicas anteriores) e pode até mesmo fazer um test-drive para sentir a direção do veículo e ver se ele é mesmo bom o suficiente para os seus dias.

    Tudo isso, junto, é uma das melhores formas – se não for a melhor! – de evitar qualquer tipo de dores de cabeça e problemas futuros!

     

    5. Faça o encontro para ver o carro em espaços públicos e não vá sozinho

    Caso esteja negociando diretamente com o proprietário, o mais recomendado é marcar para ver o carro em um local público e não ir sozinho.

    Isso é necessário a fim de que você fique mais seguro, evitando possíveis problemas causados por pessoas mal-intencionadas. Além disso, ter alguém com você é uma ótima forma de garantir a sua integridade. 

    Lembre-se também de nunca enviar qualquer tipo de dado pessoal para o vendedor, seja o endereço da sua casa ou do seu trabalho, ou qualquer outro que possa comprometer a sua segurança pessoal caso seja um golpe.

     

    6. Dê preferência para negociações seguras

    Devido ao alto número de revenda de carros em nosso país, uma situação que pode acontecer é a clonagem de um anúncio de carro onde o “vendedor” diz que está vendendo o veículo em nome de outra pessoa. Ou seja, não é o real proprietário do veículo quem está fazendo a venda.

    Por isso, algo que você deve sempre dar prioridade é fazer a negociação diretamente com o dono do veículo ou com o representante oficial da loja. Evite intermediários e terceiros, pois isso pode ser apenas um golpe.

    E para quem se pergunta onde comprar carros usados com tranquilidade, existem diversas lojas que fazem isso, sendo o meio mais seguro e efetivo para que a sua compra seja feita sem qualquer tipo de complicação para os seus dias.

     

    7. Pergunte qual é o motivo da venda

    Outra coisa que você não pode deixar passar batido é saber o motivo da venda do carro

    Agindo assim, você não somente consegue identificar possíveis golpes como também se previne de situações onde o carro parece estar ótimo, mas, na verdade, ele foi batido e por isso o antigo dono quer se livrar da dor de cabeça (e peso no bolso) que o conserto geraria.

     

    8. Prefira parcelar por meio de um banco

    O parcelamento por meio do banco é o famoso financiamento de carros. Esse é um dos melhores métodos tanto para quem está vendendo como para o comprador, já que o primeiro se livra de problemas (recebendo o dinheiro adequadamente) e o segundo consegue parcelar, dividindo o pagamento em leves prestações.

     

    9. Antes de fechar a compra, confira se todos os impostos do veículo estão em dia

    Não é novidade para ninguém que os proprietários de automóveis possuem diversos impostos para pagar a cada ano. Dentre eles, temos o IPVA, DPVAT e o licenciamento, e todos eles são indispensáveis para quem possui um veículo.

    Por isso, se você já analisou tudo o que indicamos antes e está prestes a fechar a sua compra, não deixe de analisar se toda a documentação está dentro dos padrões necessários. Para isso, basta entrar no sistema do Detran e procurar o carro pela placa e por meio do Renavam do veículo.

    Assim você consegue ver tudo: se há multas e impostos pendentes (até mesmo os valores de cada um), se existem restrições, se o antigo dono esteve em processos judiciais, se há financiamentos não quitados, se houveram sinistros ou até bloqueios devido a uma não transferência do veículo.

     

    10. Faça a transferência do carro adequadamente

    Por fim, mas não menos importante, a transferência do carro é algo que deve ser feito e que você deve ter muita atenção. Esse processo precisa ser feito em até 30 dias após o preenchimento do Certificado de Registro do Veículo (CRV), que deve ser assinado pelo vendedor. Então confira se tudo está acontecendo adequadamente. 

    Vale lembrar que somente é possível transferir o carro se não tiver nenhuma pendência, e todas as etapas podem ser feitas pelo portal do Detran do estado em que o carro está registrado.

    Caso após esse período a transferência não ocorra, o comprador pode receber uma multa de natureza grave, com cinco pontos na carteira e multa de R$195,23.

     

    Comprou seu novo veículo? Faça o seguro para ter ainda mais segurança!

    Agora que você já comprou o seu mais novo veículo, outro fator importantíssimo é garantir mais tranquilidade de andar com ele por aí. E o seguro é a melhor alternativa para te ajudar em qualquer situação ou imprevisto que vier acontecer.

    O melhor de tudo é que, aqui na Pier, nós oferecemos um plano que cabe no seu bolso e você pode contratar online. Nós aceitamos veículos usados, não temos carência e trabalhamos com planos mensais. Para saber mais sobre como nós podemos te ajudar, entre em nosso site e faça uma cotação!

    Agora que você já conhece mais sobre como comprar um carro usado em segurança, que tal conferir algumas dicas de cuidado com esse veículo que te ajudarão a ter mais tranquilidade e aumentar o tempo de vida útil dele? Confira o nosso Blog e veja as dicas que separamos para você!

     

     

  • 12 dicas para quem está começando a dirigir

    12 dicas para quem está começando a dirigir

    Para poder dirigir no Brasil, é necessário ter a Carteira Nacional de Habilitação, a famosa CNH, como é mais conhecida. Para tirar esse documento, a primeira coisa necessária é ser maior de idade, ou seja, fazer 18 anos. 

    Após esse momento, você pode dar início ao processo que consiste em começar as aulas teóricas em um CFC (Centro de Formação de Condutores), fazer uma prova do Detran sobre os conhecimentos que você adquiriu para, então, dar início às aulas práticas e fazer a prova final.

    Após a aprovação no exame prático, é questão de dias para que a sua CNH provisória (que tem validade de um ano) esteja em suas mãos. Esse é um momento que gera certa ansiedade, mas também muita felicidade. Afinal, o percurso até aqui precisou de tempo e muita dedicação.

    O período de adaptação entre sair das aulas e pegar a estrada sem auxílio dos professores pode assustar, mas não é nenhum monstro de sete cabeças, é só uma questão de costume e prática, algo que com certeza você vai pegar com o tempo! 

    Dirigir ouvindo música, arrancar o carro em uma subida ou fazer a baliza pode ser mais fácil do que você imagina. Separamos 12 dicas para te ajudar nesse período de adaptação, vem ver:

     

    1. Lembre da distância segura para o carro da frente

    Algo que você foi ensinado durante as aulas teóricas e enquanto estava no processo de aprender a dirigir é a questão da distância segura, ou distância de segurança. Ela é fundamental por ser uma forma de evitar qualquer tipo de colisão, grave ou não.

    💡 Então a nossa primeira dica é exatamente essa: mantenha distância para o carro que está a sua frente, usando como referência a visibilidade total das rodas do veículo para evitar qualquer tipo de problema.

     

    2. Cuide bem dos pneus

    Apesar de ser uma dica válida para todos os momentos, estar atento ao nível de desgaste dos pneus é essencial. Você deve manter também a calibragem em dia, até como forma de evitar um alto desgaste que pode causar outros problemas.

    Além disso, tome cuidado também com a Indicação de Desgaste de Banda (TWI, Tread Wear Indicator), conferindo se o nível da banda de rodagem está abaixo de 1,6 milímetro. Se a altura do suco estiver abaixo disso, é a hora de trocar esse item para não ter complicações!

     

    3. Vai dirigir de noite ou na chuva? Tenha atenção dobrada!

    Dois pontos muito importantes para quem está começando a dirigir são a direção durante a noite e enquanto está chovendo. Afinal, são duas situações em que qualquer erro, por menor que seja, pode gerar algum acidente ou problema. Muito disso se dá devido ao fato de que tudo fica mais difícil e demorado de se ver.

    Então antes mesmo de sair durante a noite, lembre-se de conferir se todas as lanternas e faróis estão funcionando corretamente para ter máxima visibilidade, e não esqueça de manter uma distância ainda maior do que durante o dia.

    Para os dias de chuva: sempre ande abaixo do limite indicado e redobre a atenção. Cuide com frenagens bruscas, que podem levar o carro a derrapar, e evite ao máximo áreas alagadas, dependendo de onde for, talvez você corra o perigo de ficar com o carro parado ou de que ele seja levado pela enxurrada.

     

    4. Se possível, evite pegar trânsito

    É claro que, dependendo de onde você mora e para onde você vai, isso é um tanto quanto complicado e por vezes até impossível de se fazer, mas sempre que puder evitar, faça isso para ter mais tranquilidade. De toda maneira, algo que nós indicamos muito para quem busca dicas para começar a dirigir é evitar o “anda e para”.

    Além de economizar combustível e não ter problemas com as peças do seu carro, isso é ótimo para não sofrer ou causar acidentes. Por isso, o melhor a se fazer é procurar coordenar a velocidade do carro, acelerando quando tiver uma distância interessante para o veículo à frente.

     

    5. Evite pesos desnecessários

    Você sabia que, dependendo do peso que estiver no seu veículo, isso pode atrapalhar o bom funcionamento do mesmo? Por isso, evite qualquer peso que esteja atrapalhando para chegar ao melhor uso possível do seu carro.

    Um veículo pesado pode influenciar na dirigibilidade, no gasto de combustível e no esforço mecânico. O excesso de peso, por exemplo, pode dificultar na hora de parar o carro e ao sair de uma curva. 

     

    6. Atente-se à postura

    Manter a postura correta é algo que faz toda a diferença e que é fundamental para quem se pergunta como aprender a dirigir da forma correta e para não ter maiores problemas. Afinal, dessa maneira você não só tem uma condução adequada do veículo como também evita possíveis dores no corpo que, a longo prazo, podem ser muito prejudiciais à você.

