Início » Início

Início

por Renato Mesa
  • Ter um seguro é a melhor forma de preservar um bem?

    Ter um seguro é a melhor forma de preservar um bem?

    Muito falado e buscado atualmente, o seguro é um ótimo serviço para ter ao lado em todos os dias por ser uma forma de ter mais proteção contra diversos imprevistos.

    Vale lembrar que existem modalidades que podem ser contratadas para agir sobre os mais diferentes bens, como é o caso de carros, casas, celulares e até a própria vida, tudo para não ter nenhum prejuízo financeiro. Além disso, qualquer pessoa que queira ter mais segurança e consiga pagar para manter o benefício pode ter um seguro e, consequentemente, mais tranquilidade.

    Então se você quer saber o que é a preservação de um bem e como o seguro pode te ajudar nisso, venha com a Pier Seguradora e tire as suas dúvidas sobre esse assunto nesse texto!

     

    Para começar, o que é a preservação de um bem?

    De forma simples, preservar nada mais é do que manter longe de danos e perigos, conservando e mantendo o bom estado físico. Sendo assim, qual é a importância de manter o bom estado de um item? Essa é uma ação que gera benefícios diretos?

    No geral, a resposta para ambas as perguntas está interligada já que preservar um item é algo muito importante para que ele não sofra uma grande desvalorização com o tempo e você não perca dinheiro caso queira vender futuramente.

    Para ficar mais fácil de entender, vamos a um exemplo. Conforme o tempo passa, um automóvel passa a valer menos, seja devido à quilometragem rodada ou até ao conserto das peças que, invariavelmente, começam a ficar gastas e precisam ser trocadas. Porém, a situação é mais agravante quando ocorre uma batida que deixa a carroceria amassada, por exemplo.

    Logo, quando falamos sobre a contratação do seguro de carro para que esse seja conservado, devemos analisar alguns pontos, como é o caso da alta possibilidade de sofrer um acidente de trânsito. Essa é uma situação considerada como sinistro, onde o seu carro sofre danos estruturais ou perda total. Independente do que acontecer, você precisará desembolsar dinheiro para consertar o veículo ou até mesmo para comprar outro carro.

    Mas como, então, o seguro vai me ajudar a preservar o meu automóvel? Isso é muito simples! Dependendo das situações presentes na sua apólice de seguro, você não precisa pagar nada para que o carro vá para o mecânico e volte a rodar em perfeito estado, não ficando com o amassado (para manter no exemplo citado), fator responsável por diminuir o possível valor de venda futura dependendo do quão grave foi o acidente.

     

    O que é um seguro?

    Apesar de termos já começado a dar um exemplo trazendo o serviço, é possível que você se pergunte o que é o seguro, algo totalmente válido para quem busca entender como ele pode ajudar no dia a dia.

    E como já adiantamos por aqui, ele é um contrato estabelecido entre uma pessoa física e uma empresa do ramo, onde a seguradora (forma como a instituição é chamada) se torna obrigada a pagar uma indenização para o segurado em caso de sinistro, sempre estabelecido antes do fechamento do contrato. Mas para isso, é necessário que a pessoa pague o prêmio do seguro, também chamado de mensalidade.

    Ao fazer isso, a pessoa possui todas as coberturas disponíveis no contrato de seguro, que podem ser acionadas a qualquer momento, caso necessário. Mas para isso, tudo o que a pessoa precisa fazer é contatar a instituição se algo acontecer para, assim, ter todo o suporte para reverter a situação.

    Vemos então, que a forma de funcionamento desse plano é basicamente a de ser um auxílio para que você não fique na mão tendo que resolver tudo sozinho, ou então com algum prejuízo financeiro.

    Ou seja, existem situações as quais você está protegido com a empresa e que, caso mantenha o pagamento da mensalidade e todas as obrigações para não perder o direito em dia, tornam possível o acionamento da seguradora para contornar o ocorrido, seja por meio de um reembolso ou de uma cobertura disponível no seu seguro para celular, carro, residência, vida, entre outros.

    Tudo isso, no entanto, é possível de descobrir no momento em que você decide fazer a cotação de seguro, seja de forma presencial ou virtual (disponível principalmente nas modalidades de seguro online), onde todas as particularidades do plano estão descritas.

    Durante esse momento você consegue descobrir contra quais situações está protegido, se há a possibilidade de reembolso e qual o montante, o que deve fazer para não perder o benefício, como acionar a sua seguradora em caso de sinistro e o preço do seu plano.

     

    Sobre as assistências e a possibilidade de reembolso

    Ao falarmos principalmente sobre as coberturas e assistências disponíveis nos planos de seguro, devemos lembrar que elas são diferentes dependendo de dois fatores: a modalidade contratada e a empresa escolhida. E para ficar naqueles que falamos anteriormente, vamos explicar abaixo o que é mais comum de encontrar como proteção para o carro, celular, casa e vida.

    No seguro auto, o mais comum é ter proteção contra furto e roubo, danos parciais, perda total, serviço de guincho e alguns auxílios como troca de pneu, conserto em caso de pane elétrica ou mecânica e reboque para o posto de gasolina mais próximo. Já no seguro celular, por outro lado, o mais comum é a cobertura contra roubo e furto, e em alguns casos os danos causados por quedas ou outros acidentes.

    Quanto ao de vida, ele age com indenizações para doenças e acidentes que causam invalidez ou morte (acidental ou natural) do segurado. O residencial, por sua vez, protege a casa contra problemas de origem natural (incêndios, raios, explosões, entre outros) e roubo, sempre por meio de uma indenização também.

    E uma vez que começamos a falar sobre o estorno, ele é algo muito comum em todos os tipos disponíveis no mercado, o que faz depender do tipo de situação que você sofreu para saber se é possível pedir ou não. Vale lembrar que tudo isso pode ser analisado antes mesmo de fechar o contrato, ou na apólice, então leia com atenção!

     

    Ter seguro é importante?

    Tendo em vista que ele é uma forma de evitar problemas que vão virar dor de cabeça e prejuízos, principalmente financeiros, para entender a importância desse serviço devemos entrar em alguns motivos para fechar contrato. Eles são:

    1. Você fica mais protegido diariamente;
    2. É uma ótima forma de preservar o seu bem, tendo mais tempo de vida útil e não desvalorizando com o tempo;
    3. Existem opções com bom preço, coberturas adequadas e bom reembolso, criando um ótimo custo-benefício;
    4. Você tem menos dores de cabeça se algo acontecer.

    Tudo isso tem como base em uma mesma ideia, que é a de levar mais praticidade para todos os dias e momentos, algo que você consegue por meio de um bom seguro. Ou seja, ele é um serviço extremamente importante se você busca mais tranquilidade e deseja que o seu bem seja conservado por mais tempo. Tudo o que você precisa fazer para encontrar o melhor plano para você, então, é simular o seguro e dar adeus às dores de cabeça após fechar o contrato!

    E se você gostou de saber sobre esse tema e quer conhecer melhor o universo dos seguros para ter total proteção, confira o Blog da Pier Seguradora e leia diversos conteúdos cheios de dicas que vão aumentar a sua segurança diária!

  • 10 dicas para proteger seus bens em um show

    10 dicas para proteger seus bens em um show

    Quando vamos a show queremos curtir despreocupados, e a pior sensação é a de perceber que lá se foi um bem importante. Estava ali agora mesmo, no nosso bolso, mochila, pochete, mas agora não está mais com você. E é exatamente por isso, a fim de evitar situações assim, que preparamos esse texto, para te ajudar a proteger os seus bens em shows, ou seja, para que você possa curtir sem nenhuma preocupação!

    Aqui na Pier Seguradora, nós protegemos o seu celular por meio do seguro contra roubo e furto, e isso significa que você pode ficar muito mais tranquilo se quiser levá-lo para um show ou evento com muita gente.

    Mas também sabemos que ninguém gostaria de ficar sem aparelho celular, mesmo sendo um membro da nossa comunidade, assim como ninguém gostaria de ter outros bens furtados ou roubados em um momento que deveria ser de descontração e não de susto, não é mesmo?

    Por essa razão, separamos algumas dicas para que você possa se manter em segurança e proteger os seus bens – e a si mesmo – ainda que esteja no meio de uma multidão, bem como um tópico onde explicamos tudo sobre o papel do seguro de celular para que você foque totalmente em aproveitar o show. Pronto para conferir? Então venha conosco!

     

    1. Cuide dos bens de valor

    A primeira dica para proteger seus bens é não portar objetos de valor, ou tomar muito cuidado com eles caso estejam com você. Aqui, estamos falando especialmente daqueles que possuem um valor sentimental, mais do que somente o valor em dinheiro. Pode parecer óbvio, mas muita gente só se dá conta de que está com um par de brincos lindos ou a correntinha que os avós deram de presente quando chegam na porta do estádio.

    É claro que, se for o seu artista ou banda favorita, você vai querer se vestir bem para aproveitar ao máximo o momento e até mesmo tirar fotos para postar em suas redes sociais, mas quanto mais cuidado você puder tomar, melhor se torna o quesito proteção, além de evitar ser furtado também, o que pode arruinar a sua noite especial e toda a experiência do show.

    E, como já dissemos anteriormente, se você quiser levar o seu celular e for um membro da Pier, já estará protegido contra roubo e furto qualificado ou simples. Mas tomar cuidados adicionais quando estiver com ele é uma boa ideia, já que é suficiente para evitar sustos desnecessários.

     

    2. Não coloque todos os objetos em um mesmo lugar

    Dos poucos objetos que você deve levar, a melhor dica é não juntar tudo num mesmo lugar. Por exemplo, colocar dinheiro, cartões, ingresso do show e demais coisas que você pode precisar na carteira não é tão recomendado assim; a ideia é distribuir pelo corpo! Deixe um pouco de dinheiro, em cada local, evitando que tudo seja retirado de você se algo acontecer

    Outra dica de ouro para proteger seus bens é a boa e velha doleira. Sabe aquelas bolsas que parecem uma pochete, mas são mais finas e a gente coloca ao redor da cintura, por debaixo da roupa? Coloque um dinheirinho lá também, e nunca – em hipótese alguma, na verdade – coloque objetos nos seus bolsos, a menos que eles tenham zíper e fiquem do lado de dentro da vestimenta.

    Deixar o celular no bolso de trás da calça jeans, que é uma ação bem comum na verdade, é pedir para perder ele, principalmente se ele não ficar totalmente dentro do bolso.

     

    3. Passe um pente-fino em você mesmo antes de sair de casa

    Roupa leve e descontraída, com o menor número de adereços possível é o ideal, ao menos os que ficam aparentes. Até porque as pessoas se soltam durante um show e você não quer que o animado da fila da frente enrosque a mão no seu enorme brinco de argola e te machuque, certo? Você não acreditaria no número de pessoas que saem machucadas de um evento deste tipo porque deu a “sorte” de ficar ao lado de alguém (muito) desastrado.

    Certifique-se de também estar com um calçado confortável e seguro. Levar pisões no pé sem querer, além de doer, pode causar um dano mais sério, principalmente se for de um salto alto. Mas com uma boa vestimenta e um bom par de tênis fica mais fácil até de se locomover, caso haja tumulto.

     

    4. Pense se aquele lugar é adequado para você

    Se você pretende assistir a um grande show de rock, especialmente em festivais, um super show sertanejo ou se acabar num trio elétrico, pense duas vezes: será que é o lugar para você?

    Quando o tema é segurança, não se trata apenas de não ser roubado ou perder dinheiro e coisas do gênero. Se você está bem no meio de cem mil pessoas e passa mal, com uma súbita queda de pressão, sente tonturas, precisa usar o banheiro com urgência, etc., não tem o que fazer. É isso mesmo o que você leu: não tem o que fazer.

    No mínimo, vai demorar muito até uma ajuda chegar perto de você (sejam bombeiros, segurança, entre outros). Avalie bem antes de sair de casa para evitar situações como essa, que podem gerar nada além de maiores complicações.

     

    5. Escolha um lugar seguro para ficar

    Se você for do tipo destemido que não perde um show da sua banda favorita mesmo se não tiver ninguém para te acompanhar, escolha um lugar mais seguro e evite ir na pista, no meio da multidão, mesmo que isso signifique não ficar tão perto dos integrantes da sua banda amada.

    Acredite, estar em um lugar mais reservado e seguro ajuda muito em situações de emergência ou de descontrole (lembre-se sempre: você estará em um lugar cheio de pessoas!). Portanto, deixe para se aventurar quando tiver os amigos para dar uma ajuda contra eventuais apertos, se algo acontecer. Em voo solo, vá de cadeira sempre que possível, ficando bem confortável e em um local mais “civilizado” para aproveitar ao máximo sem dores de cabeça.

     

    6. Se organize com antecedência para chegar e ir embora

    Já calculou bem onde o ônibus para, o quanto você precisa andar até a porta do local, se tem linha de metrô/trem, qual é e se é fácil pegar Uber na região? Também já se informou a respeito do horário de encerramento das atividades do transporte público e viu se vai conseguir chegar em casa sem problemas após o show?

    No Brasil, de modo geral, o transporte público não funciona 24h por dia, salvo em algumas datas específicas, como Natal e Ano Novo, e mesmo assim é apenas em algumas grandes capitais. Por isso, é importante ter essas informações à mão com antecedência para se programar. Se for de carro, certifique-se sobre o horário de funcionamento do estacionamento e o valor para o tempo todo que precisará deixá-lo no local.

    Não se preveniu e ficou na rua no final do show? Não fique sozinho de forma alguma! Fique perto de um grupo de pessoas que também estavam no evento. Geralmente, elas se aglomeram em um ponto de ônibus ou em um terminal de trem/metrô, esperando a primeira condução do dia.

     

    7. Cuidado com cambistas e flanelinhas

    Não compre ingressos de cambistas. Não deixe o seu carro na rua aos “cuidados” de flanelinhas. Não compre água e outros produtos de vendedores não credenciados e coisas do tipo. Todas essas pessoas que ficam ao redor dos locais onde há grandes eventos, tentando empurrar produtos para cima de você, fazem parte de uma rede de ações não lícitas que podem te causar dor de cabeça.

    Ingressos de cambistas têm muita chance de serem falsificados, e aqui na Pier, nós apoiamos a honestidade acima de tudo. Além disso, alimentos comprados fora dos pontos habilitados para o show podem estar contaminados com uma porção de substâncias prejudiciais à saúde, então fique bem atento!

     

    8. Não se esqueça de levar o carregador do celular

    Já faz tempo que o celular passou a ser também um item de segurança para as mais variadas situações, desde chamar um aplicativo de transporte ou táxi até a polícia, em um caso mais extremo. É comum gastar toda a bateria na fissura de querer registrar o momento e depois, no final do show, ficar zerado, então previna-se e tenha o seu carregador (seja portátil ou de tomada) sempre à postos para evitar surpresas!

     

    9. Tente não levar mochilas ou bolsas exageradamente grandes

    O ideal é distribuir o dinheiro/cartões pelo corpo e levar uma bolsa, preferencialmente pequena, que atravessa o torso em diagonal ou, melhor ainda, uma pochete. Você vai querer ficar com as mãos livres para dançar, gesticular, abraçar o amigo em prantos quando o vocalista da banda acenar para você e, principalmente, despreocupado se os seus pertences estão em segurança ou não.

     

    10. Feito o check-list dos pontos acima e sendo membro da Pier, apenas relaxe e aproveite!

    Agora que você já sabe como proteger seus bens em shows, divirta-se o máximo que puder. Afinal, o seu artista favorito não vai ficar na sua frente para sempre! Se quiser levar o celular e for um membro da Pier, aproveite para tirar muitas fotos sem deixar de tomar os cuidados necessários.

    E tendo um bom seguro para celular ao seu lado ou não, não esqueça de guardar o seu aparelho em um lugar de fácil acesso – caso algo aconteça – e que você saiba onde ele está a fim de não ter maiores problemas ou dores de cabeça.

     

    Vou muito em shows e quero aumentar a minha segurança de forma prática, o seguro celular pode ajudar?

    Chegando ao final do nosso conteúdo de hoje, após você entender 10 dicas fundamentais para aproveitar ao máximo o show que você se preparou para assistir, vamos entrar agora em uma recomendação muito forte, que é ter um bom seguro celular ao seu lado.

    Por meio desse serviço, que é basicamente um plano onde você pode ser indenizado dependendo do que acontecer, você não fica na mão mesmo se algo acontecer. Os principais tipos de sinistros protegidos aqui são o furto e o roubo, duas coisas muito comuns em shows, festivais e outras ocasiões onde você está distraído, aproveitando o momento com a sua banda favorita.

    Existem empresas do ramo que oferecem proteção contra danos e quedas no dispositivo, o que pode ser interessante se, enquanto você estiver pulando e vibrando no show, o seu aparelho cair no chão e sofrer algum dano. Em casos assim, normalmente você não precisa pagar pelo conserto.

    Mas se você sofrer um furto, é possível pedir reembolso, e você só precisa fazer um BO online (para ser mais rápido), bloquear o seu dispositivo pelo IMEI com a operadora e sinalizar o sinistro. Ao enviar todos os dados solicitados pela empresa, em até 5 dias úteis (ou até menos, dependendo da seguradora) você recebe o dinheiro na sua conta bancária e evita maiores dores de cabeça.

    Fazendo isso, e seguindo todas as dicas que trouxemos hoje, é só aproveitar e ser feliz! Algo totalmente apoiado por nós já que concordamos com uma vida mais leve e com menos preocupações.

    E se você quer saber mais dicas que vão aumentar a proteção que você tem com o seu celular diariamente, confira o Blog da Pier Seguradora!

  • Tive meu celular furtado e tenho seguro, o que fazer?

    Tive meu celular furtado e tenho seguro, o que fazer?

    O uso dos celulares na rotina tem sido cada vez mais comum, e aqui não importa qual é o tipo de uso já que é possível trabalhar, tirar fotos, jogar e fazer mais uma série de outras coisas com esse dispositivo eletrônico.

    Como uma forma de responder a essa necessidade e gerar mais proteção em todos os momentos, foi criada a modalidade de seguro onde esse aparelho é protegido contra as principais situações que podem acontecer. E mesmo que ao ter esse serviço você espere nunca ter que acionar a empresa, por ser sinônimo de enfrentar problemas, você sabe tudo o que deve ser feito caso sofra um sinistro com o seu celular?