    Além disso, a postura correta também te ajuda no tempo de resposta para agir em alguma emergência. 

    ✌ ️Postura ideal para dirigir: mantenha a coluna reta e os braços esticados, gerando um pulso firme para ter maior controle do veículo e não desenvolver problemas de saúde. É importante lembrar ainda que o encosto de cabeça deve cobrir toda a nuca, preferencialmente e não não na parte mais alta do seu pescoço, como muitos fazem.

     

    7. Celular e volante não combinam!

    Dentre os cuidados que você precisa tomar ao volante, algo essencial para lembrar é que celular e volante não combinam. Afinal, você fica distraído e, assim, pode causar um acidente de trânsito. Mas como se não fosse suficiente, a situação é uma infração gravíssima, fazendo com que você perca a sua Permissão Para Dirigir (PPD) e ainda seja multado em R$293,47 pelo ocorrido.

    Ou seja, além do alto risco e perigo no trânsito, você não poderá pegar a sua primeira CNH, que nesse caso será a definitiva, por ter dirigido enquanto mandava mensagens ou falava ao telefone.

     

    8. Fique esperto com os pontos cegos

    O retrovisor é um dos itens de segurança que você precisa usar no dia a dia para máxima segurança. E para quem se pergunta como dirigir um carro, um dos pontos que você deve se atentar diz respeito aos pontos cegos do espelho retrovisor.

    Sem prestar atenção, você fica mais suscetível a causar acidentes com outros carros e com motos também. Por isso, sempre que for trocar de faixa, sinalize devidamente com a seta e fique muito alerta se não existe outro veículo no local, garantindo que não terá problemas.

     

    9. Conheça bem o carro que você vai dirigir

    Existem pessoas que falam sobre ótimas opções de carros para começar a dirigir, mas é fato que todo veículo é bom o suficiente mesmo para quem está começando se você o conhece bem. Por isso, uma das melhores coisas que você pode fazer é conhecer as características e diferenças únicas que o modelo que você vai dirigir possui.

    🚨 Não se esqueça de conferir:

    • Os botões de faróis
    • As setas
    • O limpador de para-brisa dianteiro e traseiro
    • O modo de funcionamento do banco
    • A regulagem dos retrovisores
    • O uso das marchas (se possível, troque de marcha com o veículo estacionado para entender onde é o ponto de cada uma)
    • O funcionamento de cada um dos pedais do veículo
    • Qual é o tipo de câmbio
    • O volante
    • O freio de mão 
    • Além de outros comandos que podem ser usados por você enquanto dirige

     

    10. Respire fundo antes de ligar o veículo

    Tendo em vista que existem várias situações que podem acontecer no trânsito e que quando você não possui uma experiência total de como é andar de carro enquanto está fazendo as aulas práticas, é normal ficar com um pouco de ansiedade antes de começar a dirigir.

    Então se esse for o seu caso, respire fundo algumas vezes, sentindo o ar que entra e sai dos seus pulmões, sendo essa a melhor forma de se acalmar e ter máxima tranquilidade a fim de evitar problemas que o nervosismo pode causar.

    Dois pontos que podem te ajudar nisso, inclusive, são optar por horários mais calmos (fora dos horários de pico), e ir por caminhos tranquilos (evitando vias expressas e avenidas movimentadas).

     

    11. Use todos os equipamentos de segurança

    Não é novidade para ninguém que os itens de proteção estão lá para que você esteja o mais seguro possível em todos os momentos, não é mesmo? Por isso, não se esqueça de colocar o seu cinto de segurança e de se assegurar que tudo está em ordem antes de dar a partida no carro!

     

    12. Pegue leve!

    Quando se está no trânsito, uma pessoa dirige por ela mesma e por todos os outros que estão à sua volta, o que torna necessário ter muito cuidado com todas as ações que você tomar enquanto atrás do volante. Por isso, pegar leve e ter muita atenção é fundamental.

    Para o primeiro ponto, lembre-se de não acelerar excessivamente, pisando levemente no pedal até para não forçar o motor e economizar combustível, e também para sentir bem o carro e a direção, evitando problemas para controlar.

    Somado a isso, evite deixar para frear muito em cima, seja do farol que ficou vermelho ou do carro à sua frente. Esse tipo de situação, de deixar para frear no último momento, apenas gera um maior gasto de economia e desgaste das pastilhas e discos de freio.

    Já no quesito atenção, é importante lembrar que, por ter pouca experiência, seu tempo de reação e reflexo é um pouco mais demorado. Por isso é essencial ter todo o cuidado, mantendo uma distância segura do carro da frente e ficando de olho em todos que estão à sua volta.

    Ter um carona experiente é outra dica importantíssima. Se for uma pessoa que mantém a calma, que tenha bastante paciência e que não vai deixar você nervoso, é melhor ainda! Assim você pode receber alguns toques sobre quando e como mudar de pista, hora de trocar de marcha, qual marcha usar para subir ou até mesmo como fazer uma curva da melhor forma possível.

     

    Dica extra: tenha um bom seguro ao seu lado!

    Coloquei todas essas dicas em ação, existe mais alguma coisa que eu posso aplicar para os meus dias para ter ainda mais tranquilidade? Sim! 😍

    Para isso, a melhor pedida é ter um bom seguro de carro ao seu lado! Afinal, ele auxilia você em qualquer situação que vier acontecer. Seja um pneu furado, uma cópia de chave ou até mesmo um imprevisto maior, como o conserto do carro após uma batida.

    A Pier oferece um seguro para carros que não pesa no seu bolso, o pagamento é mensal, não tem carência e você pode ajustar as coberturas de acordo com as suas necessidades. Cote grátis e online em poucos segundos!

    E se você gostou de saber as nossas dicas para quem está começando a dirigir sem problemas e quer entender melhor sobre o universo dos seguros, confira o Blog da Pier Seguradora e tire todas as suas dúvidas sobre esse tema!

  • iPhone 14: o que você precisa saber sobre o novo modelo da Apple

    iPhone 14: o que você precisa saber sobre o novo modelo da Apple

    A Apple é uma marca altamente conceituada no mercado de eletrônicos, ainda mais quando falamos sobre os celulares. O iPhone é considerado um dos telefones de mais alta qualidade e também um dos mais tops de linha.

    Anunciado no dia 7 de setembro de 2022, começando a pré-venda no dia 9 e chegando ao Brasil a partir da segunda metade do mês de outubro, o iPhone 14 é o mais novo aparelho celular da marca, que chegou para revolucionar o mercado com as suas atualizações e com as melhorias que ele oferece em comparação ao modelo anterior.

    Se você está pensando em adquirir um smartphone atual e quer conferir tudo sobre o novo iPhone, saiba se ele é uma boa opção para você neste conteúdo que preparamos! Boa leitura.

     

    As diferenças do iPhone 14

     iPhone 14 frente e verso na mão

    Foto: Divulgação Apple

    Quando falamos sobre as diferenças que o novo modelo possui, estamos comparando o novo iPhone 14 com o seu antecessor, que é o 13, lembrando que aqui estamos analisando ambos os modelos base. Sendo assim, você vai sentir diferença nos seguintes pontos caso faça a atualização do seu dispositivo:

    1. Desempenho, já que ele possui mais memória RAM;
    2. Mais autonomia de bateria, o que significa mais tempo de uso do celular;
    3. Melhorias na câmera, já que você consegue ótimos resultados de fotos do iPhone 14.

    Esses são os principais pontos que terão impacto no seu uso diário, mas é claro que ele possui mais diferenças, como é o caso do recurso Photonic Engine, ou motor fotônico em tradução livre, que usa de um hardware e software para capturar melhor as cores, detalhes e brilho nas fotos mesmo em ambientes com iluminação inadequada; um melhor design das câmeras, principalmente já que ela possui lentes maiores e mais robustas e autofoco nas selfies.

    Somado a isso, temos ainda um carregamento rápido da bateria; recurso de carregamento sem fio; alta resolução da tela (de Full HD+) e o Ceramic Shield que, acrescido da certificação IP68, gera mais proteção para a tela do seu aparelho.

     

    Quais são as configurações desse novo dispositivo?

    Entrando nesse ponto, vamos falar especificamente sobre a ficha técnica do iPhone novo. De forma geral, ele é um aparelho completo e ótimo para qualquer tipo de uso. Isso ocorre devido à tela, bateria e conectividade que ele possui. Mas para ficar mais fácil de entender, vamos por partes, analisando cada tópico mais a fundo:

     

    Sistema operacional, dimensões e peso

    Nativo com o mais novo sistema da marca, esse aparelho possui o iOS 16, que oferece as mais novas tecnologias e melhor usabilidade, além de um ótimo design na tela.

    Além disso, as dimensões do aparelho são de 146.7 de altura por 71.5 de largura e 7.8 de espessura – tudo em milímetros –, sendo um dos maiores e mais finos celulares do mercado, tudo isso pesando 172 gramas, o que o torna ótimo de utilizar sem ficar com dor nos braços depois de um tempo.

     

    Rede e conexão

    Com uma entrada de cartão Nano e a possibilidade de usar um eSIM (que é um chip digital, ou seja, é possível ativar o plano de celular sem usar o cartão físico), esse aparelho pode se conectar às redes móveis de 5G para uma ótima transferência de dados e navegação com velocidade sem igual. Além disso, como em outros modelos, ele também pode se conectar ao Wi-Fi e GPS.

     

    Dados técnicos

    Partindo agora mais para o que influencia no desempenho, a versão base desse iPhone possui um processador Apple A15 Bionic com uma GPU de 5 núcleos para alto desempenho e foco no uso eficiente de energia, tornando o processamento mais rápido sem gastar muita bateria para isso. Além disso, ele conta ainda com 6 GB de memória RAM e até 512 GB de armazenamento interno.

     

    Tela

    Outro destaque a parte, a tela possui 6.1″ em uma resolução Full HD+ de 1170 x 2532 pixels, com densidade de 457 ppi para imagens mais nítidas e de maior qualidade. Além disso, a tela com tecnologia Super Retina XDR OLED possui 60 Hz de atualização de quadros por segundo e proteção Ceramic Shield para evitar quebras.

     

    Câmera

    Com duas câmeras de 12 Mp cada e capacidade de resolução máxima de 4000 x 3000 pixel, o iPhone 14 chama a atenção devido à estabilidade ótica, ângulo máximo de 120º e o zoom óptico de 2x somados ao autofoco, foco por toque, flash dual LED, HDR nas imagens, localização, detecção facial e também por causa da câmera também de 12 Mp para ótimas selfies.

    No que diz respeito aos vídeos, você pode gravar em resolução 4K, com foco automático e gravações a 60 ou 240 quadros por segundo, dependendo se será em slow motion ou não. O mesmo vale para a câmera frontal, que também grava em 4K e 60 fps.

     

    Sensores e bateria

    Feito com sensores de acelerômetro, proximidade, giroscópio, bússola, barômetro e microfone com redução de ruído, esse modelo possui também uma bateria de 3279 mAh.

    Isso proporciona cerca de 20 horas de reprodução de vídeo, 16h de streaming de vídeos e reprodução de áudios por até 80 horas sem precisar voltar para a tomada no meio tempo. Mas como se não fosse suficiente, por meio do carregamento rápido de 20 W você pode ir de 0 a 50% em cerca de 30 minutos, além de poder fazer o carregamento sem fio em até 15 W com o MagSafe ou Qi para mais comodidade e facilidade nos seus dias.

     

    Tem mais de um modelo disponível no mercado?

    Expositor de loja com os modelos do iPhone 14

    Foto: Divulgação Apple

    Ao todo quatro modelos foram anunciados:

    • iPhone 14: o modelo normal, que é a base que nós usamos nesse conteúdo;
    • iPhone 14 Plus: voltando ao mercado no lugar da versão Mini que existia até o 13, tendo uma tela maior como única diferença frente ao básico, que aqui é de 6.7;
    • iPhone 14 Pro: com o mesmo tamanho da versão base, as diferenças estão na presença do Always On Display, que permite ver informações apenas olhando para o aparelho, além de uma adaptação visual das notificações e alertas e com um espaço apenas para a câmera e o sensor de Face ID, além do processador A16 Bionic e a presença de uma câmera a mais, que é de 48 Mp e conta com um sensor squad-pixel;
    • iPhone 14 Pro Max: com configuração igual ao Pro, a grande diferença é que essa versão também possui uma tela com 6.7 polegadas. Tanto o Pro como o Pro Max possuem as versões de até 1TB de armazenamento.

    Ou seja, cada um deles é uma versão atualizada do anterior, tendo como principais diferenças o tamanho da tela e quantidade de câmeras, mas sempre com ótima usabilidade e facilidade para todos os momentos.

     

    Por quanto sai cada um deles?

    Analisando o preço do iPhone 14, temos que dividir entre todos os modelos e, cada um, por suas versões com diferentes capacidades de memória interna.

    Para o modelo base, a versão de 128 GB pode ser encontrada a partir de R$7.599, enquanto a de 256 GB aumenta para uma faixa de pelo menos R$8.599 e o de 512 GB começa na casa dos R$10.599. Já para quem quer a versão Plus, os preços são a partir de R$8.599 (na versão de 128 GB), R$9.599 (para o de 256 GB) e R$11.599 (com 512 GB).

    Por outro lado, quem quiser ter um celular ainda melhor os preços na versão Pro são a partir de: de R$9.499 (com 128 GB de memória interna), R$10.499 (para ter 256 GB), R$12.499 (com 512 GB de armazenamento) e R$14.499 (com 1TB de interna). No Pro Max os preços base começam a subir um pouco mais, podendo encontrar as versões de 128, 256, 512 GB ou 1TB a partir de: R$10.499, R$11.499, R$13.499 e R$15.599, respectivamente.

    Valores para novembro de 2022.

     

    Comprei meu iPhone 14, e agora?

    Após fechar a sua compra e ter o seu mais novo celular, a dúvida que fica é: como aumentar a minha proteção e evitar imprevistos? 

    A resposta para isso é bem simples: por meio de um bom seguro de celular! 

    A Pier Seguradora oferece um seguro celular mensal e sem burocracia para toda a linha de iPhone 14. Cobrimos roubo, furto simples e furto qualificado, não temos carência e nem franquia. Em caso de roubo, nosso seguro garante um reembolso rápido no valor de um modelo seminovo. 

    Para ver valores e ter mais proteção, acesse nosso site e faça uma cotação. É fácil e em segundos, você já tem os valores e tudo que precisa para ter mais tranquilidade com seu novo aparelho.

    👀 PS: A Pier aceita aparelhos sem nota fiscal e comprados no exterior, ou seja, mais uma vantagem para quem quiser aproveitar uma viagem para trocar de celular.

  • Quais são os tipos de seguros mais populares?

    Quais são os tipos de seguros mais populares?

    Criado para levar mais praticidade para o dia a dia, o seguro é um serviço muito buscado no Brasil e que possui diferentes opções, sempre indo de encontro às necessidades pessoais.

    A alta procura acontece pelo fato de que as pessoas têm criado a conscientização e a preocupação com o patrimônio, seja ele uma casa,  carro ou celular. Além de ser uma opção que traz garantias para a família, como no caso de seguro saúde ou de vida. Por isso, contar com esse serviço é a melhor saída para estar prevenido contra qualquer que seja o imprevisto ou problema.

    Neste conteúdo, vamos explicar o que é um seguro e quais os tipos mais populares. Boa leitura!

     

    O que é um seguro?

    O nome “seguro” é dado a um serviço oferecido para gerar maior proteção para algum bem escolhido. Normalmente isso é firmado por meio de um contrato e atestado com um documento chamado de apólice.

    Nele constam todas as obrigações, direitos e deveres, tanto da seguradora (empresa que oferece o plano) como também do segurado (aquele que contratou o serviço, ou que é beneficiado diretamente por ele).

    Sendo assim, se acontecer algum sinistro registrado como passível de auxílio por parte da empresa, ela deve fazer todo o necessário para que a situação seja resolvida. Em troca disso, a pessoa que possui o plano deve pagar o prêmio do seguro, que é calculado mediante diversos pontos, como:

    • Capital segurado: que é quanto você vai receber em caso de reembolso pelo sinistro;
    • Idade: seja a pessoa, no caso do seguro de vida, ou o tempo de uso do objeto que está sendo protegido, como um carro.

    Somado a estes, e especificamente para os seguros de vida e carro, o gênero do beneficiado também influencia já que, estatisticamente, mulheres tendem a viver mais do que os homens, além do fato que os homens têm maior tendência a se envolver em acidentes de trânsito.

     

    Como um seguro funciona?

    O seguro funciona como uma garantia de que você não terá nenhum tipo de prejuízo com o bem que está sendo protegido. 

    Para ficar mais fácil, vamos a um exemplo:

    Você possui um seguro de carro e sofreu um sinistro que tornou necessário acionar a sua cobertura contra perda total, que é quando o valor para o conserto do veículo supera 75% do preço.

    Em um caso como esse, considerando que você foi a vítima do acidente, a empresa te dará uma indenização de até 100% conforme o valor do seu carro na tabela FIPE, tudo para que você não tenha nenhum prejuízo financeiro.

    Ou seja, mesmo que você tenha algum problema com o seu bem protegido, algo que não é impossível de acontecer no dia a dia, você possui todo o suporte necessário para que a situação seja resolvida adequadamente.

     

    Quais são os seguros mais comuns no Brasil?

    Em nosso país, por existir uma alta quantidade de veículos, o seguro auto é um dos mais buscados. E não é para menos; afinal, ele cobre situações como colisões, roubos e furtos, entre outras. Mas além dele, existem outros que também são muito fortes entre os brasileiros, que são os seguintes seguros:

    • Residencial: responsável pela cobertura de danos em um imóvel;
    • Seguro de vida: gera indenização para a família do segurado em caso de falecimento, incapacidade temporária total ou parcial, diagnóstico de doenças terminais ou câncer, despesas médico-hospitalares e odontológicas em caso de acidente e DIT (Diária por Incapacidade Temporária);
    • Patrimonial: varia conforme a necessidade do segurado, oferecendo proteção aos negócios;
    • Para máquinas e equipamentos eletrônicos: cobre situações que poderiam paralisar as atividades quando as ferramentas são fundamentais para a atuação profissional.

    Junto destes, o seguro para celular tem ganhado espaço por ser uma forma de se prevenir contra imprevistos. Ele funciona de forma parecida ao seguro de automóvel, ou seja, caso o telefone seja furtado ou roubado, você recebe uma parte do preço do aparelho de volta.

     

    O que é coberto pelo seguro?