    Não existe problema se você respondeu que não, afinal, por meio desse texto você vai saber o passo a passo ideal para se livrar de todas as dores de cabeça que podem resultar disso! Venha conosco e tenha mais proteção diária.

     

    Alguns cuidados importantes para evitar ao máximo um sinistro

    Antes de entrarmos na questão de o que fazer e como o seguro de celular pode te ajudar, é importante lembrar que existem alguns pontos de atenção que são indispensáveis se você pretende usar o dispositivo na rua sem preocupações.

    Tudo começa não deixando que ele fique exposto, seja em um bolso onde ele não cabe totalmente ou até mesmo segurando ele em sua mão enquanto anda, por exemplo. O mais recomendado, na verdade, é ter sempre uma bolsa ou mochila na qual você possa carregar o seu aparelho.

    Além disso, evitar usar o celular em um local que está tendo uma aglomeração, ou que está vazio demais, também é essencial à medida que ambas as ocasiões aumentam as chances de ter o seu aparelho subtraído de você.

    O backup também é uma forma de evitar que os seus dados pessoais sejam violados ou perdidos, se algo acontecer. Dessa forma, você consegue manter mensagens, fotos, arquivos e aplicativos na nuvem, fáceis de baixar novamente e algo somente possível por meio da sua conta, ou seja, só você vai conseguir fazer isso.

    E por ser a melhor forma de ter mais segurança onde for, não podemos deixar de lado também o seguro, tendo em vista que é possível contratar seguro para iPhone e outras marcas presentes no mercado. Por meio dele você tem menos preocupações já que principalmente furto e roubo são situações cobertas. Logo, a empresa não te deixará de mãos vazias graças por ser possível receber reembolso em qualquer uma dessas duas ocasiões.

     

    E se mesmo assim eu sofrer um sinistro, o que fazer?

    Apesar de essas dicas que trouxemos no tópico anterior serem muito valiosas para aumentar a proteção, é importante mencionar que elas não são garantia de que você não terá nenhum problema enquanto anda na rua e usa o seu celular. É exatamente aqui que entra o principal motivo, e uma das vantagens, em ter um bom seguro para celular ao seu lado.

    E a primeira coisa que você precisa se atentar é em procurar por um plano que não faça diferença entre furto e roubo, ou seja, que seja possível receber reembolso em ambas as situações. Se ao fazer a cotação de seguro você notar que também possui proteção contra danos e quedas, melhor ainda, já que gera ainda menos preocupações, mesmo que isso seja algo menos preocupante do que ter o seu celular retirado de você.

    Agora, se você já está ciente de todos os benefícios, fechou contrato com uma seguradora e sofreu um sinistro, os passos que você precisa seguir para evitar maiores problemas – e ter o seu reembolso! – são os seguintes:

     

    1. Antes de tudo, tenha o aplicativo instalado no aparelho

    Nas modalidades para celular, é muito comum encontrarmos o chamado seguro online, onde tudo o que você tiver que resolver – ou se precisar de ajuda – pode ser feito por meio de um aplicativo ou direto no site da seguradora. Se esse for o seu caso, é crucial ter o aplicativo da empresa instalado antes mesmo de sofrer algum problema e seguir para os próximos passos.

     

    2. Abra um boletim de ocorrência

    Após ter o seu aparelho subtraído de você, manter a calma é extremamente necessário, apesar do ocorrido. Feito isso, não deixe de fazer um boletim de ocorrência. Isso pode ser feito na delegacia mais próxima, ou você pode fazer um BO online se preferir.

    Além de ser um processo o qual você consegue ter um documento que deve ser enviado para a seguradora mais para frente, também torna possível que a Polícia procure pelo seu dispositivo. Então se você é o tipo de pessoa que se pergunta “como vou encontrar meu smartphone após o furto?”, ou algo parecido, não se preocupe, pois isso será responsabilidade da Polícia!

    A única coisa que você não pode esquecer, tanto para ajudar na busca do aparelho como para evitar o risco de não receber o reembolso, é conceder o código IMEI do aparelho na hora de abrir o BO.

    Se você não sabe como checar o IMEI, é possível procurar por um adesivo colado na caixa ou na bandeja do chip, e se não encontrar em nenhum dos dois, é possível digitar *#06# no menu de ligação que ele vai aparecer na sua tela. Não esqueça que é importante saber esse código antes mesmo do ocorrido, já que será muito difícil conferir após perder o aparelho!

     

    3. Bloqueie o dispositivo pelo IMEI

    Para garantir a sua segurança, e poder receber o reembolso, existe ainda mais uma coisa que deve ser feita, e esta é bloquear o dispositivo pelo código único de identificação, fazendo com que seja impossível de utilizar, seja com o seu chip ou qualquer outro que seja colocado no dispositivo.

    Mas como bloquear o celular pelo IMEI? Isso é muito simples; tudo o que precisa ser feito é ligar para a central da sua operadora telefônica e solicitar o bloqueio, concedendo o número único do aparelho. Os números para a ligação são:

    • 1050 ou (11) 4004–6611, para Nextel;
    • 1052, para clientes Claro;
    • 1056 ou *144, para a central da TIM;
    • 1057, para falar com a Oi;
    • 1058 ou *8486, para a Vivo.

    Para ter certeza de que o bloqueio realmente aconteceu e que não é necessário repetir o processo, você pode entrar no site da Anatel e buscar pelo IMEI do seu celular para ver em que estado ele se encontra. E caso futuramente o seu aparelho seja encontrado pela Polícia e devolvido a você, para desbloquear o dispositivo basta ligar para a sua operadora e solicitar o desbloqueio, concedendo o código outra vez. Simples assim e ele volta a funcionar como antes.

     

    4. Sinalize o sinistro na seguradora e envie os dados

    Após fazer tudo isso, a próxima etapa é justamente acionar a seguradora a fim de que seja feita uma análise que tornará possível receber o reembolso do seu seguro celular.

    Novamente, se for a modalidade digital, tudo o que você precisa fazer – já que não possui o seu dispositivo para acessar o aplicativo – é entrar no site da empresa, fazer login na sua conta e entrar na área em que é possível sinalizar o sinistro. Para isso, você deve enviar uma cópia do boletim de ocorrência, o código IMEI do seu dispositivo – agora bloqueado – e a solicitação de reembolso.

    Ao receber tudo isso, a empresa vai fazer uma análise e, caso seja constatado que de fato ocorreu um crime e que o seu aparelho foi retirado de você, você recebe o reembolso conforme o valor acordado na hora de fechar o contrato. Ou seja, agora basta esperar.

     

    5. Reembolso na conta e menos dores de cabeça

    Em cerca de 5 dias úteis, ou em um período máximo de 30 dias caso seja necessário o envio de novos documentos (sempre por meio de uma comunicação por parte da empresa), o dinheiro volta para a conta a qual você enviou os dados.

    Lembre que a indenização é feita com base no valor de mercado do seu celular, ou seja, o preço que é usado para a venda, e não o montante aplicado para comprar o dispositivo.

    Mas após todo esse processo, que geralmente é muito rápido, você tem o dinheiro de volta e total tranquilidade para comprar um novo celular, sem precisar tirar todo o valor do seu bolso, caso não queira esperar para saber se ele será encontrado ou se não.

    Ou seja, o seguro celular é um ótimo aliado para quem quer dizer adeus às dores de cabeça e maiores preocupações, já que tudo é resolvido de forma rápida e prática.

    Quer saber mais sobre o universo de seguros e conferir dicas para cuidar melhor do seu celular? Então não deixe de conferir o Blog da Pier Seguradora, onde abordamos esse tema para levar mais facilidade e conhecimentos para você!

  • A Pier possui franquia no Seguro Auto?

    A Pier possui franquia no Seguro Auto?

    Quando falamos sobre o universo de seguros, principalmente abordando a modalidade para os automóveis, alguns termos começam a aparecer e gerar algumas dúvidas, como é o caso da franquia no seguro. Em muitas empresas ela é vista como obrigatória, já que é uma maneira de as seguradoras não perderem dinheiro ou sofrerem algum tipo de prejuízo financeiro.

    Por outro lado, isso torna necessário que o segurado entre com uma parte do orçamento para que o reparo do veículo seja feito, dependendo do limite estabelecido no contrato e do estrago resultante do acidente ou sinistro.

    E se você está se perguntando como a Pier Seguradora age com relação a isso, continue lendo esse texto onde explicamos a fundo para deixar a sua vida mais descomplicada! Venha conosco.

     

    A franquia é obrigatória nos planos da Pier?

    A fim de que você tenha total certeza desde o começo, já adiantamos que o seguro auto da Pier não possui obrigatoriedade de franquia, ou seja, você contrata somente se quiser. Mas como isso acontece, então?

    Bom, é muito simples: em nosso plano básico, nós oferecemos proteção contra roubo e furto, bem como assistências 24h que são guincho em um raio de 200 km, pane elétrica ou mecânica, falta de gasolina, troca de pneu, chaveiro e estacionamento por uma noite, itens fundamentais para quem busca um seguro para carro de qualidade.