    Quando falamos sobre cobertura, é importante ter em mente que isso varia principalmente conforme o tipo de seguro contratado e a seguradora escolhida. No geral, elas asseguram a pessoa contra eventualidades que causarão prejuízos.

    Para entender melhor contra o que você está protegido, é possível analisar, por meio da apólice de seguro (documento que comprova o vínculo com a empresa), quais os serviços contratados, cláusulas, condições e possíveis riscos.

     

    Como é feito o pagamento?

    Assim como o anterior, a forma de pagamento varia entre cada empresa que oferece o serviço, mas as mais comuns são à vista por boleto, parcelado, no cartão de crédito ou de débito. Esse valor, também conhecido como prêmio do seguro, serve para bancar as ocorrências e permitir que a seguradora tome as ações necessárias (desde reparos, reposições ou reembolsos).

    E para quem pergunta o que é sinistro, vamos explicar de forma clara e simples: é o nome dado ao evento que causa um dano e é coberto pelo seguro. Ele pode ser parcial – quando somente uma parte do bem é comprometida – ou total.

     

    Como escolher um bom seguro

    Para encontrar a melhor opção para proteger o seu bem, é importante analisar pontos como:

    • A reputação da empresa (Reclame AQUI, por exemplo)
    • Número de clientes e feedbacks em redes sociais
    • Opção de personalizar o plano de acordo com suas necessidades
    • Área de cobertura do seguro
    • Horários e canais de atendimento
    • Valores de mensalidades, franquia e formas de pagamento
    • Tempo de carência e fidelidade

     

    Quais os benefícios em contratar esse tipo de serviço?

    A primeira vantagem, que é um grande diferencial e um motivo para ter um seguro, é ter mais tranquilidade e segurança por onde você for, se prevenindo então contra situações inesperadas. Somado a isso, você adquire maior comodidade e se protege contra roubos e furtos.

    Por outro lado, caso o seu bem sofra algum dano, você não sai de mãos vazias, já que o seguro paga um reembolso no valor acordado em contrato, evitando assim maiores prejuízos.

     

    Todos os seguros são iguais?

    Apesar de possuir serviços parecidos no que diz respeito à segurança oferecida, cada seguro é diferente entre si. Isso se dá à medida em que alguns possuem um maior número de coberturas, mais assistências, maior disponibilidade dos serviços (para mais comodidade do segurado), menos burocracia, reembolso rápido e um valor mensal menor.

    Se você ficou interessado e quer entender como a Pier pode levar mais segurança para os seus dias, dê uma olhada em nosso site e descubra mais sobre os nossos seguros.

    Que tal conhecer ainda mais sobre o assunto? Continue navegando pelo nosso blog e descubra tudo sobre o universo de seguros!

  • O que é Apólice de Seguro?

    O que é Apólice de Seguro?

    Para quem deseja adquirir um carro ou um imóvel novo, entender o que é apólice de seguro é um ponto fundamental. Afinal de contas, além de ser um serviço fundamental para quem deseja aumentar a proteção diária com um bem, ela – a apólice – está envolvida diretamente na contratação dos planos. 

    Neste conteúdo, nós vamos fugir de todo o tecniquês e ecônomiques, e vamos explicar de forma simplificada o que é uma apólice, quais os tipos, como eles funcionam, quais são as minúcias desse documento e tudo o que impacta sobre ele.

     

    O que é apólice de seguro?

    A apólice de seguro é um documento que tem como intuito principal formalizar a contratação de um seguro. Nela, estão dispostas todas as coberturas que estão ativas no serviço, assim como os direitos e deveres das partes que constam nas condições gerais e especiais.

    Para que a apólice de seguro tenha valor, nela devem constar todas as responsabilidades da seguradora, bem como as do segurado. Também devem estar presentes o número de assistências previstas, os prazos de vigência e o valor do prêmio. Ou seja, tudo o que envolve o seguro deve estar presente nesse documento.

    Depois de fechado o contrato, contudo, ainda é possível fazer alterações no documento, caso seja necessário. As partes também podem solicitar o cancelamento da apólice, desde que a mesma não tenha estabelecido um termo que impossibilite essa ação.

    Lembrando que uma seguradora pode cancelar a apólice apenas em três casos:

    1. Não pagamento do prêmio;
    2. Se ocorrer uma indenização integral;
    3. Caso sejam constatadas informações não verídicas informadas pelo assegurado.

    Ou seja, é mais que recomendável que você ceda apenas informações verdadeiras, a fim de evitar que o seu plano seja cancelado e, consequentemente, você fique sem proteção.

    Há diversas formas de seguro que podem ser contratadas, sendo que cada uma pode possuir um tipo de diferente desse documento, mas nós vamos falar delas em mais detalhes ainda neste artigo. Aqui, devemos analisar que esse documento pode estar presente em todas as modalidades, seja em um seguro online ou em sua forma tradicional.

    📃 Importante lembrar: esse é um documento que fica com você, seja por meio de um papel físico ou até mesmo no digital, normalmente disponível no seu e-mail ou aplicativo do seguro. Com isso, é possível fazer uma análise sempre que necessário, tirando eventuais dúvidas sobre coberturas ou assistências.

     

    Por quanto tempo uma apólice fica ativa?

    O mais comum de se encontrar no mercado de seguros é a apólice com duração de 12 meses. Esse é o período normal praticado pelas empresas, mas isso pode variar de acordo com as diretrizes, já que a SUSEP não possui uma regra estabelecida.

    Em casos como o da Pier Seguradora, que trabalha com seguro mensal, a sua apólice é renovada todos os meses. O que pode te dar mais autonomia para contratar e alterar coberturas específicas de acordo com a sua necessidade no mês.

     

    Quais são as partes envolvidas em uma apólice?

    Existe um equívoco quando as pessoas pensam sobre o que é esse documento e como ele funciona. Normalmente, imagina-se que ela acontece entre dois lados, que são apenas a seguradora e a contratante. Mas, de acordo com critérios jurídicos, as partes possíveis na contratação de uma apólice são quatro, sendo elas:

    • Seguradora: a empresa que vai assumir e gerir os riscos especificados na apólice de seguros e oferecer todo o suporte necessário;
    • Estipulante: uma pessoa, física ou jurídica, que faz a contratação do seguro. O estipulante preenche e assina a proposta, paga o prêmio e solicita modificações, se necessário;
    • Segurado: é a pessoa física ou jurídica cujos interesses são garantidos durante a vigência do contrato, ou seja, quem está sendo protegido diretamente;
    • Beneficiário: é uma terceira parte que tem direito à indenização, seja ela segurada, ou não.

    Para ficar mais fácil, vamos imaginar que você seja um trabalhador CLT e tenha direito a seguro de vida. Então, a seguradora é contratada pela sua empresa, que faz o papel de estipulante, você é o segurado e a sua família é beneficiária da indenização. Bem simples, não?

     

    Tipos de apólices de seguros

    Como dissemos anteriormente, há inúmeros tipos de apólices, e isso vale para todas as modalidades, desde o seguro celular, até o seguro residencial, o de carro e o de vida, entre outros que você pode contratar.

    Abaixo, nós explicamos em mais detalhes como cada tipo de apólice funciona:

     

    Apólice de seguro compreensiva ou multirrisco

    A apólice compreensiva ou multirrisco é o tipo mais abrangente de cobertura, por isso algumas pessoas também chamam de seguro total. De modo geral, ela garante proteção contra os mais diversos riscos que o bem do segurado pode sofrer.

    Claro que esse tipo de apólice também tem um custo elevado, sobretudo quando comparada com as outras opções mais enxutas. No entanto, ela é ótima à medida que você possui o máximo de segurança para o bem desejado, contra as mais variadas situações.

     

    Apólice de riscos nomeados

    A apólice de riscos nomeados também leva o nome de seguros especiais. Ela é direcionada principalmente para pessoas jurídicas e dá cobertura somente para itens específicos estipulados no documento. Ou seja, uma câmera fotográfica, ou então uma modalidade de seguro de celular, ou outro bem que você queira proteger.

    O grande ponto, porém, é que ela é extremamente voltada para empresas e as possíveis perdas, danos patrimoniais ou lucros cessantes dos bens. Além de tudo, o acordo também é bem específico e pode ter coberturas mais versáteis ou desenhadas para cada caso escolhido.

     

    Apólice de recibo

    Essa é a apólice utilizada para contratações temporárias de curto prazo, como por exemplo um seguro viagem. Trata-se de uma apólice normal, mas com mudanças principalmente em relação ao tempo da cobertura, tendo um prazo estipulado de começo e fim, algo mais rápido e pontual mesmo.

     

    Apólice contra danos a terceiros

    Essa é uma apólice visando proteger danos a terceiros. Normalmente ela é contratada por pessoas que desejam um seguro para veículos, já que é muito comum ocorrerem acidentes no trânsito envolvendo mais de um carro e, consequentemente, ser uma situação classificada como danos a terceiros.

    Na prática, ela quer dizer que, caso o segurado se envolva em uma situação que gera dano para um terceiro, a seguradora terá que arcar com os custos. Vale mencionar que, quando você gera um acidente no trânsito, a responsabilidade de pagar por todos os danos (morais, físicos, estéticos ou outros) é toda sua.

     

    Apólice individual ou coletiva

    Para todas as apólices que mostramos até aqui, também existe uma versão coletiva. Ou seja, quando há mais de um segurado sendo protegido na contratação. Claro que este documento terá especificações próprias e normalmente o prêmio para uma apólice coletiva é muito menor, mas ele é altamente recomendado para os casos em que terá mais de uma pessoa a ser protegida.