    Isso, no entanto, não quer dizer que é impossível ter essa proteção extra em seu plano! Se ao fazer a cotação de seguro você analisar que é muito importante ter a franquia de seguro, você pode incluir na simulação e, em tempo real, você confere o valor da mensalidade (sempre com base no preço do seu carro na FIPE) e qual é o teto máximo que nós vamos te ajudar em caso de conserto para acidentes, batidas, incêndios e outros desastres naturais.

    Apenas fique atento pois, para ter a cobertura de danos parciais, é necessário ter a proteção para perda total, onde fazemos o reembolso do carro nas mesmas situações que os danos abaixo de 75%.

     

    O que é franquia e como ela funciona?

    Após entender sobre como a Pier se posiciona quanto a esse tópico e as facilidades que levamos para o seu dia a dia, a dúvida que fica é sobre o que é e como funciona a franquia, apesar de já termos dado uma breve explicação.

    Sempre que ela está disponível no plano, ela está presente na apólice de seguro e nada mais é do que uma coparticipação entre você e a empresa. Então se você estiver com o carro com sinistro em até 75% do valor coberto pela seguradora de veículos, é possível contar com esse tipo de auxílio para pagar pelo conserto do seu automóvel. 

    Para ficar mais fácil de entender como funciona e o impacto no dia a dia, vamos a um exemplo. Você decide simular o seguro auto com uma empresa que oferece boas condições para a sua proteção, e dentre elas decide acrescentar a franquia. No mesmo lugar onde é possível analisar que ele está presente você pode conferir qual é o valor, antes mesmo de fechar o contrato.

    Se ele ficar em um total de R$ 1.500,00 e você sofrer um acidente que torne necessário o conserto, esse será o valor que você deverá pagar para a seguradora disponibilizar o serviço de reparo. Caso o valor da oficina ficar abaixo, não convém ativar o seguro. Mas em casos que o valor fique superior ao contido na franquia, você pagará apenas o valor acordado.

     

    Mas afinal, é melhor ter ou não ter dentro da apólice?

    À medida em que a proteção é algo fundamental após comprar um carro (seja ele novo ou seminovo) por ser uma maneira de preservar o seu bem, a dúvida que fica é se ter a franquia é uma boa ideia ou não.

    A primeira coisa que devemos analisar é que um bom seguro de carro é aquele que oferece máxima segurança para você em todos os momentos. E tendo em vista que uma das formas que ele protege é contra prejuízos financeiros, ter a franquia pode ser interessante na mesma proporção em que você não precisa pagar por todos os reparos do seu bolso.

    Como eu vou saber, então, se é uma boa ou não? Para decidir, fique atento a dois pontos:

    1. se existe carência, que nada mais é do que um período o qual você não pode acionar novamente a seguradora para que ela pague a franquia do conserto (algo que não acontece com a Pier, já que fazemos a renovação mensal de todas as coberturas disponíveis em nossos planos);
    2. é muito provável que ocorra um aumento no valor do seguro de carros para ter essa proteção extra, mas nada muito alto ou que pese em seu bolso!

    Com todas essas informações, podemos dizer que, para levar mais proteção para todos os dias, a franquia pode ser uma boa aliada para quem está em busca de mais tranquilidade enquanto está andando no trânsito!

    Agora, se você quer ter mais facilidade e menos dores de cabeça no seu dia a dia com um bom seguro ao seu lado, entre em nosso site e faça uma cotação agora mesmo para, em apenas alguns minutos e sem qualquer compromisso, entender como nós podemos te ajudar!

    E para conhecer mais sobre o universo de seguros auto, confira o Blog da Pier, onde trazemos diversos pontos de vista sobre esse assunto para tirar todas as suas dúvidas!

  • Os 10 carros mais valorizados na Tabela FIPE em 2022

    Os 10 carros mais valorizados na Tabela FIPE em 2022

    Ao comprar um carro, um dos pontos levados em consideração, principalmente para saber se é um bom negócio ou não, é o valor dele na FIPE. Afinal, assim você consegue saber se ele está em uma faixa de preço boa para o seu orçamento, ou superior ao que você está disposto a pagar.

    Mas você sabe dizer o que faz um veículo valorizar na tabela FIPE de carros e quais as consequências disso? Se a resposta não foi positiva, fique tranquilo! Por meio desse texto, nós vamos te explicar tudo direitinho, bem como trazer alguns exemplos de carros que foram valorizados e quais foram os valores.

    Então venha conosco e descubra tudo sobre esse assunto para saber quando é um bom negócio para você e quando não!

     

    O que é a valorização de um veículo?

    De forma simples de entender, a valorização dos carros é um processo onde ele passa a valer mais. Esse é um movimento contrário ao que normalmente ocorre no mercado, já que o mais comum é que ele comece a perder valor devido ao tempo de vida útil, que começa a reduzir. O normal é que, assim que o veículo é retirado da loja, ele comece a ser desvalorizado.

     

    Por que acontece uma valorização? Quais motivos levam a isso?

    Durante o ano de 2021, principalmente, as montadoras começaram a sofrer com o fenômeno da escassez de peças e componentes automotivos. Consequentemente, o preço dos carros novos (os famosos 0 km) subiu devido ao baixo estoque e alta demanda pelos veículos.

    Isso gera um movimento maior de valorização dos carros usados e seminovos, uma vez que eles já estão rodando pelas ruas e não são tão caros quanto os que vêm de fábrica, fazendo com que o seu preço aumente de acordo com a Tabela FIPE.

    Mas além disso, é possível tomar alguns cuidados com o veículo para que ele não tenha uma queda muito forte no valor, como por exemplo:

    • Usar produtos que aumentem o brilho das partes plásticas na área interna do veículo;
    • Cuidar bem da lataria, com frequência e bons produtos;
    • Fazer manutenções regularmente;
    • Estar com a documentação em dia;
    • Ter o manual e chave reserva com você;
    • Manter as peças originais;
    • Evitar trocar os pneus originais do modelo.

    Com tudo isso, fica mais fácil de achar um comprador ao colocar o seu carro à venda, sem perder dinheiro ou ter eventuais prejuízos.

     

    Somente carros usados podem ser valorizados?

    Apesar de termos acabado de falar sobre o aumento de preços dos carros 0, o movimento mais comum – quando falamos sobre o impacto na FIPE – é que os carros seminovos e usados tenham um aumento de preço com o passar do tempo.

    E de acordo com o Monitor de Variação de Preços, da KBB Brasil, automóveis com até três anos de uso ficaram cerca de 17,22% mais caros durante o ano de 2021, o que afirma que o movimento é muito mais forte entre os seminovos do que entre os novos.

    Afinal, quando isso ocorre entre os de fábrica, normalmente é devido à escassez de peças e veículos também, o que pode ser causado por diversos fatores, mas sempre gera o aumento nos que já foram comprados pelo menos uma vez.

     

    10 carros mais valorizados no ano de 2021

    Começando com os exemplos de modelos que aumentaram o preço, vamos agora aos carros que, até dezembro/21, foram as melhores opções para quem queria vender carro usado e conseguir um bom dinheiro! A lista é a seguinte:

    1. Citroën C4 Grand Picasso, com crescimento de 66,31% no preço;
    2. Lexus RX350 F-Sport, em 63%;
    3. Hyundai Santa Fé, 41,61%;
    4. Mitsubishi Pajero Sport, 33,44%;
    5. Dodge Ram, 30,55%;
    6. BMW 335, 22,61% de valorização;
    7. Caoa Chery Tiggo 5X, com 15,44%;
    8. Fiat Strada, em cerca de 13,94%
    9. Volkswagen Saveiro, em 12,95%
    10. Volkswagen Virtus, o menor da lista, com aumento de 10,75% do preço inicial.

    É importante analisar que, durante o último mês do ano de 2021, o mercado fechou em alta, e isso acontece devido à alta quantidade de pessoas que decidiram pesquisar um carro e fazer a sua compra. Ao todo, foram 901.849 unidades vendidas, sendo que mais de 772 mil foram automóveis de passeio, com modelos entre os presentes nessa lista.

    Essa pesquisa foi feita pela InstaCarro, uma startup que ajuda em negócios rápidos e seguros para quem quer vender um carro usado ou seminovo e que chegou a todos esses resultados (quantia de veículos vendidos no ano e aumento do preço dos usados).

     

    E no começo de 2022, quais os veículos que mais valorizaram?

    Se você está pensando em comprar carros usados nesse ano, é importante ficar de olho nos modelos que estão com maiores preços para fazer um negócio que caiba no seu bolso.  De acordo com uma pesquisa feita pela KBB – uma empresa norte-americana de avaliação de veículos e pesquisas automotiva – os carros mais valorizados até então são:

    1. Toyota Hilux, valorizada em 16,64%;
    2. Toyota SW4, com aumento de 10,71% na FIPE;
    3. Fiat Strada Cs, com crescimento de 6,59%;
    4. Fiat Strada, também valorizada em 6,59%;
    5. Hyundai Tucson, 5,79%;
    6. Caoa Chery Arrizo 6, 4,90% de aumento no preço;
    7. Porsche Cayenne, 4,21%;
    8. Fiat Ducato, 3,92%;
    9. Fiat Argo, 3,56%;
    10. Chevrolet Tracker, um dos menos valorizados, com 1,28% do valor total.