     

    Apólice compulsória e facultativa

    São seguros obrigatórios – como Condomínio, DPVAT e outros – e os termos dessas apólices não podem ser negociados, uma vez que se tratam de obrigações legais (compulsórias).

    Por outro lado, um seguro facultativo se refere àquele em que você pode decidir por fazer a contratação ou não. Mais comum em viagens de ônibus e serviços similares, por exemplo.

     

    Apólice aberta ou fechada

    Como mencionamos antes, uma apólice pode ser modificada caso isso esteja estipulado nela. Então, diz-se apólice aberta ou fechada para aquelas que têm, ou não, essa opção.

    Sendo assim, caso você faça a contratação de um seguro com apólice fechada, ela não pode receber alterações até o término da vigência, o que pode representar um problema. Fique de olhos atentos quando for contratar o seu seguro para evitar possíveis surpresas.

     

    O que precisa constar na apólice de seguro?

    A apólice é um documento complexo, escrito de maneira bem específica e quase indecifrável para o leitor do dia a dia. O linguajar é todo feito por e para advogados, o que pode dificultar o entendimento.

    Os principais itens que constam em uma apólice de seguros são:

    • Cláusulas gerais: são as regras que definem a relação entre as partes, assim como as responsabilidades de cada um dos lados e os itens cobertos pelo seguro;
    • Cláusulas especiais: caso você tenha optado por uma cobertura diferente daquela negociada normalmente pela seguradora;
    • Cláusulas particulares: nesta parte ficam detalhados todos os benefícios, as coberturas e as indenizações, bem como o início e o fim da vigência, as condições de cancelamento, enfim, tudo o que envolve a apólice de seguros.

    💡 Em outras palavras: a apólice de seguros é o contrato de seguro formal que foi firmado entre a seguradora e o estipulante. Ela dita as regras do acordo, mostrando como o contratante coloca nas mãos da empresa a proteção e todas as responsabilidades em relação ao item segurado.

    Para saber ainda mais sobre o universo dos seguros e não ter nenhum tipo de problemas ou pegadinhas no seu contrato, confira o nosso blog e tire todas as suas dúvidas!

     

     

  • Qual a diferença entre Cobertura e Assistência no seguro?

    Qual a diferença entre Cobertura e Assistência no seguro?

    Quando o assunto é seguro auto, não tem jeito: seja para quem já está habituado ou para quem ainda é novato nesse meio, sempre bate uma dúvida ou outra. Como é o caso da diferença entre cobertura e assistência que, inclusive, podem influenciar no valor a ser investido.

    Portanto, antes de fazer negócio com uma seguradora de veículos, não tenha receio de tirar suas dúvidas e de pedir explicações claras quanto à amplitude da cobertura e dos serviços de assistência contemplados pela apólice.

    Abaixo listamos as principais características e diferenças entre cobertura e assistência de seguro. Continue a leitura e tire suas dúvidas!

     

    Cobertura de seguro

    Em geral, a cobertura de seguro se aplica quando o bem assegurado sofre danos ou perdas de natureza expressiva, seja irreparável ou com a possibilidade de ser recuperado.

    Atualmente, sabemos que existem diversos tipos de serviços com finalidades diferentes, como é o caso do seguro de carro, de vida, residencial e para os nossos inseparáveis celulares.

    Apesar disso, para facilitar seu entendimento desse assunto, vamos tomar como exemplo o seguro veicular, combinado? Com isso em mente, confira abaixo algumas situações que são classificadas como cobertura:

    Essas são as principais situações, ou seja, as mais comuns, mas é claro que você pode encontrar outras opções com a sua seguradora.

     

    Assistência de seguro

    A assistência reúne a contratação de serviços utilitários e para reparos de menor complexidade ao bem assegurado.

    Utilizando o exemplo do seguro auto, podemos listar como assistências:

    Uma das principais diferenças para a cobertura, é que no caso da assistência, a seguradora oferece um serviço para o seu cliente, sem a necessidade de indenizá-lo.

     

    Quantas vezes eu posso acionar as coberturas?

    Para esse ponto, a primeira coisa que precisamos ter em mente é que isso varia de empresa para empresa. Logo, não existe uma regra, pode existir uma quantidade de vezes preestabelecida ou um número ilimitado.

    Você só precisa se atentar para o período de carência, que nada mais é do que um período de espera, no qual você não pode acionar o seguro. O tempo mais comum é que a carência seja de trinta dias. Ou seja, se algo acontecer com o seu veículo nos primeiros 30 dias de seguro, você não terá auxílio da seguradora.

    ⏳ Existe seguro sem carência? Sim! A Pier Seguradora oferece seguro celular e seguro auto sem carência e sem fidelidade. Nosso pagamento é mensal e você pode acionar o seguro desde o dia 01. 

     

    E as assistências, eu posso usar sempre que precisar?

    No caso das assistências, o mais comum é encontrar um limite de pedidos. Por se tratar de algo pontual, geralmente seguradoras tradicionais trabalham com um limite entre três a quatro vezes por ano.

    É considerado assistência sempre que você entrar em contato com a sua seguradora e solicitar um guincho, por exemplo. Se você tiver um limite e ultrapassá-lo, no mês seguinte você não poderá contatar a seguradora para um serviço como de chaveiro.

    Mas em casos que você aciona a seguradora para pedir um guincho e um chaveiro para atender a um mesmo problema, em um mesmo dia, é considerado um chamado apenas.

    A nossa dica é conferir a parte da sua apólice que fala sobre os acionamentos das assistências, vendo se há uma regra e limite ou não. Dessa forma você sabe se terá o atendimento necessário por parte da seguradora ou se precisará ligar para um parente ou colega para te socorrer em alguma situação. 

    🗓️ Assistência todo mês: a Pier trabalha com um modelo de assinatura mensal de seguro. Ou seja, a cada ciclo mensal seu seguro é renovado e, com isso, a disponibilidade de assistências também.

     

    Cobertura x Assistência

    Para fechar o nosso texto, podemos resumir que a cobertura compreende tudo que está incluso no seu plano de seguro. Principalmente as proteções que merecem mais atenção e tem um valor maior vinculado. Para solicitar o reembolso ou o auxílio de algo que você está coberto, é preciso registrar um sinistro e apresentar documentos extras, como um boletim de ocorrência.

    As assistências são todos os serviços extras que te ajudam no dia a dia e tem maior facilidade para acontecer, como um pneu furado ou uma pane elétrica. Geralmente as assistências são 24h e podem ser ativas via aplicativo ou por uma ligação, sem maiores comprovações do problema ou documentos adicionais. 

    E aí, esse conteúdo foi útil para você? Então acompanhe o nosso blog para explorar outros assuntos que vão te ajudar a entender melhor o universo dos seguros.

     

     

  • Tudo sobre Seguro Celular

    Tudo sobre Seguro Celular

    Preparamos este guia para te ajudar a entender tudo sobre o que é, como funciona e porque ter um Seguro Celular. Esse serviço tem ganhado espaço nos últimos anos e é um aliado de quem quer ter uma rotina mais tranquila e a certeza de ter um apoio caso algum imprevisto aconteça.

    Neste conteúdo você vai ver:

    1. O que é Seguro Celular?
    2. Quais as vantagens?
    3. O que o Seguro Celular cobre?
    4. Quanto custa o Seguro Celular
    5. Como funciona o modelo de reembolso?
    6. Fidelidade e Carência
    7. Quanto tempo dura o seguro?
    8. Quem oferece Seguro Celular?
    9. Como contratar Seguro Celular
    10. Como acionar Seguro Celular

    Escolha um tópico e tire suas dúvidas. Boa leitura!

     

    O que é o seguro celular?

    Ter um bom modelo de celular, independente da marca, é algo desejado por muitas pessoas. É através dele que a gente conversa com amigos e familiares, acompanha as redes sociais, as notícias, assiste a vídeos, ouve músicas e podcasts, joga, estuda e, muitas vezes, trabalha. Além do entretenimento, ele também guarda seus registros de fotos, conversas e muitas informações sensíveis, como os apps de bancos.

    Entre suas outras várias funções, o celular se tornou quase indispensável no nosso dia a dia. Já lembrou que tem muita coisa importante acessível na palma da sua mão, né? E é para te dar amparo e proteger esse companheiro diário que surgiu o seguro de celular. Esse serviço te ajuda a não ter prejuízos em casos como roubos e furtos do aparelho. 

    Semelhante ao seguro de carro, o seguro para aparelhos celulares tem coberturas específicas e particularidades de acordo com a seguradora que o oferece. Você pode contratar planos mensais ou anuais, com seguradoras ou direto com o fabricante. Para entender tudo que você precisa saber para fechar um bom negócio, é só continuar a leitura.

     

    Quais as vantagens?

    Se você é o tipo de pessoa que não gosta de ter prejuízos financeiros, independente de qual ou com o que for, este tipo de serviço é o mais indicado para você. Com ele você se protege contra situações inesperadas como furtos e roubos, em que você teria que se preocupar com o bloqueio do aparelho celular e da linha, além de ter que comprar um novo celular depois, arcando com todos os custos.

    Listamos abaixo mais motivos que tornam interessante ter esse serviço para o seu smartphone:

    1. Conta com mensalidades baratas 😍
    2. Indenização de acordo com o valor do plano ou franquia 💰
    3. Alta disponibilidade de coberturas para máxima proteção ✨
    4. Os seus dados e arquivos pessoais ficam seguros ao checar o IMEI e bloquear o telefone por meio da operadora 🔒

    Como se isso não fosse suficiente, normalmente você recebe o estorno rapidamente, como no caso da Pier. Além disso, é muito fácil contatar a seguradora e acionar o seguro caso tenha algum problema.

     

    O que o Seguro Celular cobre?

    As coberturas mais comuns para o seguro celular são: roubo e furto qualificado. Além dessas opções, algumas seguradoras trabalham com furto simples (quando não deixa vestígio), danos e quebras do aparelho.

    🚨 Importante saber: um dos casos mais comuns de ativação para Seguro Celular é furto simples, então atente-se e leve em consideração empresas que oferecem essa cobertura.

    Adversidades como perda de celular, golpes e invasões de aplicativos após um furto, geralmente não são cobertas pelas empresas de seguro. Ao contratar o serviço, leia com atenção todos os pontos e tire suas dúvidas com a seguradora para não ter nenhum imprevisto.

     

    Quanto custa o seguro para celular?

    O seguro celular é calculado com base em uma porcentagem do valor total do dispositivo. Além da marca e modelo do seu aparelho, a seguradora, a franquia, as coberturas e o plano selecionado são fatores que afetam o valor final do seguro.

    Uma comparação que muitas pessoas fazem durante o momento da cotação do seguro online é entre quanto você paga no plano versus o valor de ressarcimento para situações inesperadas. Nesta conta, você deve levar em consideração se a empresa irá te reembolsar, oferecer um celular recondicionado, um aparelho similar e se existe ou não franquia para ativação do seguro.

     

    Como funciona o modelo de reembolso?

    Aqui na Pier, caso você tenha o seu aparelho furtado, oferecemos um reembolso. Nós não temos franquia no seguro celular e você tem acesso aos valores de reembolso durante a cotação. 

    Trabalhamos sempre com dois planos: econômico e premium. A diferença é que no primeiro você recebe 80% do valor do mesmo aparelho seminovo. Já no segundo, você recebe 100% do valor de um seminovo. 

    💰 Clique aqui e entenda porque reembolsamos o valor de um aparelho seminovo e como chegamos nesse valor.

     

    Fidelidade e Carência

    A fidelidade nada mais é do que um tempo que você precisa manter o contrato com a seguradora, independentemente se está gostando do atendimento ou não.

    Normalmente, em casos que existe a fidelidade, você precisa pagar uma multa de quebra de contrato para encerrar os serviços. Em compensação, caso você queira continuar com a empresa ao final do contrato (que em geral dura um ano), é possível ganhar descontos e vantagens. O problema aqui é que você fica preso ao seguro mesmo se não estiver satisfeito com o serviço. 

    carência é o nome do período em que a empresa está confirmando os direitos do cliente para que ele seja protegido devidamente contra adversidades. Durante esse tempo, que geralmente dura 30 dias, mesmo se você sofrer algo que se enquadre como sinistro, de acordo com a apólice, não é possível usar os serviços.

    😍 Cancele quando quiser e sem carência: a Pier oferece planos mensais em que você pode assinar e cancelar a qualquer momento que quiser sem multas, nem carência. Ou seja, é menos burocracia, mais proteção e tranquilidade para você e para o seu celular!

     

    Quanto tempo dura o seguro?

    Esse é outro fator que varia dependendo da seguradora e até mesmo do modelo e fabricante do seu aparelho. No mercado de seguros, porém, o mais comum é ter o serviço por um ou dois anos para aparelhos com até um ano de uso.

     

    Quem oferece seguro de celular?

    Você encontra essa opção de seguro em seguradoras tradicionais, seguradoras digitais, em bancos, operadoras telefônicas e fabricantes de celulares.

     

    Logo da Pier Seguradora

    Pier Seguradora 

    A Pier é a primeira seguradora digital do país e protege celulares e automóveis. No seguro celular, atende as principais marcas e modelos do mercado. A contratação é feita em minutos e você controla tudo pelo App. Não tem franquia nem carência, o pagamento é mensal e você pode cancelar quando quiser. E o melhor de tudo: tem cobertura para roubo, furto qualificado e furto simples. As duas opções de plano disponíveis te garantem um reembolso caso o celular seja retirado de você. Inclusive, cerca de 26% dos clientes da Pier recebem o reembolso em 1 segundo com a tecnologia Pier Bolt. Veja valores e cote no site!

     

    Como contratar Seguro Celular

    Como comentamos no tópico anterior, você pode contratar um seguro de celulares com diversas empresas e em vários momentos. 

    💡 Importante lembrar: o celular não precisa ser novo para ter um seguro. Se você pensa em comprar um novo modelo e está em dúvida, saiba que você pode contratar sua proteção a qualquer momento, principalmente se optar por uma seguradora. Ou seja, mesmo se você já possuir o seu dispositivo há seis meses, ou mais tempo, você pode contratar sem o menor problema.

    Vamos explicar o passo a passo de contratação, de acordo com a Pier Seguradora. Por ser uma seguradora digital, todo o processo é feito online e em poucas etapas:

    1. O primeiro passo para a contratação do seguro smartphone é a cotação, que pode ser feita tanto em nosso site clicando em Ver Preços, quanto pelo nosso aplicativo.
    2. Com o celular que será protegido em mãos, é só seguir o passo a passo no aplicativo:
    3. Informar seu endereço e CPF. Nosso app já identifica modelo e memória do seu celular!
    4. Selecionar o plano desejado (premium ou econômico)
    5. Criar uma conta na Pier
    6. A partir dos dados informados, vamos avaliar se conseguimos te proteger. Se sim, é só cadastrar um cartão e ativar o seu seguro! 🎉

    Ao criar uma conta na Pier para proteger seu celular, você irá passar por uma análise. Se sua proteção for aprovada, você terá até 24 horas para realizar a contratação do nosso seguro através do aplicativo.

    📃 Não precisa de nota fiscal: a nota fiscal é o documento oficial que comprova uma transação comercial, como a compra e venda de um celular. Na Pier você pode contratar o nosso plano mesmo sem ter a NF, como nos casos de aparelhos comprados fora do Brasil ou usados.

    🚫Seguro reprovado, e agora? Ao solicitar um seguro, a seguradora pode ou não aceitar o seu pedido. Geralmente é feita uma análise levando em consideração o seu CPF, CEP, celular e outros fatores de risco. No seguro celular, não é diferente. Caso tenha alguma dúvida, não deixe de entrar em contato com a empresa.

     

    Como acionar o Seguro Celular

    Sofreu um furto? Esse é um momento delicado e o seguro está ao seu lado para te ajudar. O primeiro passo a ser dado: você deve ir até uma delegacia e fazer o boletim de ocorrência (ou fazer um BO online).

    Feito isso, deve ligar para um dos seguintes números, de acordo com a sua operadora telefônica, e pedir o bloqueio do IMEI: 1052 para clientes Claro, 1057 para clientes Oi, *144 ou 1056 para falar com a Tim e *8486 ou 1058 para falar com a central da Vivo.

    🔒 Ao bloquear o IMEI o dispositivo não pode se conectar com nenhum outro chip e, consequentemente, fica inutilizável.

    Depois disso, entre em contato com a seguradora e acione o seguro. Tenha em mãos o número do IMEI e o seu Boletim de Ocorrência. De acordo com cada caso, outros documentos podem ser solicitados, a empresa irá passar a relação para você caso haja necessidade.

     

    Quanto tempo leva para receber um retorno da seguradora depois de acionar o seguro?

    É comum que, em até 5 dias, o valor acordado esteja na conta bancária. Ou seja, é bem rápido.

    No entanto, existem ocasiões em que a seguradora precisa pedir novos documentos para fazer a análise e ver se é possível reembolsar o cliente. Aqui, é comum que o processo demore até 30 dias, de acordo com as normas estabelecidas pela SUSEP. E se ao final do período e da análise tudo estiver correto, você recebe a indenização pelo ocorrido.

    Estes fatores você pode encontrar na hora de simular o seguro online, onde a empresa explica ao certo como funciona a política de reembolso, o que é passível de estorno, quanto tempo demora e como acionar corretamente a seguradora.

    Curtiu o conteúdo? Aqui no Blog da Pier você fica sabendo de tudo sobre seguro celular, novos aparelhos e aplicativos que facilitam o seu dia a dia. Não deixe de conferir!

     

     

     

  • Proteção veicular ou Seguro Auto: qual escolher?

    Proteção veicular ou Seguro Auto: qual escolher?

    Ao adquirir um carro, um dos principais passos que o proprietário toma é para proteção desse bem. Seja pelo medo de sofrer um acidente, um furto ou pela tranquilidade de ter um apoio em qualquer que seja o imprevisto.

    E para proteger o carro, você possui algumas opções como o seguro auto e a proteção veicular. Embora o nome e o objetivo sejam semelhantes, existem diferenças importantes a se considerar na hora de fechar negócio. 

    Se você quer saber qual a diferença entre seguro e proteção veicular e entender o que é melhor e mais recomendado para a sua proteção diária, continue lendo este texto e conheça a fundo esse tema. Boa leitura!

     

    O que é proteção veicular?

    Empresas que oferecem proteção veicular funcionam como uma associação. Nestes casos, você faz parte de uma espécie de “vaquinha” com outras pessoas. Também podemos entender como um rateio, onde todos precisam pagar para que o conserto de veículos que sofreram sinistro seja possível.