    Para fazer esse levantamento, a empresa comparou os preços entre esses modelos na FIPE em janeiro de 2021 e em janeiro de 2022, chegando a esse total de valorização e sendo super interessante para donos desses modelos que desejam passar o carro adiante.

     

    Com a valorização do veículo na FIPE, a mensalidade do seguro também sobe?

    Independentemente do tipo de seguro que você tiver para o seu carro, sempre existe um movimento financeiro quando ele sofre alguma alteração na FIPE e isso pode acontecer em âmbitos como o reembolso ou até mesmo no prêmio para manter o seguro do carro em dia.

    Ou seja, se o seu carro valorizar na tabela, é muito possível que ocorra um aumento na tabela de seguro de carros, tanto no que diz respeito à indenização quanto à mensalidade.

    Mas o que acontece se o preço do veículo cair? Bom, isso varia conforme cada seguradora, mas é muito provável que o preço do prêmio também seja reduzido para que você não tenha nenhum problema ou prejuízos.

    Não se esqueça, no entanto, de que isso é relativo e nem todas as empresas agem da mesma forma, então a melhor coisa que você pode fazer é cotar uma boa opção de seguro auto e descobrir como a empresa pode te ajudar a ter mais praticidade em todos os momentos, sempre com total proteção.

    E se você gostou de entender melhor sobre a valorização dos veículos e conferir os 20 que mais subiram entre 2021 e o começo de 2022, que tal conferir o Blog da Pier Seguradora a fim de levar mais proteção com o seu veículo? Venha conosco e tenha o melhor cuidado diário com esse bem tão importante para a locomoção!

  • Como funciona o seguro auto com RCF da Pier?

    Como funciona o seguro auto com RCF da Pier?

    Quando olhamos para os motivos de ter um seguro atualmente, um ponto que se destaca é a maior tranquilidade em todos os momentos. Afinal, por meio de um bom serviço você se livra de muitas dores de cabeça.

    E tendo em vista que existe um alto número de veículos rodando em todo o Brasil, o seguro de veículos é uma das modalidades mais buscadas. Por meio dela, você tem segurança contra diversos tipos de sinistro, como é o caso das perdas totais, danos parciais, furtos e roubos.

    Além disso, hoje existem opções de proteção contra terceiros, e a Pier Seguradora possui esse tipo de cobertura no plano! Então se você quer saber melhor sobre esse tema a fim de estar protegido contra todas as ocasiões possíveis no trânsito, com o melhor serviço ao seu lado, venha conosco e entenda melhor como podemos facilitar o seu dia a dia!

     

    O que é um seguro com RCF e como ele funciona?

    Seguro RCF, ou contra terceiros, é uma categoria onde os carros têm uma cobertura de proteção adicional, somada à proteção contra furto, roubo, danos parciais e perdas totais. E ela nada mais é do que a isenção da obrigação por lei de pagar o reparo causado a outra pessoa em um acidente envolvendo dois, ou mais, carros. Como assim?

    Vamos supor que você está no trânsito, foi passar por uma avenida e acabou batendo no carro de outra pessoa. Em uma situação assim, já que a responsabilidade do ocorrido é sua, a legislação brasileira de trânsito diz que é você quem deve arcar com as despesas para conserto do carro, bem como todos os possíveis danos causados a outra pessoa que estava dirigindo.

    Agora, se você tiver essa modalidade de proteção para terceiros, basta acionar a sua seguradora de veículos que você fica livre dessa obrigação por um simples fato: a empresa pagará o conserto e todos os danos, tudo por meio de uma indenização.

    Logo, tudo o que você precisa fazer é pegar os dados da outra pessoa – ou outras pessoas dependendo da gravidade do ocorrido – envolvida no acidente, acionar a seguradora e enviar as informações para a empresa.

    Tendo isso em mãos, ela ficará responsável por contatar cada uma das pessoas a fim de enviar uma indenização para que ninguém tenha prejuízos.

     

    Quais os benefícios em ter essa proteção extra no dia a dia?

    Quando olhamos para o seguro de carro, já não é novidade para ninguém que é muito bom ter ele ao seu lado por fazer com que você não perca dinheiro e nem tenha algum prejuízo, mesmo se causar – ou sofrer – um acidente no trânsito.

    Mas e o seguro contra terceiros, você sabe qual é a vantagem em ter essa modalidade? De forma simples, ele é ótimo já que você não vai ter que usar do seu próprio dinheiro para pagar por todos os danos que são consequência de um acidente que você causou sem intenção.

    Logo, ficando livre dessa obrigação, você pode aplicar o dinheiro para reparar o seu veículo – que provavelmente estará danificado devido ao ocorrido – e evitar maiores dores de cabeça.

    Por outro lado, se a outra pessoa quiser abrir um processo contra você, não é necessário se preocupar com as despesas com advogados e indenizações; tudo fica a cargo da seguradora. Ao ter essa cláusula no seu seguro para carros, você também evita uma dor de cabeça com a justiça já que, dependendo da gravidade da situação, não ter essa proteção pode ser considerado como uma negligência da sua parte perante a lei. Então fique atento!

     

    Quem pode ter um seguro auto desse tipo?

    De forma geral, se você é uma pessoa que deseja proteger melhor o seu carro e ter menos prejuízos no dia a dia, e tem como manter esse benefício mensalmente, você é uma pessoa que pode ter esse serviço e já possui, inclusive, tudo o que precisa para ter um bom seguro de automóvel ao seu lado.

    A ideia, então, é fazer uma cotação de seguro com a melhor opção para você e estar atento às regras da empresa para que você mantenha o seu plano. Logo, analise alguns pontos cruciais, como o valor do seguro de carros, as assistências disponíveis e quais adicionais você pode colocar no plano, caso ele seja personalizável.

    E mais do que isso, não esqueça também de pagar corretamente as parcelas para não perder a cobertura e proteção do seu veículo.

     

    De qual forma o seguro de proteção contra terceiros da Pier pode me ajudar?

    Agora que entendemos as particularidades que o RCF leva para o dia a dia, e como ele pode ser útil e vantajoso para quem está constantemente no trânsito, a dúvida que fica é sobre todos os diferenciais do seguro auto da Pier com proteção contra terceiros.

    E para isso é muito simples; além de ter assistência contra roubos e furtos somados às assistências 24h que você possui mesmo em nosso plano básico, é possível adicionar três proteções de vertentes contra danos no seu plano, que são para:

    1. Bens materiais (para com outro veículo ou um imóvel atingido por você);
    2. Físicos a pessoas (com quem esteve envolvido no acidente que você causou);
    3. Morais (custo com advogados e despesas de danos morais aos envolvidos no ocorrido).

    Tudo isso pode ser contratado com um adicional na mensalidade, mas com um alto custo-benefício quando vemos que os dois primeiros tipos possuem valor limite de R$ 100.000,00 na cobertura (que não saem do seu bolso, são responsabilidade nossa!) e, o terceiro, até R$ 25.000,00 para você não ter dores de cabeça em qualquer situação.

    E já que oferecemos a modalidade de seguro online, se algo acontecer basta nos acionar (por meio do aplicativo ou pelo site) que nós faremos todo o possível para resolver a situação, sempre de forma prática e descomplicada!

    Não esqueça: em nosso plano, você não possui nenhum tipo de carência ou fidelidade e que funciona como um plano de assinatura, onde você paga por mês e pode cancelar quando quiser, sem se preocupar com multas e quebras de contrato.

    Gostou de saber sobre como nós podemos ajudar no seu dia a dia nesse conteúdo? Que tal entrar em nosso site para fazer agora mesmo uma simulação rápida, e sem compromisso, para conferir como nós podemos solucionar os seus problemas?

    E para mais dicas como as de hoje, confira também o nosso Blog, onde trazemos diversos conteúdos sobre o universo do seguro auto para que você tenha máxima tranquilidade em todos os momentos. Venha com a Pier Seguradora e tenha o melhor cuidado com o seu carro!

  • Seguro com proteção contra terceiros é a mesma coisa que seguro com franquia?

    Seguro com proteção contra terceiros é a mesma coisa que seguro com franquia?

    Ao enfrentar o trânsito, é muito comum encontrarmos uma grande quantidade de carros. E não é para menos, já que, de acordo com uma pesquisa da Secretaria Nacional de Trânsito do Ministério de Infraestrutura, existem quase 60 milhões de carros no Brasil.

    Em um cenário como esse, não é raro presenciarmos acidentes, sejam eles envolvendo somente um carro ou não, e é exatamente por isso que ter um seguro é a melhor opção para quem quer se livrar de maiores preocupações.

    Isso se torna ainda mais importante, e impactante, quando analisamos a possibilidade de ter um seguro contra terceiros, que possibilita não ter a obrigação de pagar indenizações mesmo caso seja o responsável em um acidente.

    No entanto, esse é um tópico que ainda gera confusão, principalmente quando é comparado com a franquia. Então, se você quer saber melhor sobre esse assunto, continue a leitura e tire todas as suas dúvidas!

     

    RCF e franquia são coberturas iguais?

    Já que o principal questionamento gira em torno da Responsabilidade Civil Facultativa e da franquia, a primeira coisa que devemos saber é que não, elas não são iguais!

    Cada termo é referente a um adicional no seguro de veículos, onde um não substitui o outro. Mas para ficar mais fácil de entender, o melhor a se fazer é conhecer um pouco mais sobre cada um e a respectiva funcionalidade.

    Começando por o que é o seguro RCF e como funciona, ele é uma assistência adicional que te livra da obrigação – por lei – a pagar por todos os danos em um acidente não intencional que foi causado por você. Logo, se ao circular no trânsito você gerar um imprevisto dessa natureza, tudo o que você precisa fazer é acionar a sua seguradora de veículos, coletar os dados dos envolvidos e enviar para a seguradora, que fará o contato e tomará as providências para que ninguém tenha prejuízo.

    Já a franquia é um termo referente a um valor estabelecido na apólice de seguro para coberturas em consertos. Como assim?

    Vamos supor que você sofreu um sinistro sozinho que danificou o seu veículo. Você acionou a empresa e levou para uma oficina, que fez um orçamento para o reparo do carro. Se você tiver a franquia de seguro no seu plano e estiver dentro do valor estabelecido, o seguro pagará e o seu carro será arrumado, sem você precisar colocar dinheiro junto.

    Em compensação, se o valor for acima do que foi combinado ao fechar o contrato, a seguradora concede o montante estabelecido e a quantia necessária para fechar o orçamento sai do seu bolso. O modo de funcionamento é como uma coparticipação, onde tanto você como a empresa pagam, juntos, pelo conserto do veículo.

    Podemos ver, então, que eles são conceitos totalmente diferentes e que podem estar presentes de forma complementar no contrato.

     

    Quais vantagens cada um leva ao plano do seguro?

    Dentre os principais motivos para ter um seguro de automóvel, nós podemos elencar as vantagens que tanto a proteção contra terceiros como a franquia oferecem, e elas são muito parecidas. Afinal, em ambos os casos a principal ideia é evitar que você tenha um prejuízo financeiro, seja pagando pelos danos causados a terceiros (físicos, morais, estéticos e eventuais prejuízos causados pela interrupção de atividades profissionais) ou ao seu veículo.

    No primeiro caso, especificamente, o seguro faz a indenização para o terceiro, ao mesmo tempo em que arca com despesas judiciais se necessário, enquanto no segundo você recebe uma indenização parcial do seguro a fim de reparar o veículo, sempre no valor acordado inicialmente.

    Assim, ao mesmo tempo em que você tem mais proteção e preserva o seu automóvel, ambas as coberturas evitam que você arque com os custos sozinho, o que não pesa no seu orçamento.

     

    A indenização para terceiros tem algum valor máximo?

    Tudo bem, até então vimos que tanto o RCF como a franquia são formas de evitar maiores problemas caso tenha um carro com sinistro, essencialmente devido a um acidente.

    E uma vez que existe um valor pré-determinado de quanto a empresa dispõe para ajudar no conserto do seu carro, a dúvida que fica é se também existe um montante total máximo o qual a proteção contra terceiros pode acontecer.

    Aqui, não existe um consenso aplicado por todas as empresas do ramo, mas atualmente o mercado oferece um limite médio de até R$ 50.000 para cobrir todas as despesas se você gerar um acidente com outras pessoas. Como falamos, esse não é um valor absoluto e usado sempre, então é importante analisar qual é o seu limite na hora de fazer a cotação de seguro com a seguradora desejada.

    Mas o que acontece se todas as despesas superarem esse valor? Bem, aqui entra outro ponto que não é universal, não sendo retratado sempre da mesma forma entre planos de seguro auto de diferentes empresas do ramo.

    Em situações assim, é possível que entre uma função muito parecida com a franquia, e é exatamente por isso que existe o paralelo entre os dois termos. Ou seja, até R$50.000 a empresa é responsável por indenizar os terceiros, mas tudo o que for acima se torna responsabilidade sua.

     

    É bom ter tanto a franquia como o RCF como coberturas no meu seguro?

    Chegando ao final do conteúdo, outro fator importante de observar é se ter as duas opções dentro de uma mesma apólice é uma boa ideia. Para isso, devemos analisar o seguinte ponto: se eu sofrer um sinistro de seguro, como ambas as coberturas vão me ajudar?

    O RCF será de extrema importância à medida em que ele evita que você tenha maiores prejuízos tendo que pagar pelo conserto, e respectivos danos, causados à outra pessoa no trânsito; logo, ter ele no seu plano é ótimo.

    Já a franquia é um tópico que divide opiniões. Alguns acreditam que ela é uma boa ideia já que supre consertos de danos até 75% do valor do carro (os famosos danos parciais, já que acima disso se torna perda total), ou ajuda com o pagamento necessário para isso.

    Por outro lado, algumas pessoas dizem não ser uma boa ideia por dois fatores:

    1. ter que colocar uma parte do dinheiro do seu bolso também, sendo uma coparticipação;
    2. existem opções de seguro que oferecem reembolso tanto para danos parciais como perda total, fazendo com que você não perca dinheiro, independente do que acontecer, e não precise colocar tirar do seu bolso para reparar o veículo.

    Vale lembrar que é possível descobrir, durante o momento de simular o seguro auto, se você possui franquia ou não. De toda forma, é importante ficar de olho a fim de saber se você será apenas uma despesa extra ou de fato um auxílio!

    Por serem coberturas adicionais (a menos que você cote o seguro com uma empresa que tem a obrigatoriedade da franquia e não oferece ao menos a possibilidade de tirar), o prêmio mensal do seu plano será um pouco maior do que se for sem esses serviços, mas quando comparado à economia que você terá não tendo que indenizar outras pessoas ou lidar sozinho com o conserto do seu carro, se torna um ótimo custo-benefício para ter mais proteção.

    Agora, para se informar mais sobre o seguro auto, entendendo tudo desse serviço para ter menos dores de cabeça diariamente, confira o Blog da Pier, onde trazemos diversos conteúdos para aumentar o seu conhecimento e diminuir as dores de cabeça com o seu carro!

  • Seguro RCF é uma boa opção ou apenas mais despesa?

    Seguro RCF é uma boa opção ou apenas mais despesa?

    Feito para levar mais tranquilidade e praticidade para todos os momentos, por meio do seguro você evita diversos problemas à medida em que tudo o que você precisar pode ser resolvido apenas acionando a empresa que você contratou os serviços.

    Mas quando analisamos a questão de ter mais tranquilidade no seguro para veículos, não podemos deixar de lado a questão da proteção contra terceiros. Afinal, as chances de causar um acidente no trânsito são altas e, se isso acontecer, você é o responsável por pagar pelo conserto de todos os envolvidos no ocorrido.

    Porém, já que esse tipo de cobertura adicional pode gerar algumas dúvidas nas pessoas, fizemos esse texto para explicar se vale a pena ter ele, principalmente quando analisamos do ponto de vista financeiro, sem pesar no seu orçamento mensal.

    Então se você está em incerto se deve assinar com essa opção ou não e quer saber mais sobre o assunto, continue lendo esse texto e tire todas as suas dúvidas!

     

    O que torna o seguro RCF interessante?

    Só pelo fato de tirar a obrigação de arcar sozinho com os custos de todos os envolvidos, se você gerar um acidente de trânsito, o seguro RCF é uma das melhores formas de evitar diversos prejuízos e problemas financeiros.

    Isso é importante quando analisamos que você não pagará somente pelo conserto do outro veículo, mas sim por todos os danos materiais, físicos, morais, estéticos e prejuízos devido a interrupção de trabalho, seja de uma empresa ou de um profissional liberal.

    E se mais de uma pessoa for impactada pelo acidente, você deve pagar isso para todas elas, isso sem contar também o prejuízo do seu carro com sinistro. Logo, pode ser um valor total muito alto, o que pode – agora sim – pesar no seu orçamento se você não tiver essa cobertura disponível.

     

    Tudo bem, mas se o meu plano tiver o RCF, o que muda?

    Bem, isso é muito simples. Se a sua seguradora de veículos oferece essa cláusula adicional no contrato e você causar um acidente enquanto está no trânsito, tudo o que você precisa fazer é pegar os dados dos outros motoristas, acionar a empresa, explicar o que aconteceu e enviar os dados das outras pessoas.

    Com isso em mãos, a seguradora entrará em contato com cada um deles para enviar uma indenização referente ao ocorrido, e tudo está resolvido, sem maiores problemas para ninguém.

     

    Impactos dessa cobertura no seu seguro

    Quando falamos sobre o impacto do seguro de carro com essa assistência, devemos lembrar que ele é um serviço de proteção para danos materiais, morais e corporais causados a terceiros, sempre de forma involuntária, como é o caso de um acidente de trânsito. Se isso acontecer, o responsável pelo incidente é obrigado por lei a pagar pela reparação, dentro do que citamos anteriormente que deve ser restituído.

    Logo, o principal efeito é o de você não ter que arcar com tudo sozinho, o que poderia gerar uma grande perda de capital. Somado a isso, se após o acidente ocorrer algum processo judicial, ou extrajudicial, com o RCF você fica livre das despesas com advogados, já que fica a cargo da seguradora também. Ou seja, ela não somente quita a reparação para com os envolvidos no acidente que você causou como também faz com que você não precise pagar por advogados e indenizações.