    Uma das razões pelas quais algumas pessoas vão atrás dessa modalidade é pelo valor reduzido. Comparado a algumas seguradoras tradicionais, esse modo de proteção pode ser menos burocrático e mais ágil. 

     

    Quem oferece proteção veicular?

    A proteção veicular é oferecida pelas cooperativas, que nada mais são do que associações sem fins lucrativos. E é exatamente por isso que, para ter a segurança extra, é necessário que você se torne um associado.

    Mas aqui, o grande ponto que algumas pessoas questionam diz respeito à regulamentação desse serviço. O responsável por esse tipo de ação é a Agência de Autorregulamentação das Entidades de Autogestão de Planos de Proteção Contra Riscos Patrimoniais (AAAPV), a maior entidade do setor, que possui centenas de cooperativas cadastradas.

     

    E o Seguro Auto?

    Em contraponto à modalidade anterior, o seguro auto é um serviço mais completo. Oferecido por seguradoras de veículos, ou empresas que atuam dentro desse ramo e possuem outras modalidades, ele é regulado pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP) e oferece total garantia de que você terá toda a proteção necessária.

    Este é um serviço altamente buscado devido às vantagens que ele agrega. E é importante lembrar ainda que existe o seguro online, que oferece serviços personalizados, preços acessíveis e coberturas decentes para que você tenha total proteção contra as situações mais comuns que podem acontecer no trânsito.

     

    Proteção veicular ou Seguro Auto: qual é melhor?

    Um dos principais pontos que diferencia ambos é a apólice. Esse é o nome dado ao documento que protocola o aceite do risco de proteger o carro.

    Apenas seguradoras oferecem apólice de seguro, pois ela é emitida após fechar um contrato do serviço, o que não ocorre ao se associar em uma cooperativa. Este é um papel onde podem ser encontradas todas as informações relativas ao plano como situações de sinistro, preço do serviço, obrigações, direitos e deveres do segurado e da seguradora também. 

    Outro ponto, é a garantia da SUSEP para as obrigações e deveres de uma seguradora. Essa supervisão do Estado garante que você tenha a resolução do seu caso em até 30 dias, por exemplo. As cooperativas não são obrigadas a oferecer garantias ou obedecer prazos, o que pode prejudicar você na hora de um imprevisto.

    Também nas cooperativas você precisa pagar uma taxa mensal que será o rateio dos custos de manutenção de todos os membros. Ou seja, mesmo se você não sofrer nenhum problema naquele mês, você terá que dividir o valor com as outras pessoas.

    É por isso que o serviço com uma seguradora é o mais recomendado e até mais interessante, já que você paga pelo que vai usar. Se durante a sua cotação de seguro você optar por ter proteção contra danos a terceiros, por exemplo, você consegue acionar a empresa e não ter que se preocupar com mais nada se sofrer esse problema enquanto está no trânsito.

    O melhor de tudo é que isso não implica em um aumento no valor do seu seguro. Então se a sua mensalidade ou anuidade for em um valor determinado, acionando o seguro ou não, o montante será o mesmo quando você pagar novamente

    Se você gostou de saber mais sobre a questão da proteção veicular e o seguro, entendendo os principais pontos de cada um deles, que tal conferir o nosso blog para saber tudo sobre o seguro e não ter mais nenhuma preocupação extra? Venha conosco e ofereça o melhor cuidado para o seu veículo!

  • O que é uma seguradora digital?

    O que é uma seguradora digital?

    As diferentes modalidades de seguro têm sido cada vez mais presentes no dia a dia por toda a proteção extra que eles levam para todos os momentos. No entanto, devido a todo o avanço tecnológico, o seguro digital tem ganhado cada vez mais espaço.

    Assim surgiram as seguradoras digitais, empresas que oferecem esse serviço de forma digital, levando diversas facilidades e benefícios para quem busca proteger seu carro, celular ou qualquer outro bem.

    Se você deseja entender mais sobre seguradoras digitais, sabendo tudo sobre elas, inclusive todas as vantagens e os diferenciais que podem ser encontrados, continue lendo esse texto e tire todas as suas dúvidas!

     

    O que é uma seguradora digital e como ela funciona?

    Seguradora digital é o nome dado às empresas de seguro que atuam de forma completamente virtual.

    Elas revolucionaram o modelo de negócio desse ramo, já que criaram o seguro online que leva menos burocracia em processos rápidos, simples e práticos, que podem ser feitos com alguns toques na tela do celular ou alguns cliques no computador. 

    Além disso, a maioria dos procedimentos são digitais, o que melhora a relação entre segurado e seguradora. Mas como assim? 

    Tudo o que você precisa fazer está disponível por meio de um aplicativo especializado ou até mesmo do site da empresa, fazendo com que seja super intuitivo e de fácil acesso. E como se não fosse o suficiente, existe uma alta possibilidade de ter um serviço mais personalizado no seguro virtual, indo de encontro com todas as suas necessidades e fazendo com que você não tenha problemas.

     

    Quais diferenças essa modalidade possui?

    Como já adiantamos, essa é uma modalidade que revolucionou o mercado à medida em que ela pegou processos que já eram conhecidos e os transformou, deixando-os mais simples.

    Por isso, nada melhor do que entrarmos agora em todos os diferenciais que tornam esse tipo de serviço não somente atrativo como também um ótimo aliado. Então veja conosco quais são os benefícios, que também são os devidos diferenciais das seguradoras digitais:

     

    É fácil de usar 📱

    Algo que já comentamos por aqui, mas que vale a pena reforçar, é a facilidade de uso e isso se dá na cotação de seguro, na hora de fechar o contrato e até para reportar um sinistro. Muito disso se dá devido ao fato de que tudo está disponível na palma da sua mão, acessível por meio do celular.

    Tendo em vista que os aplicativos são muito intuitivos e simples de usar, dificilmente você terá qualquer dúvida enquanto usa. E para ficar mais fácil de entender, vamos separar em cada um dos momentos que falamos:

    1. Durante a cotação: para cotar o seu seguro, basta entrar no site e colocar todos os dados que, em questão de minutos, você possui todas as informações relativas ao seu plano;
    2. Fechando o contrato: após decidir ter o serviço com a empresa, é só finalizar o processo e assinar, tudo de forma digital e muito fácil;
    3. Reportando um sinistro: ao entrar no app, normalmente terá uma aba somente para isso, onde você entra, explica o que aconteceu e manda todos os documentos para a análise. Se estiver tudo certo, você recebe o estorno.

    Ou seja, é bem simples para que você não se preocupe com menus extensos ou ligações telefônicas para centrais.

     

    Disponibilidade de serviços 🔍

    Aqui nós estamos falando sobre dois pontos distintos, mas que se encaixam dentro do mesmo guarda-chuva: as modalidades disponíveis e as assistências que você pode ter ao seu lado para aumentar a proteção em todos os momentos.

    Para o primeiro, é importante analisar que é possível encontrar seguro de carro, seguro de vida, seguro residencial, seguro viagem, seguro celular e para outros bens que você queira proteger. Então, a ideia é procurar por uma empresa que ofereça o tipo que você procura.

    E quando analisamos pelas assistências, existem diversas coberturas que você pode ter, além do fato que você pode personalizar o seu plano como quiser, chegando à melhor proteção para você!

     

    Alta proteção com preço em conta 💰

    Somado ao ponto anterior onde você possui diversas possibilidades de assistências, um ponto que chama muita atenção nas modalidades de seguro virtual é o custo-benefício. Afinal, quando comparamos as coberturas que você possui no seu plano com o preço a pagar para manter o serviço ativo, ele é muito benéfico.

    Muito disso acontece devido à possibilidade de personalização, onde você escolhe exatamente contra o que deseja se proteger e pode retirar coisas que não vai usar, fazendo com que o preço fique mais justo conforme o seu orçamento.

     

    Comunicação fácil e eficaz 💬

    Outro ponto de alto destaque quando analisamos as seguradoras digitais é a facilidade de comunicação. Afinal, se surgir algum problema, você precisa entrar em contato com a empresa para resolver a situação. Então saber como entrar em contato adequadamente é a melhor pedida.

    E quando analisamos que você pode usar o aplicativo da seguradora digital ou algum serviço de mensagem instantânea para isso, vemos que é bem simples mesmo! Ou seja, você não precisa ligar para uma central e ficar esperando ser atendido.

     

    O contrato da seguradora digital é diferente?

    Não, apesar de ser feito totalmente por meio do ambiente digital, o contrato na modalidade virtual não possui nenhuma diferença no que diz respeito às coberturas. 

    O que você pode encontrar de diferente, no entanto, são dois pontos: a possibilidade de ser um seguro mensal (ao invés de ter duração de 12 meses, que é o período mais comum) e não ter que pagar uma multa rescisória por quebra de contrato.

    No entanto, essas são duas coisas que você pode analisar durante a cotação, ou que você pode perguntar direto à seguradora caso fique em dúvida. Fora isso, não existe nenhum outro ponto diferente, já que na sua apólice você terá todas as coberturas, montante de reembolso (caso disponível), valor da franquia (caso presente), forma de contato, prazo para pagamento das taxas e prêmio para manter o plano ativo.

     

    Seguradora digital é confiável?

    Após entender tudo sobre as seguradoras digitais, a dúvida que fica é: vale a pena ter esse serviço no dia a dia? Tendo em vista que ele leva diversas facilidades, é muito mais prático e possui não somente os serviços para todos os bens que você quiser proteger como também coberturas ideais e adequadas para que você não tenha que se preocupar, vemos que sim, essa é uma ótima opção para você.