    E se tratando de uma cobertura adicional, não esqueça que tudo isso não vem de graça no plano! O valor do seguro de carro que você possui vai mudar, e o preço extra é calculado com base no preço do seu carro na FIPE. Mas quando analisamos que tudo o que você precisa fazer é pagar a mensalidade para ter essa proteção extra, fica super em conta!

    Vale lembrar também que é possível analisar isso na hora em que você vai simular o seguro auto com a empresa, onde você pode implementar esse tipo de proteção e sabe quanto a mais será cobrado no seu prêmio para isso.

     

    Existe um limite total para a indenização?

    Vamos supor que você tem um compromisso e está indo com o seu carro até o local. Tudo está fluindo bem até que, em algum momento, você acaba tendo um sinistro devido a um acidente que você causou. Felizmente, na hora de fechar o seu seguro para carro, você optou por ter mais proteção com o RCF, que era a melhor pedida ao seu ver. O que fazer então? Após o ocorrido, basta acionar a sua seguradora e, então, não ter que pagar nada pelo ocorrido.

    A dúvida que fica, nesse caso, é se existe um valor máximo o qual a indenização pode ser feita e qual é esse limite. E a resposta para isso é que sim, existe um teto máximo o qual a seguradora está disposta a dar de reembolso. Normalmente, de acordo com o mercado, o montante é de até R$ 50.000, sendo a quantia para todos os tipos de dano que a pessoa sofre devido ao acidente (seja com ela diretamente ou com o carro).

    Assim, dependendo do que acontecer, o orçamento para conserto do veículo será totalmente coberto. Mas se a quantia necessária ultrapassar esse valor, a diferença deve ser paga pelo segurado e responsável pelo acidente.

    Vale pontuar que tanto o total ressarcido como a necessidade de ter que pagar – que, nesse caso, funciona de forma idêntica à franquia de seguro, onde a seguradora dispõe até o limite e todo o restante cabe ao segurado – pode ser retratado de diferentes jeitos entre as empresas, então a melhor forma de agir é conferir ao certo a apólice e, se tiver dúvidas, perguntar para a instituição que você cotar o serviço e decidir fechar negócio.

     

    Financeiramente falando, é melhor ter ou não ter essa assistência?

    Até aqui, entendemos tudo o que o seguro de veículos possui de diferente, como ele pode te ajudar diariamente e sobre o teto máximo para o reembolso. Mas financeiramente falando, ter um seguro auto com RCF é uma opção boa, ou ele só gera mais gastos?

    Para responder a isso, devemos analisar a situação como um todo, começando pelo acréscimo no prêmio do seguro (que ocorre referente ao valor do seu carro na tabela FIPE). Dependendo do modelo que você tiver, é possível que a taxa não seja muito alta, mas não esqueça que é possível ver isso enquanto faz a cotação de seguro, sabendo qual é o adicional para ter essa cobertura no plano.

    Somado a isso, e como forma de explicar o motivo pelo qual você está contratando essa garantia, nem sempre o conserto de um carro é barato. Claro que isso depende do que acontecer, mas é possível ter que desembolsar mais de R$5.000 para restaurar e arrumar um carro.

    E já que o aumento da mensalidade do seu seguro não será nesse mesmo valor e que, com a Responsabilidade Civil Facultativa, você não precisará pagar essa quantia para o outro motorista, você não terá nenhum impacto no bolso. Afinal, a seguradora será a responsável por pagar tudo o que for necessário para que a outra pessoa consiga voltar a dirigir sem problemas, sejam eles com o carro ou fisicamente.

    Ou seja: se você quer ter mais economia e menos dores de cabeça, o seguro RCF é a melhor opção por ser mais proteção e tranquilidade no trânsito, até mesmo se você causar um acidente, devido ao alto custo-benefício que essa cobertura leva aos planos!

    Agora, se você quer entender melhor sobre o seguro auto para não ter dores de cabeça no dia a dia, não deixe de conferir o Blog da Pier Seguradora, onde trazemos diversos conteúdos para evitar as pegadinhas ao mesmo tempo em que faz uso do melhor cuidado com esse bem tão importante, que é o carro!

  • Seguro online é uma opção confiável?

    Seguro online é uma opção confiável?

    O universo dos seguros ainda gera alguns questionamentos nas pessoas, principalmente no que diz respeito à confiabilidade. Muito disso acontece devido ao fato de que, ao contratar esse serviço, a principal ideia da pessoa é proteger um bem valioso para ela.

    E devido à alta busca por praticidade e um sistema descomplicado, o seguro online surgiu como uma resposta para quem deseja mais praticidade. O problema, no entanto, é que ele também divide opiniões à medida em que, hoje, existem empresas que apostaram nesse ramo para auxiliar ainda mais o dia a dia das pessoas.

    Mas se você quer tirar todas as suas dúvidas a respeito desse tema, continue lendo esse texto. Nele nós abordamos os principais questionamentos sobre o assunto, tudo para deixar totalmente claro para você!

     

    O que é seguro online e como funciona?

    Para começar a nossa sessão de perguntas e respostas, vamos explicar o que é o seguro online. Basicamente, ele é uma modalidade desse serviço tão buscado onde tudo o que você precisa está disponível virtualmente, desde o momento de comparar opções, até fechar o contrato e sinalizar alguma situação para a empresa.

    Ou seja, é mais praticidade já que, seja com alguns cliques ou toques na tela do celular, tudo o que você precisa está resolvido de forma fácil, já que não é necessário ligar para a empresa ou ir pessoalmente em um estabelecimento.

    É importante lembrar que não são todas as empresas do ramo que oferecem esse tipo de serviço, estando, hoje em dia, principalmente a cargo das chamadas seguradoras digitais.

     

    Essa modalidade é confiável?

    Apesar de muitas pessoas perguntarem sobre a confiabilidade, o seguro online é extremamente confiável, desde que seja feita a cotação de seguro com uma boa empresa do ramo.

    Mas como saber se ela é boa ou não? Para isso existem alguns cuidados importantes e usados para navegar na Internet, e o principal deles é conferir se existe o ícone de um cadeado antes da URL, que significa que a sua conexão está protegida.

    Com isso, já é meio caminho andado para ter mais tranquilidade. E para assegurar que você está com uma empresa que não te dará calote, por exemplo, procure por alguma parte do site que mencione a SUSEP. Apenas empresas autorizadas por essa entidade podem comercializar seguros!

    Dessa forma você pode ter total certeza de ter uma boa seguradora ao seu lado, sempre disposta a ajudar no que você precisar.

     

    Quais os benefícios da opção digital?

    Ao analisar as vantagens oferecidas por uma seguradora digital, além da grande quantidade de opções que você pode contratar (que explicaremos mais para frente), existem ainda outros benefícios que você tem exclusivamente nesta modalidade. E somado a esse, temos:

    1. Não precisar sair de casa para nada enquanto está contratando o seguro;
    2. Custos mais em conta para o seu bolso;
    3. Quantia justa de reembolso, se necessário;
    4. É muito simples de usar, seja por um aplicativo ou site;
    5. Contato fácil;
    6. Suporte disponível 24h por dia.

    Parando para analisar a questão dos custos mais baixos, muito disso se dá já que você possui assistências e coberturas adequadas, que também é um outro benefício por si só.

    Afinal, você não está pagando a mais por coberturas que não serão usadas; ou seja, você paga pelo que realmente vai usar. Muito disso se dá já que, geralmente, as empresas agem com maior transparência com os respectivos clientes.

     

    Quais as modalidades disponíveis?

    Como adiantamos no tópico anterior, existe uma alta gama de opções que você pode contratar. Isso vai desde o seguro de vida até o seguro viagem, ou seja, desde os mais necessários para os dias até os esporádicos, já que você pode ter os seguintes tipos de seguro na modalidade online:

    Assim, é proteção para todos os momentos e para os bens mais importantes para você, tudo a fim de que você não tenha nenhum problema ou dor de cabeça com alguma situação.

     

    As assistências estão inclusas ou é necessário pagar a parte?

    Assim como nas categorias convencionais, em uma modalidade online você possui uma apólice de seguro quando fecha o contrato. Por meio dela, você confere as situações que você está protegido e como a empresa pode ajudar para evitar maiores problemas. Assim, você sabe tudo o que é considerado como sinistro de seguro, se há reembolso e quais assistências estão no plano.

    Somado a isso, todo tipo de serviço que você precisar por parte da sua seguradora está incluso na mensalidade, e não é necessário pagar por mais nada para usufruir dos respectivos benefícios de ter um seguro.

     

    Fazer seguro pelo celular é confiável?

    Por se tratar de uma modalidade virtual, existem diversos sites e aplicativos próprios das empresas que podem ser acessados. E se você preferir cotar e contratar pelo celular ao invés de fazer pelo computador, é totalmente confiável também!

    Afinal, o que importa não é o meio que você usa, e sim estar no site da empresa, que deve ser protegido e ter o selo, ou menção, à SUSEP. Com tudo isso, você pode fazer a contratação sem problema algum!

     

    Todo o processo de cotar e fechar contrato é virtual?

    Vamos supor que você decidiu contratar um seguro celular para ter mais proteção onde estiver e a primeira coisa que pensou foi na modalidade digital. O que fazer? Tudo o que você precisa é procurar por uma empresa renomada que ofereça o serviço na Internet.

    Afinal, uma das principais vantagens desse tipo de serviço é a praticidade, e tudo isso começa no primeiro contato, já que todo o processo de simulação é feito pela Internet. Logo, você pode conferir mais de uma opção ao mesmo tempo, buscando a que possui o melhor preço para o seu orçamento para, então, fechar o contrato. Tudo isso sem precisar sair de casa para nada, já que é possível assinar o contrato digitalmente também.

     

    Qual é a forma de entrar em contato com a seguradora?

    Por ser um serviço disponível na Internet, tem sido cada vez mais comum o uso de aplicativos próprios e de mensagem instantânea – como WhatsApp, Messenger e Telegram por exemplo – para a resolução de problemas.

    Afinal, uma das grandes reclamações das pessoas que possuem seguro diz respeito às ligações com menus extensos que, na maioria das vezes, nem resolvem o seu problema.

    Por isso, e até para gerar mais facilidade, com alguns toques na tela você sinaliza que sofreu um sinistro, o que aconteceu e onde você está. Com tudo isso em mãos, a seguradora vai tomar todas as providências para resolver o seu problema!

     

    E como eu posso contratar o seguro pela Internet?

    Fechando o texto de hoje, a última dúvida que vamos tirar diz respeito a como fechar negócio com uma empresa do ramo. Para exemplificar, vamos usar o seguro auto como base, já que ele é um dos mais buscados hoje em dia. O primeiro passo, após decidir fechar o contrato, é buscar a melhor opção no mercado para você. Para isso, é necessário ter alguns pontos em mente, como:

    1. O que é fundamental no plano para você;
    2. Qual é o teto máximo que você está disposto a pagar, analisando os diferentes valores do seguro de carros;
    3. Se existem assistências indispensáveis para você, e quais são elas;
    4. Adicionais que você deseja na apólice;
    5. Se é uma opção com Seguro de Responsabilidade Civil Facultativa ou não;
    6. Ter um reembolso adequado;
    7. Situações que você está protegido;
    8. Se a franquia de seguro está inclusa, ou se não há coparticipação em caso de sinistro.

    Não distante disso, é importante conferir se você possui proteções contra fenômenos naturais, que podem causar diversos danos ao veículo, e se os serviços disponíveis – como guincho e reboque, por exemplo – cobrem tudo o que você precisa. Caso tudo esteja de acordo e você queira prosseguir com a empresa, lembrando que a maioria desses pontos você vai descobrir enquanto simula o plano, o passo final é fechar o negócio.

    No site, você deve encontrar uma opção como “contratar seguro“, ou algo parecido. Basta clicar nessa opção, completar o seu cadastro na empresa (que já vai ter alguns dos seus dados devido ao momento de cotação) e, após uma análise de tudo que pode demorar alguns dias, basta assinar o contrato de forma digital para proteger mais o seu carro.

    Então, vemos que o processo em si não é demorado, e com apenas alguns cliques você já consegue ter mais tranquilidade e menos dores de cabeça em todos os dias e locais! Apenas preste atenção nos detalhes importantes e únicos da apólice no que diz respeito ao seu plano para não solicitar ajuda em um caso que não é protegido pela empresa, o que fará com que você tenha que arcar com os respectivos gastos para conserto, por exemplo.

    Mas se você quer entender mais sobre seguro online para ter mais tranquilidade, confira o blog da Pier Seguradora, onde abordamos esse assunto em diferentes perspectivas para você saber tudo e ter total proteção!

  • Todo seguro auto tem RCF?

    Todo seguro auto tem RCF?

    Não é novidade para ninguém que ter um seguro é a melhor forma de manter o carro, ou outro bem, protegido em todos os momentos e contra as mais variadas situações que podem acontecer diariamente.

    Isso se torna ainda mais importante quando analisamos que existem algumas coberturas indispensáveis no seguro de carro, já que elas levam mais proteção e tranquilidade para todos os momentos, como é o caso da RCF.

    Mas se você possui dúvidas sobre esse tipo de cobertura e deseja entender melhor pontos como o que é, como funciona, o que ele tem diferença, se é realmente bom ter e se todas as empresas do ramo oferecem esse tipo de proteção, venha com a Pier Seguradora e conheça tudo sobre o assunto para não ter problemas! Boa leitura.

     

    O que é RCF?

    Antes de seguir com as explicações, o primeiro ponto que vamos entrar hoje é sobre o que é o RCF. A sigla significa Responsabilidade Civil Facultativa de Veículos, também conhecida simplesmente como Seguro Contra Terceiros.

    Basicamente, ele é uma cobertura dentro desse serviço que dita que, se você causar dano ao carro de outra pessoa por meio de um acidente, você fica isento da obrigação legal de pagar pelo reparo, danos físicos, morais, estéticos e lucros cessantes gerados.

    Ou seja, o Seguro de Responsabilidade Civil é uma assistência adicional que pode ser acionada quando você é o responsável por um acidente, fazendo com que a empresa se torne a responsável pela indenização e reparos necessários.

    Para isso, é possível que a seguradora cobre um valor a mais, mas isso é algo que você descobre na hora que decide simular o seguro auto, já que nem sempre é necessário pagar a mais para isso. Dependendo da empresa, apenas ocorre um aumento parcial na mensalidade (variando conforme o modelo de carro que você tem) e tudo está certo, sendo possível acionar quando você precisar.

     

    Quais diferenças esse termo leva para o seguro auto?

    Tendo em vista que ter um seguro para carro de qualidade é fundamental, principalmente após comprar um carro devido a toda a tranquilidade que ela gera, a pergunta que fica é sobre o que o seguro RCF oferece de diferente quando falamos sobre segurança.

    E é justamente na questão de ter menos dores de cabeça que essa cobertura ganha um grande destaque. Afinal, devido a alta quantidade de carros que rodam por todo o Brasil, as possibilidades de causar um acidente são grandes, e se esse for o seu caso, você terá que pagar por todos os danos causados a todos os carros, caso tenha mais de um envolvido.

    Ou seja, se você bater em um veículo e envolver outros no acidente, a responsabilidade de pagar pelo conserto de todos é inteira sua, já que foi você o responsável por tudo o que aconteceu. E não se engane pensando que é somente o conserto físico do veículo que deve ser pago. Ou seja, danos materiais ao veículo, físicos, morais e estéticos à pessoa, bem como os lucros cessantes por não poder desempenhar função profissional são obrigação sua para com todos os envolvidos.

    Isso tudo, é claro, se você não tiver a proteção contra terceiros no seu seguro; já se você tiver, tudo o que é necessário fazer é acionar a seguradora e conceder os dados de todos os envolvidos no acidente. Assim, ela será responsável por tomar todas as providências para que nem você e nem ninguém tenha problemas. Logo, a diferença desse termo está exclusivamente na redução das dores de cabeça e prejuízos financeiros!

     

    É possível encontrar essa cobertura em todo plano?

    Apesar de ser algo muito positivo devido a praticidade que leva para todos os momentos somada de muita tranquilidade, como vimos até aqui, não são todas as empresas do ramo que oferecem esse tipo de proteção no seguro para carros.

    Muito disso ocorre devido ao fato de que, como o próprio nome diz ser “facultativo”, não é obrigação da seguradora de veículos pagar pelo ocorrido, já que não foi ela quem causou a situação ou qualquer tipo de dano derivado da mesma.

    Por outro lado, é comum que a mensalidade das empresas que possuem esse tipo de serviço seja um pouco maior, devido ao fato de que é mais uma proteção que você está contratando. No entanto, o valor do seguro de carros não será muito maior do que o normal, não sendo suficiente para ficar muito acima do orçamento, principalmente quando comparamos com o quanto você precisaria gastar se tivesse algum sinistro causado por acidente.

    Outra vantagem direta em encontrar uma empresa que oferece seguro auto com RCF é que ele não serve somente para reembolsos e indenizações. Logo, todas as assistências que você possui – como guincho e reboque, por exemplo -, também estão disponíveis para solicitar em caso de carro com sinistro gerado pelo incidente, sem ser somente para danos parciais ou perda total.

    Então em qualquer problema que você tiver no trânsito, seja sozinho ou com terceiros, você pode acionar a empresa e deixá-la a cargo de reverter a situação para que o veículo esteja pronto para rodar novamente!

     

    E quando eu sei que tenho esse tipo de cobertura?

    Se você já fez a contratação do seu seguro e não sabe se possui essa cobertura ou não, é muito simples de resolver: tudo o que você precisa fazer é conferir a sua apólice de seguro. Por meio dela, é possível analisar tudo o que você tem proteção, pontos importantes para que o serviço seja mantido e que você não tenha problemas com a empresa.

    Dentre eles, é possível encontrar algum tópico mencionando a RCF, caso esteja presente no seu plano. Se estiver, ótimo, você possui proteção contra terceiros; já se não estiver, é necessário conversar com a seguradora e, caso eles tenham esse serviço adicional, solicitar para o seu plano. Prático assim e você já pode rodar na rua sem maiores preocupações, mesmo se gerar um acidente.

    E se você gostou de entender tudo sobre o RCF e quer se informar melhor a respeito do seguro auto como um todo a fim de ter mais segurança mesmo em meio a rotina, confira o Blog da Pier Seguradora e tenha o melhor cuidado com o seu carro todos os dias!