    Então se você quer ter mais praticidade para todos os momentos, que tal fazer uma cotação de seguro com a Pier Seguradora? Com os nossos serviços, você vai encontrar praticidades para todos os momentos, sendo suficientes para levar total proteção para você em todos os momentos e locais!

    Entre em nosso site e faça uma simulação, sem nenhum compromisso, para saber como podemos te ajudar no dia a dia! E para conhecer mais do universo dos seguros, confira o nosso blog e tire todas as suas dúvidas sobre esse serviço!

  • Seguro Auto: tudo o que você precisa saber

    Seguro Auto: tudo o que você precisa saber

    Atualmente, não é segredo para ninguém que seguro é um ótimo serviço, principalmente quando analisamos que ele é perfeito para quem deseja aumentar a segurança diária e a proteção de um bem.

    Mas apesar de toda a facilidade que ele traz, o seguro para carros ainda é um tópico que pode gerar eventuais dúvidas. Se você não quer ter surpresas ou problemas, ao mesmo tempo em que não quer cair em pegadinhas no contrato, esse texto é ideal para você.

    Abaixo nós vamos elencar tudo o que você deve analisar para saber se o seguro é um bom negócio para você ou não. 

     

    Primeiro de tudo: o que é o seguro auto?

    O seguro auto é um serviço que garante uma série de proteções para quem possui um automóvel. Assim, se a pessoa que contratou sofrer um acidente ou for furtado, ela pode contar com auxílio da seguradora para o reembolso do valor do carro. Além disso, é possível ter uma série de assistências para ocasiões menores, como uma pane mecânica, um pneu furado, falta de gasolina, entre outros.

    O Seguro Auto ajuda demais no seu dia a dia e nos imprevistos, mas ele não é obrigatório. Relacionado a automóveis, o único seguro obrigatório é o DPVAT.

     

    O que um bom seguro auto oferece?

    Um bom seguro é aquele que oferece tudo que você precisa para rodar com tranquilidade, te ajuda em possíveis imprevistos e oferece um bom atendimento.

    Cada seguradora oferece planos ou opções de coberturas que podem funcionar ou não para a forma como você usa o seu carro. Além disso, algumas particularidades devem ser levadas em conta na hora de fechar o contrato. Portanto, todo o processo de cotação precisa ser analisado com calma e atenção.

    Entre as opções de coberturas e serviços que um seguro oferece, temos:

    Além das proteções, é preciso atentar-se a três pontos: carência, franquia e fidelidade.

    A carência diz respeito a um período sem poder acionar as assistências, enquanto a fidelidade é um plano que pode gerar benefícios – mas te prende no serviço mesmo se você não estiver satisfeito. Já sobre a franquia, ela funciona como uma coparticipação, onde a seguradora de veículos e você entram com uma parte do dinheiro para fechar o orçamento, sendo que você paga um valor limite pré-estabelecido e a empresa entra com o restante para fechar o total.

     

    Qual a melhor opção para o meu veículo?

    Separamos 5 pontos para você levar em consideração na hora de escolher o seguro para o seu carro. Vamos falar de coberturas, serviços, limite de uso, fidelidade, formas de pagamento e franquia. Acompanhe:

     

    1. Veja as coberturas e serviços disponíveis

    Defina o que é importante para você. Quais coberturas e serviços são essenciais para o seu uso?

    Escolher uma opção muito ampla, que abrange todo tipo de ocorrência, pode encarecer o seguro e muitas vezes você vai acabar passando o ano inteiro sem usar grande parte delas. Escolha a que melhor se encaixa nas suas necessidades e que tenha o melhor custo-benefício!

     

    2. Limite do uso das assistências

    Considerando o que é importante para você, verifique qual o limite de uso de cada uma delas. Por exemplo, no mercado é bem comum que o número de vezes que você pode usar seu ciclo de assistências seja limitado a 4 ou 5 vezes ao longo de um ano. Aqui na Pier, como o seguro é mensal, o ciclo de assistências é renovado todo mês!

     

    3. Fidelidade

    Também muito comum nas opções de serviço oferecido pelas seguradoras de veículos, existe o programa de fidelidade.

    Este nada mais é do que um sistema de vantagens, onde você ganha benefícios por continuar usando o serviço. Pode ser uma redução no preço do serviço ou descontos em lojas credenciadas, mas geralmente leva o problema de ter manter o contrato até o final mesmo se não estiver satisfeito com o serviço oferecido pela empresa. Vale lembrar que este normalmente possui duração de 12 meses.

     

    4. Formas de Pagamento

    Atualmente, principalmente devido ao surgimento e crescimento do seguro online, é muito comum encontrar diferentes formas de fazer isso, sempre para ficar o mais fácil possível para você. Ou seja, dependendo da seguradora, você consegue pagar por PIX, cartão de crédito, cartão de débito, com boleto, parcelado ou à vista. 

    Você também pode optar por empresas que possuem contrato anual, onde você paga uma vez ao ano (ou parcela, caso queira e seja possível) ou um contrato mensal, em que você paga mês após mês e cancela quando quiser.

     

    5. Franquia

    A franquia é aplicada em casos de danos parciais e nada mais é do que uma coparticipação. Ou seja, é acordado um valor que você precisa pagar para a seguradora e o excedente do orçamento será pago pela empresa, possibilitando o conserto do veículo. O grande ponto, porém, é que existem muitas situações em que não compensa acionar esse serviço, mas sim levar direto à oficina e fazer o reparo. O valor da franquia também pode ser decisivo na hora de fechar ou não seu contrato.

     

    Faça uma cotação de seguro online

    A cotação de seguro é o principal ponto que muda tudo na hora de decidir qual é um bom serviço para os seus dias. Afinal, a contratação começa por aqui: conferindo se é um plano que possui tudo o que você deseja.

    A ideia aqui é muito simples e está cada vez mais fácil, já que você consegue fazer 100% online. Para ver se é possível, entre no site da seguradora que chama a sua atenção e busque pela opção de Cotar Seguro. Caso tenha essa funcionalidade, basta inserir todos os dados do veículo e as suas informações epronto, rapidamente você já terá acesso aos valores e coberturas disponíveis pro seu carro.

    A cotação é uma primeira etapa, que te ajuda a entender os planos, valores e serviços que a empresa oferece. Para prosseguir, você poderá ter que enviar mais informações, como o documento do carro e fotos para vistoria.

    ⏱️ O valor do seu seguro em 1 minuto: a cotação da Pier é descomplicada como o nosso seguro. Em poucos segundos você insere seu endereço, o modelo do seu carro, como você o utiliza e nós informamos quais as opções e valores para manter seu veículo protegido. Faça sua cotação!

     

    Escolha uma boa seguradora

    Para não ter maiores problemas, essa é uma recomendação que você deve prestar atenção antes mesmo de prosseguir com a cotação do seu seguro. Afinal, apenas empresas autorizadas pela SUSEP – Superintendência de Seguros Privados – podem oferecer esse serviço.

    Então, se você estiver conferindo o site e não encontrar nada que mencione esse órgão, desconfie. Confira também as redes sociais e o Reclame AQUI, para entender melhor como funciona o atendimento da seguradora, sua reputação e a avaliação de quem usa.

     

    Evite pegadinhas !

    É muito comum que os contratos de seguro sejam longos e, por isso, muitas pessoas podem sentir preguiça de ler por completo. No entanto, essa não é uma prática recomendada, já que é nesse documento que você encontrará todos os pontos que ditam como é o seu plano de serviço.

    A ideia é simples: procure uma empresa confiável, analise prazos para reportar um sinistro e para pagar as taxas necessárias, confira o valor do seguro, saiba se há franquia, qual será o valor que você receberá se algo acontecer, todas as coberturas, quantas vezes você pode acionar a empresa, se tem carência e fidelidade e todos os serviços que você pode acionar em problemas.

     

    Tudo confirmado? Hora de fechar o contrato

    Após confirmar tudo isso que nós te falamos e conferir que é uma ótima opção de seguro auto para você, o próximo e último passo é justamente o de fechar o contrato.

    É importante ressaltar que existem seguradoras onde você pode contratar o seguro hoje e, se precisar de ajuda amanhã, ter todo o suporte. E esse é o caso da Pier, já que nós não temos nenhum tipo de carência em nossos planos para que você tenha todo o auxílio necessário, independente do que acontecer.

    Agora, depois que você conheceu todos os pontos de atenção antes de fechar o seu contrato, que tal fazer uma cotação sem compromisso em nosso site e entender como podemos te ajudar no dia a dia? Clique aqui e faça isso agora mesmo!

    E para saber ainda mais sobre o seguro para carros, confira também o nosso blog, onde explicamos todas as nuances desse serviço!

     

     

     

4 dicas para saber se uma promoção é de verdade Vale a pena ter celular reserva? 5 apps para deixar sua Casa Inteligente O que é Perda Total? Conheça o iPhone 14
4 dicas para saber se uma promoção é de verdade Vale a pena ter celular reserva? 5 apps para deixar sua Casa Inteligente O que é Perda Total? Conheça o iPhone 14
4 dicas para saber se uma promoção é de verdade Vale a pena ter celular reserva? 5 apps para deixar sua Casa Inteligente O que é Perda Total? Conheça o iPhone 14
4 dicas para saber se uma promoção é de verdade Vale a pena ter celular reserva? 5 apps para deixar sua Casa Inteligente O que é Perda Total? Conheça o iPhone 14